NÚMERO DE CASOS DE DENGUE HEMORRÁGICA CRESCE EM ILHÉUS

Do Jornal A Região.

Dengue deixa pelo menos 10 pessoas internadas em Ilhéus, município que está em situação de risco por causa do aumento no número de casos da forma mais grave da doença. Somente no Hospital Geral Luiz Viana Filho há 10 pessoas com os sintomas. Foram notificados 57 casos de hemorrágica no município neste ano.

É exatamente a mesma quantidade notificada no mesmo período do ano passado, quando quase todos os municípios do sul da Bahia registraram um grande número de pessoas doentes. De dengue clássica já são 854 casos notificados.

O principal hospital público de Ilhéus tem recebido uma média 40 pessoas infectadas por dia. Os dados da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual de Saúde mostram que Ilhéus está entre 10 municípios com mais notificações de dengue clássica.

Itabuna, que tem cerca de 700 casos, e Iguaí, com quase 600 notificações, fazem a parte da lista da área considerada de risco.

Alto risco

Com mais de 1.300 notificações, Canarana é o município baiano campeão de casos da doença neste ano. Mas é Ilhéus que mais preocupa, pela quantidade de casos de dengue hemorrágica.

Além disso, o número de doentes no município pode ser muito superior ao registrado porque muitas pessoas têm, mesmo correndo o risco, preferido se automedicar.

Este foi o caso de dona-de-casa Amélia de Oliveira Souza, moradora do Nelson Costa, que preferiu ir a uma farmácia e comprar Tylenol. “Não sou muito chegada a ir ao médico. Não foi nada muito grave. Por isso, tomei o remédio por conta própria”.

Ela afirma que com os netos e filhos age de maneira diferente. “Eu ficou no pé para que eles corram logo para um posto de saúde. A doença é danada, ela mata mesmo. Soube pelo noticiário que a situação da dengue é crítica em Ilhéus”.

“Mas isso ocorre por culpa de alguns moradores e também há entulho em muitos lugares na cidade”. Entre os bairros com mais casos estão Nelson Costa, Teotônio Vilela e Alto do Basílio.

A maioria dos pacientes que chega ao Hospital Regional é de moradores desses bairros. No início do mês, foi iniciado o terceiro ciclo de combate à dengue em Ilhéus.

Novas ações

Para reduzir o alto índice de infestação predial, está sendo usado o novo larvicida, o diflubenzuron. Com isso, o número de imóveis com criadouros do mosquito transmissor da doença deve cair.

Pesquisas recentes feitas pela Coordenação Municipal de Combate à Dengue apontam para a criação de resistência, por parte do mosquito, ao produto anterior.

Dois aparelhos GPS também reforçam o mapeamento dos focos, auxiliando as atividades de levantamento dos lugares com mais casos da doença na cidade.

Além de equipamentos, a população ilheense conta com o “Disque Dengue”, serviço de comunicação para tirar dúvidas e fazer denúncias sobre a dengue através dos telefones (73) 3231-7880 e 3231-6990, de segunda à sexta-feira, das 7:30 às 18h.



2 responses to “NÚMERO DE CASOS DE DENGUE HEMORRÁGICA CRESCE EM ILHÉUS

  1. Sou o administrador, responsavel pela construção do condominio proximo a são Miguel na zona sul, solicitei que um agente da dengue desse uma passada aqui na obra para verificar possiveis focos, e disquei um dos numeros citados, e para minha surpresa e satisfação em duas horas fui atendindo, dificil ver ações no serviço publico com esta presteza.

  2. caro Gusmão onde foi iniciado o 3º ciclo? desde quando foi feita a pela atual coordenação a tal pesquisa? os indicies de infestação da cidade aumentou por causa da atual coordenação, que só sabe perseguir humilhar os agentes que trabalham de verdade ,colocando na frente de trabalho supervisores sem perfis e nada gabaritado pra assumir importante cargo .
    o sr. orlando da agora a desculpa que o numero de atestado medico e falta injustificada aumentaram, mas ela não diz a causa disso. pois eu digo trabalho na dengue e sei o que passamos na mão desse carrasco ,humilhacões, perseguição, falta de vale transporte para locomoção, injustica e incompetecia por parte da coordenação orlando e cia…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *