O SECRETÁRIO FANTOCHE

Segundo o informante, Emerson (à esquerda) atua como pau mandado de Marão (à direita) e Porquinho.

O secretário de assistência social de Ilhéus, Emerson Santos, não toma decisões sem antes consultar o ex-secretário da pasta, Augusto Macedo (porquinho). Foi o que disse a este blog uma fonte privilegiada da secretaria.

Os dois conversam várias vezes por dia no telefone, e, não é raro encontrar o carro de Augusto (Prisma, vermelho) estacionado nos fundos da SAS.

O secretário atua como um fantoche, que cumpre as determinações do vice-prefeito, Mário Alexandre, sempre supervisionado por Macedo.

“O vice continua mandando pessoas em busca  de emprego, com um bilhetinho assinado por ele, para que Emerson apenas diga ‘não temos vagas’. A esculhambação continua a mesma”, assegurou a fonte.

O grupo da deputada Ângela Sousa comanda a secretaria do jeito que bem quer. No ano passado, a SAS foi palco de um escândalo de grande repercussão na imprensa (clique aqui).

WAGNER QUEIMA “O FILME” DE GEDDEL

Do Poder Online

O ministro da Casa Civil, Antônio Palocci, consultou o governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), sobre uma possível nomeação de Geddel Vieira Lima (PMDB) para a vice-presidência de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal.

Geddel foi adversário de Wagner na eleição ao governo da Bahia. Brigaram muito e o peemedebista acabou a campanha em terceiro lugar.

E o vice-presidente da República, Michel Temer, vem tentando emplacar o aliado e amigo desde o início do governo Dilma.

Mas se depender do que o governador petista disse a Palocci, Temer continuará sem conseguir uma vaga para Geddel.

PRIMEIRA AVALIAÇÃO

A primeira pesquisa CNI/Ibope de avaliação do governo Dilma Rousseff sairá no fim de março.

A Confederação Nacional da Indústria vai encomendar nos próximos dias ao Ibope a sondagem de opinião que revelará a percepção dos brasileiros em relação às ações do governo e à atuação da presidenta Dilma nos primeiros três meses no Palácio do Planalto.

AUDIÊNCIA PÚBLICA TERMINA EM PALESTRA

 

Vereadores não compareceram.

A audiência pública convocada para discutir os problemas do transporte coletivo em Ilhéus terminou em palestra.

Com mais de uma hora de atraso, a reunião foi iniciada contando apenas com os segmentos da sociedade civil.

Tão esperados na audiência, os representantes do Ministério Público Estadual, das empresas de transporte, do executivo e legislativo não apareceram no plenário da câmara.

Com as ausências, só restou falar dos problemas do transporte para quem os vive todos os dias. Ônibus lotados, horários escassos, veículos em péssimo estado de conservação.

O plenário quase vazio revelou o nível de comprometimento das autoridades. O conselho de transporte de Ilhéus comunicará em breve uma nova data para discutir o assunto.

UESC PREJUDICA CANDIDATOS APROVADOS EM MESTRADO

O processo seletivo para o curso de mestrado em cultura e turismo da Universidade Estadual Santa Cruz (Uesc), em Ilhéus, terminou de forma desoladora para os 16 candidatos aprovados na última seleção.

O curso teve sua nota rebaixada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), foi descredenciado pelo Ministério da Educação e acabou extinto.

O motivo para o resultado desfavorável foi a produção científica insatisfatória do corpo docente, que dava aulas, mas não publicava artigos nas revistas indicadas pela CAPES.

Os candidatos afirmam que foram prejudicados, já que passaram por um longo e desgastante processo seletivo, de cinco etapas: análise do pré-projeto de pesquisa, prova de conhecimentos e de língua estrangeira, entrevista e análise curricular.

A universidade alega que os estudantes foram informados que o curso estava condicionado à aprovação da Capes. O que não é verdade, pois o resultado da CAPES foi divulgado no dia em que os candidatos foram submetidos à prova de língua estrangeira. Antes disso, ninguém foi avisado.

Além do mais, há indícios de que os professores foram alertados sobre o número de publicações do corpo docente, tido como insatisfatório. Na UESC, era notório entre os professores que o mestrado em cultura e turismo não ia bem. Sendo assim, não havia condições para a realização de um novo processo seletivo.

Na última terça-feira (01), os aprovados foram recebidos pela vice-reitora, Adélia Pinheiro. No final da reunião, ela recomendou que todos procurassem a justiça, já que a UESC não tem condições de resolver o problema.

Desolados com a situação, os candidatos pretendem seguir a recomendação da vice-reitora.