NOSSA ILHÉUS, NOSSO SÃO JOÃO

Por Marcos Pennha

“A fogueira está queimando em homenagem a São João …” “Com a filha de João, Antônio ia se casar. Mas Pedro fugiu com a noiva, na hora de ir pro altar …” “Olha pro céu, meu amor. Vê como ele está lindo. Olha praquele balão multicor. Como no céu vai sumindo …

Esses são trechos de algumas canções, que fizeram sucesso no São João de outras épocas. A música tem a capacidade de levar a gente ao passado, trazendo os bons momentos ao presente.

Lembro-me bem das boas festas juninas dos anos 70, 80 e 90. Tudo começava na semana do Santo Antônio com as reuniões religiosas nas casas até o dia 13 de junho, quando se comemorava o cognominado santo casamenteiro. No dia 29 de junho, o São Pedro, padroeiro das viúvas, que antigamente se trajavam de preto em sinal de luto.

Todavia, o grande prestigiado, mesmo, era o São João. Eta, festança boa! No passado, nem tanto distante, esse evento era uma manifestação familiar. Não que, hoje, não seja. É que, tá mais comercial. Tenho saudade daquele fulejo junino em toda Ilhéus, especialmente no nobre bairro Pontal, onde vivi infância e parte da juventude.

As ruas ornamentadas com as coloridas bandeirolas. As fogueiras, as quais eram construídas até por crianças, que saíam à cata de lenha. As iguarias típicas: amendoins torrados e cozidos, milhos cozidos e assados, bolos de diversos sabores, etc. Delícias preparadas pelas famílias. À noite, era aquele movimento de gente batendo nas portas, perguntando: “São João passou por aqui?” Bom aquele divertimento das quadrilhas (não essas formadas pelos malfeitores). Damas e cavalheiros naquela dança típica gostosa. Cavalheiros, trajando camisa xadrez e calça remendadas, usando chapéu de palha. Damas, com vestido rodado, quadriculado, exibindo a feição maquiada, com pintinhas na bochecha, batons nos lábios, realce nas sombracelhas e cabelo dividido ao meio, preso cada parte por um acessório chamado “maria chiquinha”.

O puxador da quadrilha coordenava os passos dos casais de caipiras, que se balançavam com as mãos seguras, uma à outra, voltadas para trás: “Olha a chuva”. Todos faziam a proteção com as mãos acima da cabeça. “Olha a cobra”. Todos pulavam. E por aí vai. Anarriê!

A praça São João Batista, as ruas Cassimiro Costa, Barão do Rio Branco, Castro Alves, a Nova Brasília, todo Pontal enfeitado com motivos juninos. “Oi tum, tum, bate coração. Oi tum, coração pode bater …”

Nossa Ilhéus reviverá esses bons momentos. Nosso mestre, ativista político/ social José Henrique Abobreira esteve participando de uma reunião, na manhã de sexta-feira (19 de abril), no auditório da Casa de Cultura Jorge Amado, com o secretário municipal de Turismo, Alcides Kruschewsky; o vice-prefeito e secretário de Indústria e Comércio, Carlos Machado; e a supervisora de marketing da TV Santa Cruz, Lacivane Xavier.

Alcides, Carlos e Lacivane apresentaram o projeto São João dos Bairros, cujo tema é Paz e Tradição, aos representantes dos bairros contemplados: Barra, Pontal e Olivença. O evento é uma promoção da TV Santa Cruz, em parceria com a prefeitura. Acontecerá dias 19 de maio, 2 e 16 de junho próximos. Na Barra, contemplará moradores da zona norte da cidade. A zona sul será concentrada no Pontal. Olivença foi beneficiado, por ter recebido o troféu São João dos Bairros/ 2012, como o mais animado.

Comidas típicas, brincadeiras, apresentações de quadrilhas, concurso da rainha do milho, música e muita dança compõem a programação do projeto. A organização da festa entregará o troféu São João dos Bairros para a comunidade que se destacar nos quesitos participação e organização.

O São João dos Bairros é um projeto da TV Santa Cruz, iniciado em 2011, com o objetivo de resgatar a força das festas populares, preservando e fortalecendo a cultura nordestina. Homenageando o escritor Jorge Amado e o cantor Luiz Gonzaga, com o tema “100 anos de cantos e contos”, em 2012, Ilhéus ganhou a primeira edição do projeto que beneficiou os bairros Hernani Sá, Teotônio Vilela e Olivença.

* Marcos Pennha atua como assessor de comunicação. É associado-fundador do Instituto Nossa Ilhéus e, acima de tudo, cidadão. Leia outros artigos aqui. Contatos: [email protected].



3 responses to “NOSSA ILHÉUS, NOSSO SÃO JOÃO

  1. ótima iniciativa, que tudo dê certo, só não gostaria que não houvesse acpção de pessoas em relação apresentação dos músicos da cidade, já em outra gestão sempre que procuravamos p apresentamos nosso trabalho, ah! a genda já está completa, ou vamos v, na próxima, enfim.
    Pô a gente não quer só comida a gente quer comida, diverssão e arte.

  2. Muito bem feito o texto, gostei e obrigada por mandar para o meu e-mail, vou ficar atenta e ler sempre. Boa Sorte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *