“GERALDO É INADIMPLENTE COM A MEMÓRIA”

A alcunha “o inadimplente da palavra” criada pelo médico Renato Costa para o deputado federal Geraldo Simões (PT) é, sem sombra de dúvida, um rótulo muito eficiente, popularizado na opinião pública e muito lembrado entre os políticos regionais.

No caso específico, a pecha tem causado problemas a Geraldo, que sempre esbarra no “pé atrás” dos possíveis aliados, quando tenta formar novas alianças para as eleições municipais de 2012.

No último final de semana, a Coluna Livre de José Adervan (jornal Agora), trouxe uma declaração do deputado petista, que não é corroborada por Renato.

“Pedinha” garante que trabalhou para que Renato fosse candidato a deputado federal em 2002, e que o médico, por teimosia, preferiu renovar o acento na Assembléia Legislativa.

Renato afirma o contrário, uma vez que o próprio Geraldo o convenceu a insistir no parlamento baiano.

“Antes de 2002, eu rompi com ele, devido ao seu costume de ser inadimplente com a palavra. Anos depois, percebo que Geraldo também é inadimplente com a memória”, detonou Renato.

REITOR QUER PUNIR 32 PROFESSORES

Joaquim: excesso de formalismo.

O reitor da UESC, Antonio Joaquim Bastos (Quincas), depois de levar multa de mil reais imposta pelo Tribunal de Contas do Estado da Bahia (TCE), em dezembro de 2010, decidiu “abrir fogo” contra 32 professores da instituição.

Os conselheiros do TCE, além do pagamento da multa, determinaram que o reitor “tome providências quanto ao ressarcimento aos cofres públicos dos valores pagos a professores, durante o ano de 2007, a título de gratificação, sem evidências de possuírem os requisitos previstos na legislação”. Os abonos concedidos têm relação com mudança de titularidade, ou seja, quando os educadores concluíram mestrado ou doutorado.

Segundo o advogado Jorge Almeida, que representa um grupo de professores, a decisão do Tribunal originou uma interpretação equivocada. Através de uma medida intempestiva, Joaquim deu um prazo de 5 dias aos docentes, para que devolvam as gratificações recebidas, independente de terem ou não cumprido a legislação.

As devoluções variam de 7 a 30 mil reais, sendo que todos foram obrigados a fazer as restituições, mesmo provando a existência da titularidade, e a entrega dos diplomas no prazo estabelecido. Além do mais, Joaquim determinou que os professores devolvam gratificações de anos anteriores, contrariando a decisão do TCE, que exigiu apenas de 2007, quando não houver evidências das titularidades.

Apenas um professor cumpriu a decisão. Contra os outros, a UESC instaurou processos administrativos.

Jorge Almeida argumenta que o histórico das decisões dos tribunais de contas, relacionadas à devolução de valores excedentes, pagos a servidores públicos, só exige o ressarcimento quando há comprovação de má-fé. No caso dos 32 professores da UESC, não há sequer um único exemplo, já que todos concluíram os cursos e provaram que são mestres ou doutores no momento em que requisitaram as gratificações.

O que está em discussão é a entrega dos diplomas dentro do prazo de 1 ano, um mero formalismo, sendo que a legislação concede os abonos a partir do momento que o docente apresenta a certidão de conclusão, prova incontestável da titularidade.

Por volta das 13h44min desta segunda-feira(25), o Blog do Gusmão tentou manter contato com José Messias, procurador jurídico da UESC. Ele não estava na repartição. Deixamos recado com a secretária, mas até o presente momento não recebemos resposta.

VERCIL RODRIGUES É O MAIS NOVO IMORTAL DA ALI

A Academia de Letras de Ilhéus (ALI) elegeu seu mais novo imortal, trata-se do jornalista e escritor Vercil Rodrigues, que foi eleito na última quarta-feira (20), para ocupar a cadeira de nº 21, que tem como patrono Francisco Borges de Barros. A vaga estava aberta desde maio de 2010, com a morte do poeta Edgar Pereira Souza.

O agora acadêmico Vercil Rodrigues é formado em História, bacharel em Ciências Jurídicas, tem dois livros lançados: Breves Análises Jurídicas e Análises Cotidianas. Vercil é também vice-presidente da recém fundada Academia Grapiúna de Letras (AGRAL).

A posse acontecerá no dia 5 de maio, às 18h30min na sede da Academia, na Rua Antônio Lavigne de Lemos, 39, centro de Ilhéus.

GILLETE DE OLHO NA BARBA DE LULA

A Gillette tem se especializado, nos últimos meses, em remover barbas famosas como estratégia de marketing dos seus produtos.

Depois de “limpar a cara” do cantor Bell Marques, por R$ 2 milhões, e convencer o governador Jaques Wagner por R$ 500 mil, eis que a empresa agora quer aplicar a técnica do “tchan” e “tchum” no ex-presidente Lula.

De acordo com a coluna Tempo Presente, do jornal A Tarde, o maior entrave é o dinheiro, já que, conforme petistas teriam afirmado, o negócio com Lula será “fio a fio”.

A PRINCESA, OS TABLÓIDES E OS CAVALOS

Por Malu Fontes

Em tempos de velhas e novas guerras, catástrofes naturais no mundo e avalanches diárias de violência na TV doméstica, nada mais recomendável para o olhar saturado do telespectador do que voltar aos arquétipos imemoriais dos contos de fadas e consumir doses diárias de emoção alheia, de um tipo ao mesmo tempo novelesco e real: um casamento de princesa que, no mundo inteiro, anuncia-se em contagem regressiva. Quando, no próximo sábado, o príncipe inglês William e a plebeia Catherine Elizabeth Middleton trocarem alianças e pactos de amor eterno na Abadia de Westminster, em Londres, no mesmo lugar onde há 30 anos casaram-se Diana e Charles (pais do noivo), nada menos que 2,5 bilhões de telespectadores em todo o mundo estarão de olhos vidrados na tela. E, estranhamente, cada telespectador saberá mais detalhes da vida privada do casal do que sabe sobre sua própria família.

Sedenta de novos personagens para encher os olhos da audiência, a TV do mundo rendeu-se aos encantos de Kate Middleton desde que o noivado com o príncipe inglês foi anunciado oficialmente ao mundo e ela foi entronizada como o mais novo ícone fashion, embalada em um wrap dress azul (vestido envelope) e ostentando um anel de diamantes e safira do acervo da falecida sogra. Desde então, e num crescendo à proporção que o casamento aproximava-se, o casal principesco foi ocupando com a força de um tsunami todos os espaços midiáticos, dos jornais impressos regionais do interior do Brasil aos sites de moda mais antenados de Tóquio, passando por generosos espaços no francês Le Figaro, que na última quarta-feira inseria um caderno especial dedicado ao casal real. Blasè como exige o comportamento francês, o jornal falava da moça a pretexto de abordar curiosidades dos ingleses, e não dos franceses, claro, sobre a moça. Ah, tá.

(mais…)