PREFEITO DE CAMAMU ESTIMA ROMBO DE R$ 3 MILHÕES NO MUNICÍPIO

No cargo há menos de uma semana, o novo prefeito de Camamu, José Américo (PSD), estima que um rombo de R$ 3 milhões conste nas contas do município.

Américo substitui Iona Queiroz (PT), cassada no dia 10 de julho pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), acusada de abuso de poder econômico e político.

Segundo José Américo, ao deixar a prefeitura no dia 10 de julho, assessores de Iona levaram vários documentos, o que está dificultando a auditoria nas contas.

A análise já identificou inúmeras dívidas. Somente em débitos com uma empresa de recarga de cartuchos, o valor já chegaria a R$ 30 mil.

Prestadoras de serviços nas áreas de educação, saúde e serviços urbanos também estão na fila para receber pagamentos da prefeitura.

JUSTIÇA BLOQUEIA BENS DE JUQUINHA DAS NEVES PARA EVITAR LAVAGEM DE DINHEIRO

Juquinha das Neves.

Com base na nova Lei de Lavagem de Dinheiro, a Justiça Federal de Goiás determinou na quinta-feira (12) o confisco dos bens do ex-presidente da Valec Engenharia, Juquinha das Neves. Ele é suspeito de desviar recursos de obras públicas.

Essa foi a primeira aplicação da nova regra de combate à ocultação da origem de recursos obtidos por meio de atividades ilegais, que entrou em vigor na terça (10).

A ordem de embargo dos bens de Juquinha partiu do juiz Paulo Augusto Moreira Lima, o mesmo que mandou prender o bicheiro Carlinhos Cachoeira.

Juquinha foi preso pela Polícia Federal (PF) no último dia 5, durante a Operação Trem Pagador, que investiga desvios de recursos da Valec, responsável pela construção de ferrovias em todo o país.

SOLAR AMBIENTAL NÃO CUMPRE DIREITOS BÁSICOS DO TRABALHADOR

O Sindicato dos Trabalhadores em Limpeza Pública de Ilhéus puxou uma paralisação na coleta de lixo na manhã de ontem (sexta, 13), em protesto ao descaso da Solar Ambiental com seus funcionários.

Num ofício enviado à empresa pelo Sindilimp, são listadas várias reivindicações da categoria, em sua maioria direitos básicos que são ignorados pela Solar, trazida para Ilhéus pelo ex-secretário de serviços urbanos, Gerson Marques.

O sindicato reivindica a implantação da comissão interna de prevenção de acidente (CIPA), instalação do ponto eletrônico, pagamento das horas extras, horário regular para refeição, assistência para quem sofreu acidente de trabalho, pagamento do tíquete de alimentação e cesta básica, como acordado entre sindicato e patrões.

Nem mesmo banheiro e água potável são oferecidos aos trabalhadores na garagem da empresa.

A paralisação da categoria foi encerrada ontem à tarde, sem um posicionamento da empresa.

Segundo fontes, a Solar Ambiental não teria motivos para atrasar os salários, nem para deixar de cumprir os acordos, já que os repasses da prefeitura estariam caindo na conta da empresa mensalmente.

SALÁRIOS ATRASADOS NO HOSPITAL SÃO JOSÉ

Funcionários do Hospital São José, em Ilhéus, estão com os salários de junho atrasados. Até agora, somente o vale transporte foi pago.

Os pagamentos deveriam cair entre os dias 05 e 10, mas até agora nada.

Ao cobrarem na tesouraria do hospital, os funcionários ouvem que até agora só há dinheiro para pagar o transporte, para os salários, vão ter que esperar mais alguns dias.

PROFESSORES VÃO ENTREGAR NOVA PROPOSTA

Após recusar a proposta apresentada pelo Ministério Público, o sindicato dos professores da Bahia (APLB) informou que enviará outra proposta para o MP, que será responsável por apresentá-la ao governo do estado.

Segundo Rui Oliveira, coordenador geral do sindicato, o comando de greve já elaborou a proposta, que será votada por todos os professores em assembleia geral na quarta-feira. Em seguida o documento será encaminhado para o MP-BA.

Do outro lado, o governo do estado já antecipou que não pretende alterar os termos da proposta, pondo mais reticências na greve da categoria, que já dura 95 dias.

PARA FIFA, SUBORNOS E PROPINAS FAZEM PARTE DO SALÁRIO DO BRASILEIRO

Do iBahia

O processo contra cartolas brasileiros divulgado pelo Tribunal da cidade de suíça de Zug, na quarta-feira (11), revela mais absurdos do que apenas os valores de casos de corrupção. Para completar, a Fifa, entidade máxima do futebol mundial, classificou as atitudes ilegais de Ricardo Teixeira e João Havelange como “normais”, justificando que a “maioria da população” da América do Sul e da África tem nos subornos e propinas parte de sua renda “normal”.

A informação é do repórter Jamil Chade, do jornal o “Estado de São Paulo”, que teve acesso à íntegra do processo. A Justiça ordenou que o ex-presidente da CBF e o presidente de Honra da Fifa devolvessem US$ 2,5 milhões para os cofres da organização, mas a defesa da entidade alegou que seria impossível implementar a devolução. É aí que aparece o argumento surpreendente dos advogados.

“Os representantes legais da Fifa são da opinião ainda de que implementar a devolução do dinheiro seria quase impossivel. Eles justificam isso, inter alia, com o argumento de que uma queixa da Fifa na América do Sul ou África dificilmente seria aplicada, já que pagamentos de subornos pertencem ao salário recorrente da maioria da população”, diz trecho do completo argumento dos advogados da Fifa.

Processo – Juntos, Ricardo Teixeira e João Havelange receberam cerca de R$ 45,5 milhões, diretamente ou através de empresas, para facilitar a negociação de contratos da Copa do Mundo. Em 2010, a procuradoria fechou acordo com os acusados e com a Fifa para encerrar o processo e tornar os dados sigilosos. Mas jornais suíços e a televisão inglesa BBC lutaram pela publicação da ação e ganharam.

COMUNIDADES ECLESIAIS SE REÚNEM EM ITABUNA

“Justiça e Profecia a Serviço da Vida no Nordeste”, esse é o tema do 6º Nordestão das Comunidades Eclesiais de base – CEBs, que acontece em Itabuna entre os dias 19 a 22 de julho.

O encontro tem como objetivo a preparação do Intereclesial, encontro que reúne as CEBs d toda a América Latina.

A abertura do 6ºNordestão acontecerá na Vila Olímpica de Itabuna na noite do dia 19 de julho, as atividades do Encontro ocorrerão também na Paróquia Santa Rita e no Colégio Lourdes Veloso. As celebrações e atividades culturais são abertas ao público.

Os encontros das Comunidades Eclesiais de Base acontecem desde 1990. Em Itabuna, as CEBs surgiram na década de 60, quando ocorreu o Concílio Vaticano II, para resgatar o uso comunitário do evangelho e a relação da Igreja com a sociedade.