ANEL LANÇA PETIÇÃO ONLINE CONTRA RESTRIÇÕES DA MEIA-ENTRADA

Charde do www.anelonline.com.
Charde do www.anelonline.com.

Neste mês de julho, o Estatuto da Juventude foi aprovado nos poderes legislativos e encaminhado para sanção da presidente Dilma Rousseff.

A Assembleia Nacional dos Estudantes – Livre (ANEL) condena aspectos do projeto que, restringe o acesso à meia-entrada e determina o monopólio da UNE (União Nacional dos Estudantes), UBES (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas) e ANPG (Associação Nacional de Pós-Graduandos), na concessão das carteiras estudantis.

O Estatuto regulamenta a restrição da meia-entrada à carga de 40% da lotação dos eventos culturais, como teatro, cinema, museus e espetáculos musicais.

Na última quinta (18), em entrevista concedida a este blog, Davidson Luís, integrante da ANEL, criticou o projeto. Segundo ele, a medida dará margem para que os empresários (produtores dos eventos) soneguem o acesso dos estudantes à meia-entrada, alegando sempre que, “a cota de ingressos com preço reduzido se esgotou”. E este tipo de conduta seria de difícil fiscalização por parte do poder público.

De acordo com Davidson, o privilégio do monopólio, concedido às entidades estudantis ligadas ao governo, também atravanca o acesso dos estudantes à meia-entrada. Como apenas as carteirinhas estudantis emitidas por elas teriam validade, as identificações de universidades e escolar perderiam seu valor. Além do mais, as carteirinhas oficiais não serão gratuitas e o preço de renovação será cobrado, anualmente, aos estudantes associados.

O representante da ANEL finalizou a entrevista destacando que, se sancionado, o Estatuto atentará contra os direitos conquistados por essa mesma juventude. Pois, limitar o acesso dos estudantes aos eventos culturais da cidade é uma medida contra o ideal da formação ampla dos sujeitos sociais. 

A petição pública promovida pela  ANEL pode ser assinada aqui.



One response to “ANEL LANÇA PETIÇÃO ONLINE CONTRA RESTRIÇÕES DA MEIA-ENTRADA

  1. Essa lei da meia-entrada é um absurdo. Só devia funcionar para serviços públicos. Para quem não sabe, o cálculo do bilhete de entrada só leva em consideração o preço da meia. EXEMPLO: o custo de um show de rock de R$500.000,00 com expectativa de 10.000 pessoas sairia por R$50,00 de custo/pessoa, Com uma margem de 100% o ingresso é vendido por R$100,00 a meia-entrada(pode acontecer de só jovens estudantes comprem. sendo assim, a inteira terá de ser vendida a R$200,00. Se 20% do público pagar inteira o lucro sobre para 140% e com 30% de adultos o lucro sobe para 160%.
    Quem paga a meia não é o estudante mas seu pai que se quiser acompanhar o filho menor, terá que pagar o dobro do valor real.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *