Mais 21 municípios têm o transporte suspenso na Bahia; total chega a 240

Santa Inês foi incluída na lista.

A partir de sexta-feira (29), o transporte intermunicipal será suspenso em Baianópolis, Caraíbas, Conde, Coração de Maria, Coronel João Sá, Crisópolis, Fátima, Macarani, Miguel Calmon, Palmeiras, Piatã, Pintadas, Presidente Dutra, Riachão das Neves, Rio do Antônio, Salinas das Margaridas, Santa Inês, Santa Teresinha, São Domingos, Terra Nova e Tucano.

A medida, que tem o objetivo de conter o avanço do coronavírus na população baiana, foi publicada em decreto no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quinta-feira (28). A restrição inclui a circulação, saída e chegada de qualquer transporte coletivo público e privado, rodoviário e hidroviário, nas modalidades regular, fretamento, complementar, alternativo e de vans.

O decreto também autoriza a retomada do transporte em Irecê, Licínio de Almeida, Ouriçangas, Ruy Barbosa, Santa Luzia e Santanópolis, cidades com 14 dias ou mais sem novos casos de Covid-19.

Lista de municípios 
A Bahia totaliza 240 municípios com transporte suspenso. São eles: Abaíra, Adustina, Água Fria, Aiquara, Alagoinhas, Amargosa, Amélia Rodrigues, Anagé, Anguera, Antônio Cardoso, Aporá, Apuarema, Araçás, Aracatu, Araci, Arataca, Aurelino Leal, Baianópolis, Banzaê, Barra, Barra do Choça, Barra do Mendes, Barra do Rocha, Barreiras, Barro Preto, Barrocas, Belmonte, Boa Vista do Tupim, Bom Jesus da Lapa, Bom Jesus da Serra, Boquira, Brumado, Buerarema, Cachoeira, Caém, Caetanos, Caetité, Cairu, Caldeirão Grande, Camacã, Camaçari, Camamu, Campo Alegre de Lourdes, Campo Formoso, Canavieiras, Candeias, Cândido Soares, Cansanção, Capela do Alto Alegre, Capim Grosso, Caraíbas, Cardeal da Silva, Castro Alves, Catu, Cipó, Coaraci, Cocos, Conceição da Feira, Conceição do Almeida, Conceição do Coité, Conceição do Jacuípe, Conde, Condeúba, Coração de Maria, Coronel João Sá, Cravolândia, Crisópolis, Cristópolis, Cruz das Almas, Curaçá, Dário Meira, Dias D’Ávila, Encruzilhada, Entre Rios, Esplanada, Euclides da Cunha, Eunápolis, Fátima, Feira de Santana e Floresta Azul.

(mais…)


ACM Neto ameaça decretar toque de recolher em Salvador

ACM Neto. (Foto: Valter Pontes)

O prefeito de Salvador , ACM Neto, usou sua conta no Twitter ontem (quarta, 27) para ameaçar o decreto de um toque de recolher caso a população as medidas de isolamento social contra pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

“Se uma parte da população insistir em descumprir as determinações, fazendo festa, provocando aglomerações, não teremos outra alternativa a não ser decretar o toque de recolher em Salvador”, escreveu o prefeito.

Na mesma publicação, ACM Neto ainda disse que essa não é medida que o governo pretende tomar nem quer, mas que também não serão aceitas “atitudes de desrespeito à vida”. Informações do Último Segundo.


Desmatamento na Mata Atlântica cresce quase 30%

Bahia ficou em segundo lugar no trágico ranking de desmatamento.

Após dois períodos consecutivos de queda, aumentou o desmatamento na Mata Atlântica. Foram desflorestados entre 2018-2019 um total de 14.502 hectares – um crescimento de 27,2% comparado com o período anterior (2017-2018), que foi de 11.399 hectares.

As informações são do Atlas da Mata Atlântica, iniciativa da Fundação SOS Mata Atlântica e do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) realizada desde 1989. O estudo teve execução técnica da Arcplan e patrocínio de Bradesco Cartões.

Mais uma vez o estado campeão de desmatamento foi Minas Gerais, que teve uma perda de quase 5.000 hectares de floresta nativa. A Bahia ficou em segundo lugar, com 3.532 hectares, seguido pelo Paraná, com 2.767 hectares.

Clique aqui e acesse o relatório completo.

Os três líderes do ranking tiveram aumento de desflorestamento de 47%, 78% e 35% respectivamente, ao comparar com o período anterior. Já o quarto e quinto lugares da lista, Piauí e Santa Catarina, tiveram redução do desflorestamento em relação ao período 2017-1018 de 26% e 22%. Piauí somou 1.558 hectares desmatados e Santa Catarina 710 hectares.

“A ampliação do desmatamento da Mata Atlântica observada mostra que a destruição do meio ambiente não tem ocorrido apenas na Amazônia. E o fato é preocupante, já que restam apenas 12,4% da Mata Atlântica – o bioma é o que mais perdeu floresta no país até hoje”, afirma Mario Mantovani, diretor de Políticas Públicas da SOS Mata Atlântica.

“Ficamos decepcionados, pois os desmatamentos seguem nas mesmas regiões. Observamos vários desmatamentos em áreas interioranas e nos limites da Mata Atlântica com o Cerrado em Minas Gerais, na Bahia e no Piauí, além de regiões com araucárias no Paraná. Como são áreas já mapeadas anteriormente, os desmatamentos poderiam ter sido evitados com maior ação do poder público. É lamentável que sigam destruindo nossas florestas naturais, ano após ano”, afirma Marcia Hirota, diretora executiva da SOS Mata Atlântica e coordenadora geral do Atlas.

(mais…)


Boletim Covid-19 (27/05): Bahia registra 15.070 casos confirmados; 501 em Ilhéus e 788 em Itabuna

Boletim epidemiológico 27/05.

A Bahia registra 15.070 casos confirmados de coronavírus (Covid-19), o que representa 15,18% do total de notificações no estado. Os 36 óbitos contabilizados no boletim epidemiológico desta quarta-feira (27) referem-se a um período de 17 dias, conforme observado nos perfis detalhados. Ou seja, não ocorreram em 24 horas. Estas notificações tardias estão sendo apuradas pela Auditoria do Sistema Único de Saúde (SUS) e pela Corregedoria.

Considerando o número de 15.070 casos confirmados, 5.149 recuperados e 531 óbitos, 9.390 pessoas permanecem monitoradas pela vigilância epidemiológica e com sintomas da Covid-19, o que são chamados de casos ativos. Na Bahia, 2.234 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19.

Os casos confirmados ocorreram em 263 municípios do estado, com maior proporção em Salvador (63,16%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 1.000.000 habitantes foram Uruçuca (4.581,12), Ipiaú (4.250,87), Itabuna (3.695,66), Salvador (3.268,76) e Ilhéus (3.086,36).

O boletim epidemiológico registra 38.628 casos descartados e 99.304 notificações em toda a Bahia. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17h30 desta quarta-feira (27).

Ilhéus e Itabuna

Em Ilhéus, foram confirmados 501 casos, segundo informações estaduais. Já a Prefeitura Muncipal confirma 448. Estão em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) 31 pessoas e 29 morreram por causa da doença. Ainda de acordo com as informações estaduais, o município de Itabuna apresenta 788 em casos, e a Prefeitura confirma 781, com 11 pessoas em UTI.


Exclusivo. Secretário de saúde de Ilhéus, Geraldo Magela, é acusado de aplicar um “golpe” numa idosa de 73 anos

O Blog do Gusmão valoriza textos curtos e objetivos, porém, a história que contaremos a seguir é rica em detalhes tristes. Nos esforçamos para manter a atenção dos leitores e pedimos paciência, pois a leitura completa será um sinal de respeito ao sofrimento alheio.

Clarice de Cunto vai completar 74 anos em junho deste ano. Ex-empresária, durante muitos anos foi dona de uma distribuidora de produtos descartáveis e de limpeza em São Paulo. Depois das muitas voltas que a vida deu, hoje ela divide um apartamento com Idália, sua ex-sócia e amiga de longa data. As duas residem na capital paulista e pagam pelo aluguel do pequeno imóvel R$ 1.340 por mês.

Clarice nunca foi casada e não teve filhos. Seus parentes mais próximos residem no interior do estado de São Paulo. Típica aposentada brasileira de baixo poder aquisitivo, não tem funcionária ou cuidadora. Problemas de saúde sérios afirma que não tem. “Sinto apenas alguns tremores, mas não costumo ir ao médico”. Sobre o orçamento apertado explica: “tive que tomar uma decisão: ou pagava aluguel ou pagava plano de saúde. Fui obrigada a escolher as despesas do apartamento para não ficar sem um teto”.

Com a pandemia do novo coronavírus, Clarice tem seguido as recomendações do isolamento social e está confinada em casa. Para adquirir produtos de primeira necessidade, tem ligado para um supermercado próximo que entrega em domicílio.

O maior receio de Clarice neste momento é a Covid-19. Idosa e pertencente ao grupo de risco, ela teme não estar viva para ver a Justiça definir uma questão que lhe envolve diretamente. Em 2013, ela afirma ter sido seriamente prejudicada por um homem que “adquiriu” o único imóvel que lhe pertencia. Esse fato mudou completamente a sua vida.

Clarice comprou uma casa em Olivença em 1999 e seu objetivo era morar perto de uma irmã. Depois de um tempo, a parente mudou-se para São Paulo e ela foi junto. O imóvel passou a ser alugado, mas os problemas com a conservação tornaram-se comuns.

Em 2013 Clarice vendeu a casa para Geraldo Magela Ribeiro, atual secretário de saúde de Ilhéus. Os detalhes da transação ao longo de dois anos, segundo relato da idosa, colocam o caráter do comprador em dúvida.

Geraldo Magela.

Clarice e Magela acordaram o valor do imóvel em R$ 350 mil. O comprador daria R$ 50 mil à vista e o restante seria financiado pela Caixa Econômica Federal. No ato da assinatura do contrato de compra e venda, Magela pagou apenas R$ 15 mil e se comprometeu a pagar o restante (R$ 35 mil) em até 60 dias.

Clarice acreditou em Magela e retornou a São Paulo. Seu objetivo era acompanhar de perto o drama vivido por um sobrinho muito próximo que estava em tratamento devido a um câncer.

Enquanto ela estava em São Paulo ao lado do sobrinho que definhava, Magela não pagou o restante da entrada. Por motivos que desconhecemos, ele colocou uma de suas filhas, que é médica, como a compradora oficial. O financiamento da Caixa Econômica (em nome da filha) só foi liberado seis meses depois, mas com valor abaixo do acordado (R$ 256 mil) que foi depositado numa conta bancária de Clarice. Daí em diante, conforme consta no processo judicial, o caso ganhou características de um típico “golpe” aplicado numa pessoa indefesa.

Clarice estava abalada com o sofrimento do sobrinho e essa situação a deixou vulnerável. Ao mesmo tempo, conforme relato da senhora, Magela começou a dizer que não tinha como pagar o valor que faltava da entrada. Disse que possuía um apartamento em Itabuna cuja documentação não estava regularizada. A única saída era contrair empréstimo junto a um banco. O imóvel seria dado como garantia, mas para isso, era necessário providenciar os documentos. A regularização tinha um custo, mas ele não tinha o recurso. Magela pediu a Clarice que lhe emprestasse parte do dinheiro pago pela Caixa. Na esperança de receber tudo que ele lhe devia, a aposentada disse sim, várias vezes.

No processo que tramita na 4ª Vara de Feitos de Relação de Consumo Cíveis e Comerciais de Ilhéus (clique aqui), Clarice afirma que emprestou R$ 161 mil a Geraldo Magela. Parte do dinheiro que a Caixa Econômica pagou à aposentada, cuja origem é o financiamento realizado em nome da filha de Magela, foi parar, aos poucos, nas mãos do pai.

A advogada de Clarice, Lara Kauark, afirma que Magela agiu de má-fé nos vários pedidos de empréstimo que fez. O suposto recurso contraído junto a um banco para quitar a entrada jamais foi viabilizado. A dívida do comprador com a vendedora mais do que triplicou. Antes era de R$ 79 mil e depois saltou para R$ 240 mil.

Clarice relatou a Lara Kauark que Magela fazia pressão por mais dinheiro emprestado, dando garantias de que o recurso para quitação da entrada estava para ser liberado. “Certa vez, ele ligou para pedir mais dinheiro e recomendou que ela fosse rapidamente ao banco fazer a transferência. Na pressa de pegar o ônibus em Olivença, dona Clarice tomou uma queda”, contou Lara Kauark ao BG.

Clarice de Cunto, a vítima. Foto enviada por amigos.

O sobrinho, que era advogado e auxiliava Clarice a resolver muitos problemas, não resistiu ao câncer e faleceu. O irmão de Clarice (pai do rapaz) vivia em cadeira de rodas por ser paraplégico. Após a morte do filho o abalo foi tão forte que ele também morreu pouco tempo depois. “Os órgãos dele foram parando aos poucos”, explica Clarice.

A morte dos parentes deixou Clarice muito abalada e ainda mais vulnerável aos pedidos de Magela. Por não ter recebido todo o dinheiro, Clarice voltou a residir na casa junto com os novos “donos”. Como a situação não foi resolvida, o relacionamento debaixo do mesmo teto ficou difícil e ela disse que foi hostilizada algumas vezes, revela o casal Georgia Couto e Saulo Guimarães. Os dois foram vizinhos de Clarice em Olivença e tornaram-se amigos. Depois de um tempo decidiram morar na zona sul de Ilhéus, mas a amizade foi mantida. Quando perceberam que Clarice corria riscos, Georgia e Saulo pediram que ela saísse da casa e fosse passar um tempo na residência deles.

“Clarice estava nervosa, muito abalada e não conseguia raciocinar direito, por isso decidimos tirá-la da casa”, explica Saulo Guimarães, que é testemunha da aposentada no processo que tramita no fórum de Ilhéus. “Clarice sempre foi dinâmica, participativa e gostava de ler. Com a venda da casa, que se arrastava há dois anos sem receber todo o dinheiro, ela mudou bastante e ficou completamente desorientada. A família dela só ficou sabendo do problema depois. Com a venda do único imóvel que possuía, Clarice queria comprar um pequeno apartamento em São Paulo, guardar um pouco do dinheiro e viver o resto da vida sem passar necessidade”, conta Georgia Couto.

Clarice admite ter ficado anestesiada e triste. Em sinal de gratidão, disse que teria sido pior se não fosse a ajuda de Georgia e Saulo. O casal amigo orientou que ela contratasse a advogada Lara Kauark, ex-presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB/Itabuna. Kauark disse ao BG que a aposentada estava em situação de risco e ressaltou traços marcantes na personalidade da cliente: “ela não mente, pois todas as vezes que lhe faço perguntas, o relato sempre é igual”.

Clarice tem documentos que provam os empréstimos feitos e após reunir todas as provas, o processo foi protocolado em março de 2015 contra Magela, a esposa e as filhas (uma é a compradora oficial e a outra proprietária do apartamento de Itabuna). O BG não vai revelar todos os nomes, pois só Magela é pessoa pública.

Nos pedidos feitos ao juiz Julio Gonçalves da Silva Junior, Clarice busca receber os R$ 240 mil devidos por Magela e uma indenização por danos morais e materiais.  A advogada também pediu uma liminar judicial que bloqueasse a matrícula em cartório do apartamento localizado em Itabuna, pertencente a Magela e uma de suas filhas.  A liminar foi negada.

Em agosto de 2018, a filha médica de Magela, que conseguiu o financiamento na Caixa Econômica Federal (cuja maior parte do dinheiro foi “emprestada ao pai”), propôs um acordo considerado indecoroso pela advogada Lara Kauark.  A filha se dispôs a pagar apenas o valor da entrada e um pouco mais (R$ 80 mil no total) nas seguintes condições: R$ 35 mil no momento da homologação do acordo; 3 parcelas de R$ 7 mil semestrais e 24 parcelas mensais de mil reais a contar da homologação.

Lara Kauark, advogada de Dona Clarice. Foto: Facebook.

O dinheiro que Magela tomou emprestado de Clarice (R$ 161 mil) não foi reconhecido pela filha como parte da dívida. Na proposta, ela afirma não ter participado do contrato do empréstimo, e que a responsabilidade pelo valor devido é dos seus pais.

Ao recusar o acordo, Lara Kauark afirmou que a filha de Magela esteve várias vezes na casa e presenciou conversas entre os pais e Clarice. Lembrou o fato da ex-proprietária ter permanecido no imóvel, justamente por não ter recebido todo o valor. A advogada encarou a proposta como um “disparate” e disse que os devedores demonstraram “falta de caráter” ao não honrar os compromissos.

Segundo Lara Kauark, três endereços diferentes de Geraldo Magela foram informados à justiça, mas ele nunca foi intimado. Após inúmeras tentativas dos oficiais de justiça, Magela foi convocado para a audiência de conciliação por meio de um edital público, mas não compareceu na data marcada, no dia 02 de fevereiro deste ano.  Segundo a advogada, a ausência de Magela vai propiciar que ele seja julgado à revelia, ou seja, sem no mínimo ter contestado as acusações.

Lara Kauark afirma que Dona Clarice foi engambelada e é vítima de um estelionato afetivo. “Ela foi mantida sob erro por dois anos”, ressalta. Também contou ao BG que Geraldo Magela responde a outros processos na justiça trabalhista e já não possui nenhum bem em nome dele. A advogada acha que sua cliente vai ganhar a causa, só que Magela, a esposa e as filhas ainda poderão recorrer ao Tribunal de Justiça da Bahia. Além disso, quando o processo tiver um desfecho, o judiciário terá dificuldades para encontrar dinheiro e propriedades em nome do réu. Segundo Lara Kauark, Magela disse a Clarice que não acionasse a justiça, pois ele tem muitos “acessos”.

O BG perguntou a Lara Kauark por quais motivos Geraldo Magela não responde uma ação criminal pela prática de estelionato. Ela explicou que Dona Clarice tem medo de possíveis represálias e atentados contra a sua vida, por isso, resolveu entrar com uma ação apenas na vara cível. Apesar de uma lei estabelecer direito à prioridade para os idosos, a causa de Clarice tramita há cinco anos no fórum Epaminondas Berbert de Castro. Lara Kauark acredita que a causa será julgada logo após o retorno dos prazos processuais, paralisados devido à pandemia do novo coronavírus. O BG apurou que a Defensoria Pública do Estado da Bahia passou a acompanhar o caso devido à demora.

“Eu tenho 10 anos na advocacia. Faço parte da Comissão de Direitos Humanos da OAB/Bahia e fui presidente da comissão dessa mesma área na OAB/Itabuna. Essa é a história mais triste que eu já me deparei como advogada. Dona Clarice tem 73 anos. É uma mulher indefesa e idosa, sem filhos e marido. Ela tem medo de morrer e não receber o dinheiro. Para se fazer presente nas audiências, é obrigada a comprar passagens de avião. Aconteceu uma vez de a audiência ser desmarcada, e ela ter que arcar com os custos do cancelamento das passagens. Tudo isso me deixa muito sensibilizada e eu sei que Magela fez tudo de propósito, após ter pedido que Dona Clarice acreditasse em sua palavra. Vale lembrar que ele e a filha trabalham na área de saúde”, disse Lara Kauark à reportagem do BG.

Dona Clarice recebe R$ 1.544 de aposentadoria. Ela acredita que existe uma justiça muito acima desse mundo. “Dessa ninguém consegue se safar. Se eu tive que passar por isso, Deus é capaz de resolver”, afirma com fé. Ela assume os aborrecimentos com o processo e se diz injustiçada, pois em sua vida, garante que nunca teve um protesto judicial. “Nunca paguei juros e nunca atrasei contas, devido à formação que meu pai me deu”.

No dia 22 de abril, o Blog do Gusmão tentou ouvir Geraldo Magela sobre as acusações feitas por Dona Clarice. Enviamos mensagens via Whatsaap e e-mail, mas ele não deu retorno. No dia 25 de maio, tentamos falar com o secretário de saúde por meio da secretaria municipal de comunicação. Pedimos que uma jornalista da SECOM intermediasse o contato. Também não recebemos resposta. Vale lembrar que Geraldo Magela reside na casa que pertenceu a Dona Clarice. Neste momento de combate ao novo coronavírus, ele é um dos responsáveis pela gestão dos recursos da saúde que atendem o povo de Ilhéus, incluindo milhares de idosos.

A casa que pertenceu a Dona Clarice, hoje habitada por Geraldo Magela, localizada na rua Marechal Castelo Branco (conhecida como rua do meio), em Olivença. Foto: Blog do Gusmão.

No dia 04 de maio deste ano, o ator Flavio Migliaccio, 85, foi encontrado morto em seu sítio localizado em Rio Bonito, no interior do estado do Rio de Janeiro. Migliaccio deixou uma carta aos familiares com a seguinte afirmação: “a humanidade não deu certo”. A forma como a morte do artista aconteceu deixou muitas pessoas chocadas. Consagrado no teatro, cinema e televisão, ele esperava há mais de 20 anos o pagamento de uma indenização devida pela TVE. Este motivo e outros cansaram Flavio Migliaccio.

Dona Clarice espera há 7 anos pelo fim do seu problema. Ela assume que foi ingênua. “Nunca fui tontinha. Vivi a circunstância de ter sido enganada por um homem voltado para si e desonesto. Certa vez ele chorou para mim e me deu certeza de que me pagaria, pois o sonho dele era ter uma casa em Olivença. Fui enganada, não consigo explicar por que emprestei dinheiro para ele, mas não posso me desesperar e ficar doente. Sou dizimista e Deus é a minha religião”.

Emocionada ela afirma: “o golpe que me aplicaram não pode acabar com a minha vida. Deverei honrar até o fim a vida que Deus me deu”.


Turkey Telecom é líder na alta performance da fibra óptica

Turkey possuí 8 anos no mercado ilheense.

Viajar pelo mundo, ampliar os conhecimentos, abrir novos horizontes e conectar-se a quem você mais ama: Internet rápida e acessível modernizou os hábitos da nova era.

Norteada por essas diretrizes, a Turkey Telecom, líder na alta performance da fibra óptica e oito anos de mercado na cidade Ilhéus, segue inovando em tecnologias e excelência para entregar a você, cliente, velocidade e satisfação que merece.

Em grande expansão, a Turkey Telecom acaba de chegar aos bairros da Conquista, Malhado e Avenida Princesa Isabel, com planos que cabem no seu bolso a partir de R$59,90.

Informe publicitário.


Hospital Costa do Cacau recebe equipamentos para ampliar tratamento de hemodiálise

HRCC.

A ala Covid-19 do Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), em Ilhéus, conta com serviço de hemodiálise para pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Além disso, o hospital recebeu na última semana, equipamentos da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) para o tratamento de pessoas acometidas pelo novo coronavírus.

Alguns pacientes com a Covid-19, por terem maiores complicações em suas funções renais, necessitam do procedimento de hemodiálise. De acordo com a enfermeira do HRCC, Diovania Braga, “mediante ao cenário atual na UTI Covid-19, demos início a esse serviço, atendendo de forma completa as necessidades dos pacientes internados”.

A enfermeira ainda relatou que a hemodiálise também é disponibilizada na Enfermaria Covid-19 e a localização próxima a UTI, é outro ponto importante. “A disposição dessas duas áreas de assistência, uma em frente a outra, facilita o fluxo dos pacientes que possivelmente apresentem a necessidade de transferência para a UTI, otimizando o tempo de atendimento, evitando maiores agravos do quadro clínico”, disse.

Semana passada, o Governo do Estado da Bahia, por meio da Sesab, enviou ao HRCC para enfrentamento a Covid-19, remessa de equipamentos, contendo aparelhos cardioversores, de eletroencefalografia, laringoscópios, espirômetro, raio X, ventiladores pulmonares, entre outros.

Para o médico Almir Gonçalves, diretor assistencial do HRCC, o suporte oferecido pelo governo estadual e Sesab proporciona condições de atendimento necessário aos pacientes acometidos pelo novo coronavírus. “Na nossa unidade Covid-19 temos estrutura para tratar complicações da doença, conforme as necessidades de cada um, de acordo com seu quadro clínico. O apoio do governador Rui Costa e do secretário Fábio Vilas-Boas tem sido muito importante nesse momento e toda equipe do IBDAH está comprometida cada dia mais com o restabelecimento da saúde dos pacientes”, conclui.


Faculdade Madre Thaís mantém aulas on-line durante a pandemia

Todos os 14 cursos da FMT mantém as atividades online.

Enquanto a avassaladora pandemia do novo coronavírus caminha, com milhares contagiados globalmente, as instituições de ensino superior mudam suas rotinas e modos de ensinar para proteger a comunidade acadêmica.

Na Faculdade Madre Thaís (FMT-Ilhéus) todos os seus 14 cursos mantém as atividades online. Os alunos da Faculdade continuam recebendo aprendizagem.

 Cada curso, cada disciplina, cada grupo de professores produz conteúdos e os faz chegar aos seus alunos através de plataformas digitais. Porém, a tecnologia não poderá ser usada para intermediar práticas profissionais de estágio e de laboratório.

Nesta quinta-feira (28), o curso de Engenharia Elétrica, da FMT, apresenta em live sobre “Robótica e internet das coisas”. O tema será discorrido pelos professores Geraldo Porto e Sérgio Ricardo.

Geraldo Porto coordena o curso de Engenharia Elétrica e leciona as disciplinas de Física III, Eletricidade Aplicada e Instalações Elétricas Prediais.

Já o professor Sérgio Ricardo da Silva, é autor do livro Protótipo de um Robô Móvel de Baixo Custo, e sócio fundador da GSRJ Consultoria Educacional, Doutorando em Mecatrônica pela Universidade Federal da Bahia , na área de Álgebra Abstrata aplicada à Cinemática de Manipuladores Robóticos utilizando Bases de Gröbner.

O ensino a distância é a alternativa recomendada pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), porém, faculta as  instituições de ensino superior optarem por simplesmente suspender as atividades acadêmicas presenciais pelo mesmo período, mas essas deverão ser integralmente repostas depois.


Bahia está em 5º lugar no ranking nacional de isolamento social

Dados são da plataforma InLoco.

Dados da plataforma InLoco apontam que o índice de isolamento social na Bahia ficou em 45,7% na terça-feira (26), o quinto melhor do Brasil, atrás de dois estados da região Norte e dois do Nordeste. Já a capital baiana é a terceira melhor dentre todas do país, perdendo apenas para Macapá e Recife, respectivamente.

De acordo com o secretário da Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas-Boas, “esta é uma demonstração de que a decisão de antecipação dos feriados foi assertiva e os baianos estão comprometidos com esse esforço adicional para ficar em casa e reduzir as taxas de infecção”, ressalta Vilas-Boas.

Entre os municípios, os que alcançaram maiores índices foram Jaguaripe (59%), Baianópolis (57,5%) e Jiquiriça (56.3%). Os piores índices apontados pelos dados da plataforma ficaram em Potiraguá (28,9%), Macajuba (30,3%) e Carinhanha (31,8%).

Todos estes dados foram gerados pela plataforma InLoco, que coleta dados de dispositivos móveis, não sendo a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) a responsável pelas informações disponíveis. No documento produzido pela InLoco, o município de Catolândia não foi computado. Confira o relatório.


Concurso Ceplac: seleção ainda segue sem previsão

Ceplac.

O concurso Ceplac (Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaureira) segue em pauta, mas sem previsão de quando poderá ser efetivamente realizado.

O certame vem sendo discutido desde 23 de maio de 2017, quando realizada audiência pública na Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados, no sentido de discutir a necessidade de reestruturar o órgão, bem como a contratação de servidores para revitalizar as atividades do órgão, que não promove seleção para contratação de pessoal há 20 anos.

Além da realização do concurso Ceplac, entre outras opções discutidas para a revitalização do órgão estão a diversificação das fontes de financiamento da Ceplac, para além dos recursos do governo federal, e a transformação da comissão em autarquia, com posterior realização do certame, no sentido de resgatar a estrutura de pessoal da entidade. Informações do JC Concursos.


Aneel decide manter conta de luz sem tarifa extra até o fim do ano

Medida visa “aliviar” conta de energia dos consumidores durante pandemia.

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) anunciou nesta 3ª feira (26.mai.2020) que manterá a bandeira tarifária verde acionada até 31 de dezembro de 2020. De acordo com a agência, a medida visa “aliviar a conta de luz dos consumidores e auxiliar o setor elétrico em meio ao cenário de pandemia”.

As bandeiras tarifárias indicam o valor adicional cobrado de acordo com o custo de produção de energia –quando a bandeira verde está acionada, não é feita nenhuma cobrança além do consumo. Existem ainda as bandeiras amarela, vermelha 1 e vermelha 2.

Os valores das bandeiras tarifárias são ajustados anualmente. A Aneel começou a discutir alterações para o ciclo 2020/2021 no dia anterior à declaração oficial de pandemia de covid-19. A agência explica que “os impactos da pandemia no consumo de energia e nas atividades econômicas alteraram de forma significativa os estudos e parâmetros utilizados na proposta”.

Além disso, os custos financiados pelas bandeiras tarifárias estão contemplados da Conta-covid. Trata-se de 1 empréstimo ao setor elétrico, junto a bancos públicos e privados, para aliviar os efeitos na pandemia no setor.


OMS diz que Américas são novo epicentro da pandemia de coronavírus

Moradores de favela de Manaus colocam máscara para evitar contaminação pelo coronavírus. (Foto: Bruno Kelly \ Reuters)

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera as Américas o novo epicentro da pandemia de coronavírus, e agora não é hora de os países aliviarem as restrições, disseram autoridades em entrevista nesta terça-feira (26).

Carissa Etienne, diretora da OMS para as Américas e chefe da Organização Pan-Americana da Saúde, disse por videoconferência que os surtos estavam se acelerando em países como o Brasil, onde o número de mortes relatadas na última semana foi o mais alto do mundo em um período de sete dias desde o início da pandemia de coronavírus. Informações de Reuters.


Pandemia, saúde e bicicletas

Apesar de todas as dificuldades, há sempre a luta e a esperança de que o Poder Público instale ciclovias; de que motoristas deixem de ver os ciclistas como empecilhos ao tráfego; e de que possamos, mediante um investimento viável para a imensa maioria das pessoas, utilizar a bicicleta com segurança e cuidar melhor de nossa saúde.

Por Julio Gomes.

Não é hora de defender, neste momento do avanço de mortes por COVID-19, o retorno às atividades econômicas nem àquilo que ainda chamamos de vida normal. Mas, mesmo deixando marcas inapagáveis, este momento trágico há de passar, pelo que devemos nos preparar para a nova vida no pós-pandemia que, no futuro, virá.

Em países da Europa duramente castigados pelo coronavírus, tais como Inglaterra e França, um dos aspectos que se afirmam como tendência é o uso da bicicleta nos deslocamentos de pessoas nas cidades, para retomar às atividades sem as aglomerações inevitáveis que ocorrem nos transportes coletivos; e também buscar mais saúde, algo que todos nós, sem dúvida, passamos a valorizar mais, no mundo inteiro.

Nos dois países acima mesmo durante o período mais difícil da pandemia as oficinas destinadas à manutenção de bicicletas figuraram como serviços essenciais, paralelamente à suspensão do funcionamento de ônibus, trens, metrô e outros meios de transporte em que há alto potencial de contágio.

Entretanto, os governos destes países foram muito além disso. Para incentivar o uso de bicicletas no período de desconfinamento, o governo francês decidiu criar um fundo de 20 milhões de euros, de onde sai uma ajuda individual única de 50 euros por pessoa (cerca de R$ 290,00) para quem quiser efetuar reparos em suas bicicletas.

Na Inglaterra, o Primeiro-Ministro afirmou, dia 6 de maio, que vislumbra “uma nova era de ouro para o ciclismo”, tendo anunciado uma série de medidas de incentivo ao uso da bicicleta, o que foi seguido por um pacote bilionário para o incentivo do ciclismo e de caminhadas.

Itália, Espanha, Alemanha e Bélgica também adotam iniciativas semelhantes, promovendo, entre outras medidas, o aumento do número e da quantidade de quilômetros de ciclovias e ciclofaixas nas cidades.

Estamos no Brasil e, obviamente, não esperamos que governos que não fornecem UTIs, nem respiradores, nem renda mínima para trabalhadores, nem socorro às pequenas e médias empresas venham a promover políticas de incentivo ao ciclismo como forma de prevenção contra novos contágios. Sabemos que, ressalvadas raras exceções dentre aqueles que exercem altos cargos públicos, estamos abandonados à nossa própria sorte.

(mais…)


Boletim Covid-19 (26/05): estado confirma 460 casos em Ilhéus

Boletim epidemiológico 26/05.

A secretaria estadual de saúde confirmou 460 casos (+1) de Covid-19 em Ilhéus, nessa terça-feira, 26. De acordo com o Boletim Epidemiológico da Bahia, outros 28 casos aguardam a validação pelo município. Já o boletim da Prefeitura de Ilhéus confirma 448 casos. Ainda de acordo com as informações municipais, 299 pessoas (+7) foram curadas da infecção, e 31 estão leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Ilhéus ainda se encontra entre os 5 municípios com maior coeficiente de incidência da Covid-19. Na Bahia, são 14.566 casos confirmados.