EM PRIMEIRA MÃO: A NOVA SÁTIRA DA POLÍTICA ILHEENSE

Gravamos com exclusivade o trecho inicial do novo espetáculo do Teatro Popular de Ilhéus.

A nova peça, “O Inspetor Geral: sai o prefeito, entra o vice”, do diretor Romualdo Lisboa, é a continuidade do aclamado “Teodorico Majestade – as últimas horas de um prefeito”.

A gravação aconteceu na última terça-feira (15), na Casa dos Artistas, quando os atores estavam repassando o texto.

Depois que Teodorico foi expulso de Ilha Bela, Gilton Munheca assumiu a prefeitura, sempre ajudado por seu irmão Zé de Minga.

Novas personalidades subiram os degraus da política de Ilha Bela, para assessorar o prefeito Munheca. São eles: Cacau das Treitas, Joãozinho, Jorge Paraíba, Saulo da Leira, Gugu Porquinho, Pai Didão, Jarlison e Rosângela (mãe do vice).

O novo espetáculo, que tem o patrocínio do SESI/SP, estréia no dia 05 de maio, em São Paulo. O público de Ilhéus só poderá assisti-lo em dezembro, após o fim da temporada na capital paulista.

Conheça o início do texto.

NOTA DE ESCLARECIMENTO DO DEPUTADO ESTADUAL AUGUSTO CASTRO

Venho, publicamente, esclarecer um mau entendido: não sou contra Ilhéus. Como poderia, se 1.783 eleitores residentes neste município me escolheram para lhes representar na Assembleia Legislativa? Também não tenho interesse em acirrar disputa entre Ilhéus e Itabuna. Entendo que os mesmos são municípios vizinhos, irmãos que são afetados pelos mesmos problemas e que buscam, de forma idêntica, promover a qualidade de vida do seu povo. Por isso defendo a integração entre os dois e pauto meu mandato parlamentar na defesa de desenvolvimento para toda a região Sul. A questão dos limites territoriais que envolvem Ilhéus e Itabuna é polêmica por si mesma. Nenhum município quer perder um milímetro sequer da sua área. Ao divulgar release ontem, 16, relatei minha participação na Comissão Especial de Assuntos Territoriais e Emancipação, na Assembleia Legislativa, e a conversa que tive com o diretor de Informações Geoambientais da SEI – Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia, Antonio Cunha, a respeito do tema. Não defendo que os impostos gerados pela circulação de mercadoria no Makro e no Atacadão, localizados na Rodovia Jorge Amado, simplesmente deixem de ir para Ilhéus e sejam destinados a Itabuna. Defendo, sim, atendendo reivindicações de Itabuna, que os limites ora vigentes possam ser conferidos com o apoio da SEI, que dispõe de equipamentos de maior precisão (o que já foi dado início hoje pela manhã com a participação de representantes dos dois municípios). A partir daí, caso seja constatado que os marcos não estão colocados no local correto, que possam ser corrigidos; estando corretos, que os municípios possam encontrar soluções para conviverem em harmonia. Meu mandato está à disposição da região Sul para que possamos, através da Assembleia Legislativa, buscar investimentos e ações que beneficiem a todos.

Salvador, 17 de março de 2011

Augusto Castro

Deputado Estadual (PSDB)

GRUPO MARIGHELLA DIZ QUE “CARMÉ” ATIROU A PEDRA NA PRÓPRIA VIDRAÇA

Petistas do grupo Carlos Marighella, apontados como responsáveis pelo panfleto espalhado nas ruas de Ilhéus, que trouxe pesadas críticas à postura política da vereadora Carmelita (PT), disseram ao Blog do Gusmão que a parlamentar terá que provar que foram eles os autores da mensagem.

Os integrantes do grupo, mais à esquerda, afirmam que Carmelita está aproveitando a situação para aparecer e criar um fato político, já que vem tendo um mandato apagado.

Segundo um petista, que preferiu não se identificar: “é possível que o texto tenha sido preparado por Gerson Marques (ligado a Carmelita). Ele é especialista em factóides. A idéia é jogar a vereadora na mídia de qualquer jeito. Se fosse escrito por nós, sairia sem tantos erros”, ironizou radicalmente.

A origem dessa briga é antiga. Nego Val, tido pelo grupo da vereadora como autor do texto, foi expulso do PT no final nos anos 80.

Em 2008, Val retornou com a benção do médico Ruy Carvalho, porém, contra a vontade do marido da vereadora, o professor Ednei Mendonça.

O ressentimento entre as partes vem de uma paixão antiga que virou ódio.

COMENTÁRIO INFELIZ

Florindo Poersch

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB – (Acre), Florindo Poersch, exagerou e soltou em seu Twitter uma piada humilhante e desumana sobre o povo japonês que desde a última sexta-feira (12) sofre com o desastre ambiental e ameaça de contaminação nuclear.

“No Japão, como é que sabem quem está desaparecido? São todos iguais”, disse Poersch para depois dar gargalhadas eletrônicas, (srsrsr).

O infeliz comentário gerou protesto da comunidade japonesa no Brasil e de políticos. Florindo Poersch deve ser processado internamente pela OAB.

 

AUMENTA NÚMERO DE DEMISSÕES EM ILHÉUS

Ilhéus apresentou números  negativos na geração de empregos no mês de fevereiro.  As empresas dos setores de comércio e serviços foram as que mais demitiram. No comércio foram eliminados 90 postos de trabalho, as empresas do setor de serviço tiveram saldo negativo de 50 vagas.

Quando computados os dados de janeiro e fevereiro, o comércio foi o setor com pior desempenho.

Foram registradas 321 contratações e 450 demissões, o que resultou em saldo negativo de 129 vagas. Apesar do maior número de desempregados, no acumulado do ano, o desempenho da economia de Ilhéus superou a de Itabuna, que demitiu 135 empregados.

 

BETHÂNIA PODE CAPTAR 1,3 MILHÃO PARA CRIAR BLOG

A cantora Maria Bethânia conseguiu autorização do Ministério da Cultura para captar R$ 1,3 milhão e criar um blog.

A ideia é que o site “O Mundo Precisa de Poesia” traga diariamente um vídeo da cantora interpretando grandes obras da literatura. O diretor Andrucha Waddington seria o responsável pelos 365 vídeos.

Há cerca de três anos, Bethânia teve um pedido de captação de R$ 1,8 milhão para uma turnê rejeitado.  No entanto, Juca Ferreira (titular do ministério na ocasião) ignorou o parecer e autorizou a captação um pouco inferior (R$ 1,5 milhão).

VOLTA DA CPMF NÃO É UNANIMIDADE

Em Brasília e nos Estados há incontáveis defensores da volta da CPMF, mas eles são minoria na luta pela volta do imposto.

A julgar pelo que apurou o Ibope, a exumação do tributo morto não é propriamente uma causa popular: 72% são contra.

E se o novo tributo for 100% destinado à saúde? Ainda assim, 67% declaram-se contrários.

Para 87% dos entrevistados, o fardo tributário já é pesado demais. Pior: 79% acham que o peso está aumentando.

Informações Bastidores do Poder

 

LIXO TOMA CONTA DO VILELA E DO SALOBRINHO

A prefeitura de Ilhéus espalha pelos os quatro cantos que está melhorando a vida dos moradores do Teotônio Vilela. Mas, ao mesmo tempo, alguns serviços básicos, como a coleta de lixo, deixam a desejar na comunidade.

O caminhão só tem passado nas vias principais, provocando um acúmulo de lixo nas ruas mais afastadas, o que gera mau cheiro e atrai ratos e baratas.

O mesmo acontece no Salobrinho. A coleta acontecia a cada 2 dias, hoje a bagunça está instaurada, não há dia certo para retirar o lixo das ruas e o acúmulo é inevitável.

Com a palavra Carlos Freitas, secretário de serviços urbanos de Ilhéus.

COMPANHIA FRANCESA APRESENTA “TRILOGIA” EM ILHÉUS

A Companhia Samorodok, de Montpellier (França), apresenta nesta semana em Ilhéus, “Trilogia”, uma obra coreográfica, dividida em três espetáculos com solos de dança contemporânea.

Segundo o ucraniano Waldemar Kretchkowsky, coreógrafo e intérprete da obra, os três solos (O Cavaleiro na Pele de Tigre, Minha Pina e Inside), estão conectados e podem ser vistos como três obras distintas.

A dança, nesta obra, trafega numa cronologia normal na vida dos homens: confrontação, esgotamento e aceitação.

O Cavaleiro na Pele de Tigre, inspirado numa saga georgiana criada pelo célebre escritor Chota Roustaveli, do século XII, corresponde à  confrontação. Será apresentado no Teatro de Ilhéus, nesta quinta-feira (17), às 20h.

Minha Pina, que homenageia a grande coreógrafa alemã, Pina Bausch, corresponde ao  esgotamento. Será apresentado na Casa dos Artistas, na próxima sexta-feira (18), às 20h.

Inside, um solo mais intimista que coloca em cena o processo de criação, reduzindo o espaço e recriando-o através da dança, corresponde à  aceitação. Será apresentado na Casa dos Artistas, sábado (19), às 20h.

O ingresso para cada espetáculo custa R$ 5,00.