HUMOR: NÃO SE FAZEM MAIS RUSSOS COMO ANTIGAMENTE

Neste vídeo, o presidente russo Dmitri Medvedev (de terno azul claro) aparece meio desajeitado, dançando ao som de “American Boy” (que espanto!).

Nos tempos do camarada Stalin, isso jamais seria possível, e esse “american boy” cumpriria trabalhos forçados num “gulag” siberiano.

Pior do que isso, só o fato de saber que meu amigo Carlinhos Pereira (comunista) está filiado ao PSDB.

Cruzes! Enterrem Lenin agora, pelo amor de Deus (Deus?).

A PROPOSTA DE SANTANA “É MESQUINHA E IRRACIONAL”, AFIRMA VEREADOR

O vereador ilheense, Paulo Carqueija (PT), entrou de cabeça na disputa territorial entre Ilhéus e seus vizinhos, principalmente Itabuna. Em entrevista ao blog Cia da Notícia, Carqueija comenta as declarações do deputado estadual Gilberto Santana, que propôs transferir para Itabuna o bairro Salobrinho, e os distritos de Inema, Pimenteira e Banco Central para Coaraci.

O vereador classificou como infelizes e mesquinhas as pretensões do deputado. Além disso, Paulo Carqueija aprovou na Câmara de Ilhéus, uma Moção de Repúdio ao deputado e ainda pediu a suspeição dele na Comissão Especial de Assuntos Territoriais e Emancipação da Assembléia Legislativa.

Clique aqui para ler a entrevista.

em transferir para Itabuna o bairro do Salobrinho e os distritos de Inema, Pimenteira e Banco Central.em transferir para Itabuna o bairro do Salobrinho e os distritos de Inema, Pimenteira e Banco Central.

ILHÉUS É A MESMA DOS ANOS 70, LAMENTA SOCORRO MENDONÇA

Do site Porto Gente

Conhecida por ser uma das vozes mais ativas no combate ao projeto que previa a instalação do Porto Sul em Ilhéus, no Sul da Bahia, a presidente da ONG Ação Ilhéus, Maria do Socorro Mendonça, fez uma reflexão sobre os quase três anos de luta e embates com quem defendia a construção do porto na Ponta do Tulha. Segundo ela, o que chama mais atenção é o estágio atual de desenvolvimento da cidade de Ilhéus.

“O problema é que a Ilhéus de hoje é a mesma da década de 1970, carente do básico. Naquela época, a cidade tinha 66 mil habitantes. Hoje, são 180 mil usando a mesma infraestrutura. Lá, a BR-101 e o Porto do Malhado estavam sendo inaugurados. Agora, estão superados. O centro de Ilhéus foi ligado ao restante da cidade em 1966 por uma ponte que continua a mesma, gerando um caos no que se refere à mobilidade urbana, sem planejamento”.

Para a ambientalista, o que o Governo da Bahia oferece ao propor a instalação do Porto Sul na região é a opção de ir além do caos atual, agravando-o e tirando a possibilidade de se manter a qualidade ambiental local, sem poluição do ar e com uma movimentação de cargas que mudaria radicalmente a rotina do Sul da Bahia.

“O papel de todo cidadão é estar atento ao que planejam os nossos governantes, os quais são humanos e erram. Eu não lutei contra o Porto Sul, isso é um equívoco. A nossa luta é a favor de um modelo de desenvolvimento possível, respeitando as vocações naturais dessa região tão rica que é o Sul da Bahia. Encerro dizendo que toda cautela será pouca neste momento. Não temos vencedores ou vencidos, mas sinto um certo alívio porque os técnicos que contribuíram com o que afirmávamos estavam certos lá atrás”.

O Porto Sul não será mais construído na Ponta da Tulha. A intenção das autoridades baianas é erguê-lo em uma área de 48 milhões de metros quadrados no distrito de Aritaguá, também em Ilhéus.