PENDURICALHOS

Por Marcos Pennha.

É, minha gente, caiu o número de moradores em Ilhéus. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Ilhéus, que já beirou a casa dos 250 mil, hoje, tem aproximadamente 182 mil habitantes. Os motivos da queda são inúmeros. Muita gente foi embora. Muitos morreram e muitos deixaram de nascer. Tudo, podes crer, por culpa das sucessivas más administrações municipais. Simples assim, como diz uma operadora de telefonia celular.

Quem partiu para outros centros, foi porque não encontrou emprego. Quem partiu dessa para melhor, foi naturalmente, incidentalmente (se é que isso é possível) ou por desgosto em face de tanto desmando ao longo do tempo. Por fim, diga-me se há tesão no sujeito com tudo lhe acontecendo a contragosto? Daí a baixa no número de gente produzindo bebê, sacou aí?

(mais…)

GEORGE PELLEGRINI E BANDA DR.IMBIRA NO ROCK & POESIA

Neste sábado (04), às 20:00 horas, a Casa dos Artistas recebe o poeta George Pellegrini e, diferentemente do que estava previsto, a banda Dr. Imbira, não a Meu Amor & Uns Centavos que, infelizmente, sofreu baixas consideráveis e está impossibilitada de se apresentar.

No programa, poemas pulsantes e canções pungentes para espantar os fantasmas da mesmice e da caretice renitente.

Semana que vem é a vez da Infected Minds e Rubem Garcia sacudirem as estruturas da Casa dos Artistas na última semana do evento, oportunidade em que também será lançada a 2ª Edição (revista e ampliada) de Diálogos – Panorama da Nova Poesia Grapiúna.

JOVEM QUE OFENDEU NORDESTINOS VIVE ESCONDIDA

Com informações do IG.

Mayara Petruso postou no twitter que "nordestino não é gente".

A estudante Mayara Petruso, um mês após postar mensagens de ofensa contra nordestinos na internet, ainda evita aparecer em público. Ela deixou de sair de casa sozinha, largou o curso de direito, perdeu o emprego e, segundo a família, foi obrigada a se refugiar longe da casa da mãe, em virtude de ameaças que ainda sofre.

A família também ficou reclusa, devido ameaças que recebem por e-mail e telefone. A mãe e a avó da garota se dizem assustadas ao verem pessoas estranhas rodeando seu pequeno comércio, na periferia de Bragança Paulista, interior de São Paulo. A mãe lamentou que a privacidade da família tenha sido exposta na internet. “Nossos dados pessoais e endereço foram expostos na internet como se fossemos criminosos”, contou.