O SUL DA BAHIA TEM MÃO DE OBRA QUALIFICADA?

Ontem (segunda-feira/07) o Jornal da Globo exibiu matéria sobre o desemprego no Brasil, que está numa baixa histórica.

Apesar da grande oferta de vagas oferecidas, empresários encontram dificuldades para conseguir pessoas qualificadas.

Aqui no Sul da Bahia, a construção do Porto Sul, um projeto de grande porte que envolve o preenchimento de funções qualificadas,  traz a esperança de geração de empregos.

Duas perguntas:  esta região possui candidatos qualificados para atender a demanda do projeto? Quais investimentos temos recebido quando o assunto é qualificação de mão de obra?



11 responses to “O SUL DA BAHIA TEM MÃO DE OBRA QUALIFICADA?

  1. É importante este questionamento.

    Até mesmo os contrários ao Complexo, como o Gusmão, reconhece que se trata de “um projeto de grande porte que envolve o preenchimento de funções qualificadas”.

    E isto, sim, é uma preocupação. Fora alguns projetos da própria mineradora, pessoalmente não vejo um grande movimento na qualificação de mão de obra.

    A oportunidade passa pela qualificação de pessoas. O Paulo aí acoma está certo: não existe SENAI em Ilhéus? E SENAC? E o próprio governo estadual, via secretaria de educação e via UESC? E o SEBRAE?

    Então concordo com o Gusmão e seu questionamento. Devemos cobrar isso. O quanto antes.

  2. Caro,
    Emílio Gusmão

    Esse questionamento já fiz a mim mesmo.Vai ser construido em Ilhéus, Porto Sul, ZPE em construção,Porto Pesqueiro, Novo Aeroporto e muitas industria vão chegar a Ilhéus.E a mão de obra qualificada que estas empresas vão precisar, vão ter que ser importadas?Porque a PMI,Senai,Sesi,CLD,ACI, não estão preocupados em qualificar mão de obra local.Isto já deveria estar acontecendo a muito tempo.Mão de obra qualificadas os cursos geralmente são dois ou três anos de estudos e especialização.
    A sociedade organizada , precisa cobrar desses orgãos posição a respeito da mão de obra qualificada em Ilhéus.
    Melck Rabelo

  3. no passado e na época áurea de Ilhéus, a economia, a ostentação, as riquezas e o glamour ilheense, não foram focados nos moldes da educação (nada foi repartido p/a população pobre; investindo em escolas, saúde, moradia etc… só saquiaram o pobre!!!), aprendizado, treinamento, cultura etc…. apenas na ganância e exploração do povo humilde e trabalhador…
    o modelo era como se fosse um “feudalismo selvagem”… sem respeitar pobre algum… só tirar!!! esse era o objetivo dos coronéis do cacau.
    “para nós fazendeiros de cacau, tudo!!!! para o povão nada, ferro nessa gente!!!!
    modelo do feudalismo grapiúna….
    em Ilhéus hoje podemos ver e constatar uma cidade acabada, sem pespectiva de futuro algum…
    qual mão de obra qualificada??? vender carangueijo e cerveja na praia dos “milhionários”????
    a cidade hoje se resume em fofocas corriqueiras e lembranças da Gabriela…
    acabou!!!!
    voltar p/Ilhéus hoje seria um retrocesso na minha vida!!! nem em espírito volto mais!!!
    prefiro viver e morrer por aqui (San Francisco, CA, U.S.A.)…..

  4. Olha está questão e muito importante. é preciso uma visão mais critica a respeito do que é mão de obra qualificada e como e a quem destinar essa qualificação. eu sou favoravel ao porto sua mais tenho, uma grande preocupação em relação o que tá acontecenddo na região com uma industria de fazer tal curso ali, acolá, o cara está desempregado e acaba gastando o que tem e o que não tem para ser “qualificado”. na verdade não precisa ser empregado da bamim, e coisa e tal, e necessario que os governos e a iniciativa privada tragam e facilitem a formação de empresa para atuarem em areas que não sejam apenas do porto sul, como o pequeno empreeendedor e algo do genero.

  5. Ilhéus não tem mão de obra qualifica e engana-se quem pensa que os possíveis empregos gerados a partir da construção do porto sul beneficiará a população local. Faltam políticos com projetos capazes de atender a comunidade no que diz respeito a qualificação técnica. Esses míseros empregos que poderam surgir, não atenderá a demanda de desempregados que há em nossa região. Porém, historicamante já sabemos como se dão as construções no nosso país quando a obra é de grande porte e tem o governo federal como base.Isto é, superfaturamento, contratação de amigos e parentes entre outros desrespeitos. Uma coisa é certa, se essa obra sair do papel aposto com qualquer um que o valor de um “tijolo” não sairá por menos de R$100,00 nas notas frias e oneradas!!!

  6. Se vocês forem esperar pelo governo da Bahia, esqueçam!!!Infelizmente,Ilhéus é Estado da Bahia, um governo que nunca se preocupou em nada com Ilheenses, grapiúnas e escambau, é um governo que só faz “sugar”!… A mata atlântica, eles não estão nem aí também, basta dizer que esse governo petista criminoso ajudou a dezimar grande parte da mata atlântica com a introdução da “vassoura de Bruxa”,por isso dito como “crime de lesa Pátria”. O mesmo vão fazer com a construção desse porto e ferrovia. Certo está Caetano Veloso ao fazer essa observação oportuna em atenção com a Mata Atlantica no sul da Bahia. Ele é um baiano acima de ambições,um baiano consciente!!! 😉

  7. reveja a sua fala jeanette, não misture as coisas. lembre-se que 80% da mata atlantica esta em maos de cacauicultores amiga. o caetano está é louco, perdeu toda a sua historia. não so apenas em ser contra o porto sul, mas em ter se tornado um sem cara.

  8. Quando a FORD, veio instalar sua fabrica na Bahia, também diziam que a mão de obra qualificada viria do sudeste.Ledo engano a FORD qualificou os funcionáros antes de terminar a construção da fabrica os funcionários selecionados foram para São Paulo qualificar a mão de obra.Hoje os funcionários da Ford são baianos , e mais mão de obra foi qualificada para prestação de serviços em suas casas ou pequenas empresas.A Bamim tem compromissos assumidos de aproveitar mão de obra local e qualificar os funcionários local.
    Melck Rabelo

  9. Camarda,
    Joselito Bispo

    Apesar de não fazer mais parte dos Comunas,tenho aqui bem na frente o Manifesto do Partido Comunista,Karl Heinrich Marx e Friedrich Engels, deve esta removendo no túmulo.
    Com o desenvolvimento da burguesia, isto é, do capital, desenvolveu também um proletáriado, a classe dos operários modernos, que só podem viver se encontrarem trabalhos, e que só encontram trabalho na medida em que aumenta o capitalismo.Esses operários, obrigados a vender-se diariamente, são mercadoria, artigo de comércio, como qualquer outro;em consequência, estão sujeitos a todas as vicissitudes da concorrência, a toda flutuação do mercado.Os interesses e as condições de vida dos proletáriados igualam-se cada vez mais, na medida em que a máquina extingue toda diferença do trabalho e, quase por toda parte, os salários são reduzidos a um nível igualmente baixo.Em virtude da concorrência crescente dos burgueses, os proletáriados tornam-se escravos dos burgueses, para sobreviver com os baixos salários pagos pela classe burguêsa.
    Saudações da extrema radical direita!
    Melck Rabelo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *