POLICIAIS BAIANOS CRITICAM A PRIMEIRA UPP

Policiais trabalham em situação precária.

Policiais militares que atuam na ocupação da favela do Calabar, em Salvador, afirmam que estão trabalhando sob más condições, e dizem que há exploração política da iniciativa pelo governo Jaques Wagner (PT).

Policiais do Batalhão de Choque, que trabalham em regime de 12 horas no local, dizem que recebem comida estragada, dormem no chão sujo e argumentam que o governo busca omitir confrontos que ainda ocorrem com traficantes na favela.

A UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) baiana é a principal aposta da gestão Jaques Wagner para reverter o aumento da violência no estado.

O secretário de comunicação do estado da Bahia, Robinson Almeida, afirmou que as críticas dos policiais não têm fundamento algum. Segundo o secretário nunca houve problemas com a alimentação dos policiais que fazem a ocupação.

O diretor-adjunto de Comunicação Social da PM baiana, tenente-coronel Sérgio Baqueiro, afirmou que a tropa que ocupa a favela trabalha em escala de 12 horas, o que não prevê folga para dormir. “A finalidade não é dormir, é policiar”. Sobre as instalações provisórias da base, Baqueiro afirmou que refletem as próprias carências do bairro. “A realidade é que temos que nos adaptar ao terreno”, completou o diretor.

Informações e foto do Último Segundo.



One response to “POLICIAIS BAIANOS CRITICAM A PRIMEIRA UPP

  1. O governo ainda esta brincando com a dignidade do policial militar, KD as associações? KD o ministério publico? O Governo do estado deveria primeiro ter estruturado as instalações da UPP ao invés de fazer propaganda com uma COISA que ainda não existe. Que se faça o plágio das idéias do Rio de Janeiro, mas vamos roubar idéias e executá-las de forma responsável e respeitando os direitos dos funcionários do povo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *