CONSTATAÇÕES HORRIPILANTES

Por Marcos Pennha

Eu quero aqui prestar meus esclarecimentos, diante da acusação de que não gosto de político. É verdade. Gosto de política – nos dois sentidos. Em verdade, não tenho nada contra o político. Ou melhor, não tenho o antídoto. Por sinal, desejo até que o político vá para o céu. De preferência, bem depressinha. A generalização não é inteligente. Existe político sério da minha admiração como …  é, é, é, … até o final, revelo. Vamos pra adiante.

Bom, não acho que fiz mal ao lembrar do caso dos funcionários que recebiam dinheiro da Câmara Municipal de Ilhéus sem comparecer ao trabalho (Confira: http://www.blogdogusmao.com.br/2011/12/30/adeus-2011-bem-vindo-2012/#more-59925). É que esse fato (ou ato) constitui injustiça, principalmente quando se sabe da existência do contraponto, pelo qual quem comparece não recebe – ah, ah, ah. Nada de pessoal contra o presidente daquela excelsa Casa. Admiro o Dinho, um sujeito simples, batalhador e, sobretudo, corajoso, à medida que se sabe que ele não tem medo de fantasma.

Não gostaria de tocar mais nesse assunto assombração na casa legislativa. Todavia, coisas estranhas acontecem por lá. Veja que, na presidência do vereador Jailson Nascimento (PMN), a casa passou por reforma e ampliação. O gasto foi alto e, no entanto, com pouco menos de um ano já havia goteira. Ihhhhh. Como diria a Dona Pombinha, uma antiga personagem de novela: “Mistério!” Aliás, dizem que a partir da pingueira, intensificou-se a prática de se querer molhar a mão. Outro fato assombrador diz respeito ao vereador Alisson Mendonça (PT), que há quem jure que já o viu, simultaneamente, na Câmara e no Palácio (precisamente, no gabinete do prefeito). Eu hein! Pé de pato, mangalô, três vezes. Isola.  

O assombro da casa tá despertando a curiosidade das pessoas. Mais do que isso já se pensa em fazer um trabalho de exorcismo para afugentar todo mal. Falam até que Mãe Carmosina já foi contatada. Fiquei sabendo que o bispo Silas Malafaia também fora consultado. Não é querendo fazer merchandising, mas dizem que Silas tem um ‘preparado’, numa garrafa, que expulsa o capeta. Uma garrafinha, com líquido suficiente pra expulsar o “coisa ruim” de cinco corpos, custa o precinho módico de cem reais, que pode ser pago em dez suaves parcelinhas de dez, no cartão. Barato, visto que treze dividido por cinco, vai … Ah, deixe essa conta pra lá que não sou o contador da casa.

O importante é que Dinho vai vender sua fazenda para tapar o rombo deixado pelos fantasmas. O valor de 80 mil reais, alardeiam as más línguas, vai parar nas mãos de Bahia. Minha gente, Bahia não é mais o responsável pela pasta da Fazenda municipal. Ele agora só planeja. Não podemos negar que a atual administração ilheense é a mais democrática de todos os tempos. Notem que, pela primeira vez na história baiana, podemos afirmar que quem tá com Bahia tá com Vitória. Quem não tá, não tá com nada. Fico a imaginar a sensação de Bahia em frente àquela dinheirama no valor de oitenta mil pratas, como se diz no popular. Vejo-lhe com os olhinhos brilhando, encarnando o Michel Teló: “Nossa, nossa/ assim você me mata/ Ai se eu te pego, …”

Não pensem que tenho algo contra o Bahia. Pelo contrário, nutro admiração por sua pessoa como empreendedora. O empreendedorismo é contagiante. Muita gente lembra que a capacidade empreendedora do Bahia contagiou sua ex-secretária do lar, que se tornou uma empresária no ramo de informática.

Tô despedindo-me, momentaneamente. Não sem antes revelar, conforme prometido lá em cima, qual o político que admiro. Pra ser mais preciso, são três políticos baianos: Moacyr Leite (prefeito de Uruçuca)/ PP, José Nilton Azevedo (prefeito de Itabuna)/ DEM e Newton Lima (prefeito de Ilhéus)/ PT. Moacyr é religioso. Ele frequenta a “Testemunha de Um Bar”. Azevedo caminha na cidade com sua correligionária Maria Alice no país das maravilhas. Newton Lima tem jeito de herói. Se ele pintar o cabelo de loiro e colocar a espada na mão, só lhe faltará a força de He-Man. A força para enfrentar os diversos esqueletos mal assombrados do palácio.

O ponto comum nesses três políticos, que me desperta admiração, é a coragem. Um inventor descobriu o espelho mágico da verdade, onde a pessoa, diante de sua imagem, faz uma afirmação. Se for mentira, o sujeito, PLUFT, some. Esses três tiveram a coragem de passar pelo teste. Moacyr, espelhando-se, falou: “Penso que sou o melhor prefeito da Bahia”. PLUFT. Sumiu. Azevedo: “Penso que sou o melhor prefeito do Brasil”. PLUFT. Sumiu. Newton ajeitou a vasta cabeleira, entertelou-se e, com sua voz um tanto embasbacada, diante do espelho, disse: “Penso ..” PLUFT. Sumiu.

Contato com o autor: [email protected]



2 responses to “CONSTATAÇÕES HORRIPILANTES

  1. Vejo-lhe com os olhinhos brilhando, encarnando o Michel Teló: “Nossa, nossa/ assim você me mata/ Ai se eu te pego, …”

    FANTÁSTICO.. É A PRIMEIRA VEZ QUE LEIO ALGO DO MARCOS PENNHA,VALEU APENA. ALIÁS, A SABRINA DE BRANCO E O RICARDO RIBEIRO (PIMENTA NA MOQUECA) JÁ HAVIAM ME FALADO DAS QUALIDADES DO MARCOS PENNHA, NÃO TITUBEARAM NOS ELOGIOS…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *