POLICIAL MILITAR EXPLICA MOVIMENTO "POLÍCIA LEGAL"

E-mail enviado ao Blog do Gusmão.

A Constituição veda aos Policiais Militares o direito a greve, o que está acontecendo na Bahia, é a luta por melhores condições de trabalho, por exemplo quase todos os coletes balísticos da PM estão vencidos, não há armamento tipo pistola ponto 40, 380 que é o ideal para todo o efetivo, esse equipamento muitíssimo reduzido, as viaturas quase todas estão com problemas diversos, o Código de Trânsito Brasileiro, diz que para conduzir viaturas de emergência é preciso ter o curso, nenhum policial da Bahia tem esse curso. O Estatuto da Polícia Militar prevê claramente pelo salário que se paga hoje (R$ 470,03), a carga horária de 40 horas semanais. Os policias chegam a trabalhar 192 horas mensais, o governo não paga hora extra.  O Governo é o Comandante por excelência da Policia Militar, precisa zelar pela institiução e pelo material humano, dar condições de trabalho, cumprir a Lei à risca, sob pena de responsabilidade pelo não cumprimento.  Aí sim, deverá cobrar rigor dos seus policiais, mas, falar na mídia que vai ser durão com os policais que estão na legalidade, é esquecer que ele, o governo, está na ilegalidade. É preciso cumprir a Lei e exigir o seu cumprimento.  Só que a mídia, às vezes, não tem o conhecimento pleno do princípio da legalidade, por isso, critica os policiais, dizem que é greve, e o que querem, mas, estamos à disposição para dirimir qualquer dúvidas. Vale ressaltar que alguns membros da imprensa estão do lado da verdade, da justiça, e não estão no bolso dos poderosos.
Muito obrigado.



One response to “POLICIAL MILITAR EXPLICA MOVIMENTO "POLÍCIA LEGAL"

  1. olá!
    sou cadete do curso de formação de oficiais da policia militar de roraima, vi seu site e achei interessante, então, gostaria de uma ajuda sua no seguinte assunto: um breve histórico das greves das policias militares no Brasil. voce pode me ajudar? aguardo respostas e muito obrigado!

    Raimundo Gomes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *