EM QUATRO ANOS, DINHO GÁS CONSEGUIU APROVAR 21 PROJETOS DE LEI

dinho

Seguindo a ordem alfabética, já mostramos o desempenho de AlcidesAldemir, AlissonGurita e Carmelita, no que diz respeito à aprovação de projetos de lei durante a legislatura passada. Hoje será a vez do ex-vereador Dinho Gás.

Segundo o Instituto Nossa Ilhéus, o vereador Edivaldo Nascimento de Souza (Dinho Gás), do PSD, entre janeiro de 2009 a dezembro de 2012 não tirou nenhuma licença.

Nesse tempo, o vereador teve 21 de seus projetos de lei aprovados. Um deles refere-se à proibição de pipas com cerol. Outro dispõe sobre a proibição de papel térmico em cupons fiscais e outro criou o teste vocacional para alunos de rede pública. A maioria de seus projetos (86%) reconheceram algumas instituições como de “utilidade pública” ou alterou o nome de logradouros públicos.

O vereador também atuou em três projetos da mesa da Câmara de Vereadores que alterou a estrutura organizacional do município e reajustou os subsídios de cargos eletivos para a próxima legislatura. Dinho também foi presidente do legislativo ilheense de 2011 a 2012.



3 responses to “EM QUATRO ANOS, DINHO GÁS CONSEGUIU APROVAR 21 PROJETOS DE LEI

  1. só projetos medíocres . tem que constar nessa pesquisa tambem que ele aprovou o reajuste da tarifa de onibus por duas vezes

  2. A citada “criação do teste vocacional” pelo Vereador Dinho Gás (entre “outras menoridades” (sem ofensa) (porque, Grandes Projetos!!!… ninguém os vê!…),aprovadas pelos ex-Vereadores da nossa Câmara Legislativa e na última Legislatura (para não ir mais longe), tem servido para quê? Têm-se cumprido? Estão homologadas? Quem fiscaliza o cumprimento compulsório das mesmas?, Etc.) para alunos da rede pública, dá-me ensejo de perguntar: É gratuito? Pode ser executado aqui em Ilhéus? Está regulamentado? Também é conferido e aprovado por agentes públicos?. Gostaria que o Instituto Nossa Ilhéus também nos informasse se isto se está a cumprir e se consta na Lei Municipal.
    Quanto ao reajuste de vencimentos e subsídios, dos cargos eletivos da atual Legislatura, não teve este Vereador, tal como os outros, “influência nenhuma”, já que a isso, a legislação os obriga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *