CARTA DE UM MÉDICO CUBANO AOS BRASILEIROS

Médicos cubanos. Imagem retirada do site pragmatismopolitico.com.br.
Médicos cubanos. Imagem retirada do site pragmatismopolitico.com.br.

No último sábado (20), o site pragmatismopolítico.com.br divulgou a carta enviada por um médico cubano que mora e trabalha no Brasil. Juan Carlos Raxach reside no país desde 1998 e, atualmente, é assessor de projetos da Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS – ABIA.

Na carta, Juan Raxach ressalta seu orgulho de ter se formado médico em Cuba. Mas o que de fato lhe motivou a escrever é a tristeza com que tem recebido as mensagens (nas redes sociais) e as notícias veiculadas na grande mídia, contra a contratação de médicos estrangeiros (especialmente cubanos), pelo programa do Governo Federal “Mais Médicos”.

Juan respeita as reivindicações dos colegas brasileiros de profissão, no entanto, não admite a difamação contra as escolas cubanas. No trecho a seguir, o médico destaca o reconhecimento internacional da medicina cubana. “Em 2012, a dra. Margareth Chan, diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), reconheceu e elogiou o modelo sanitário de Cuba e destacou a qualidade do trabalho que realizam os profissionais de saúde e os cientistas cubanos, e felicitou às autoridades cubanas por colocar o ser humano no centro da sua atenção.”

Confira abaixo a íntegra da carta assinada por Juan Carlos Rexach:

“Meu nome é Juan Carlos Raxach, cubano, que desde 1998 escolhi o Brasil como meu país de residência, e sinto o maior orgulho de ter me formado, em 1986, como médico em Havana, Cuba.

É com tristeza e dor que vejo as notícias publicadas pela mídia e nas redes sociais, a falta de respeito e de solidariedade proveniente de alguns colegas brasileiros, profissionais ou não da área da saúde, que atacam e desvalorizam os médicos formados em Cuba como uma forma de justificar a sua indignação às medidas tomadas pelo governo brasileiro no intuito de melhorar a qualidade dos serviços do SUS.

A qualidade humana e a alta qualificação dos profissionais de saúde cubanos têm permitido que ainda hoje, quando o país continua a enfrentar graves problemas econômicos que se alastram desde os anos 90, após a queda do campo socialista da Europa do leste, os índices de saúde da população cubana seguem colocados como exemplo para o mundo.

São índices de saúde alcançados através do trabalho interdisciplinar e intersetorial desses profissionais.

Por exemplo, em 2012 a mortalidade infantil em Cuba continuava sendo 4,6 por cada mil nascidos vivos, menor que o índice de Canadá e dos Estados Unidos.

A expectativa de vida é de 78 anos para os homens e 80 para as mulheres. E já em 2011 existia um médico a cada 143 habitantes.

Em 2012, a dra. Margareth Chan, diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), reconheceu e elogiou o modelo sanitário de Cuba e destacou a qualidade do trabalho que realizam os profissionais de saúde e os cientistas cubanos, e felicitou às autoridades cubanas por colocar o ser humano no centro da sua atenção.

Não é desprestigiando nossos colegas de profissão, seja qual for o seu país onde tenha se formado, que vamos colocar em pauta e debater as verdadeiras causas da deterioração da qualidade dos serviços de saúde no Brasil.

Na hora de nos manifestar, o respeito, a solidariedade e a ética são necessários para estabelecer o diálogo e ir ao encontro da solução dos problemas.

Solidariamente,

Juan Carlos Raxach”



8 responses to “CARTA DE UM MÉDICO CUBANO AOS BRASILEIROS

  1. o problema não é se é medico de cuba, bolivia ou EUA, mas sim que se querem trabalhar no Brasil, temos que conhecer a qualidade do medico, com a realização da prova de validação do diploma medico REVALIDA, realizado há muitos anos, agora o governo quer tirar esta avaliação para colocar médicos de origem duvida. Admiro muito a medicina de Cuba, mas se são capazes porque não realizam a prova do revalida. O Governo faz tudo no seu interesse proprio principalmente o PT, pois a grande maioria dos medicos de cuba que querem atuar no país são militantes do PT e MST que foram indicados para estudar fora e tirando essa prova facilitariam a sua volta. Porém todos os medicos nao importa o país deve sim realizar prova, pois a população merece medicos e principalmente saúde de qualidade

  2. Que venha médicos cubanos, estadunidense, vietnamita, francês de qualquer parte, o povo brasileiro precisa de sua formação humanitária, que pelo jeito os do Brasil não praticam.

  3. PERGUNTA QUE NÃO CALLA!! SE EM CUBA É TÃO BOM ASSIM COMO FALAM,PORQUE RAZÃO ESSE “DR” NÃO VOLTA PARA LÁ, POR QUE OS PTRALHAS NÃO SE MUDAM DE UMA VEZ PARA LÁ?

  4. caio de paraqueda aqui em ilheus um suspeito medico cubano que não sabemos sua verdadeira procedencia.ele sempre sugou o dinheiro publico desta cidade quando se aproveita da fragilidade da politica e da incompetencia dos secretarios para acumular cargos na prefeitura desta cidade.ele nunca contribuio com nada para esta cidade . o que se ver são varias criticas de erro de diagnostico e varias queixas de perseguição quando esse cubano tinha cargo de chefia na saúde em ilheus.o hospital regional continua um inferno falta de medicos, remedios ,tec enfer,etc..se o regional e um inferno ele estar no local certo.

  5. caro amigos de Cuba saiba que eu particular mente fiz tratamentos com médicos de vários e sei que o trabalho de vocês e excelente,este desrespeito que esta a com tecendo com o médicos de cuba e a meno ria de Brasileiros muitos destes Brasileiros são os mesmos que a 6 mies atrás falava que medico Brasileiro era um a soqueiro e hoje esta falando que e o melhor do mundo ,mais estão esquecendo que os melhores médicos aqui e que fazem residencia em outro pais a realidade e que os médicos a qui querem ganhar rios de dinheiro eles não tão nem ai para as pessoas .eles maltratarão o povo e agora querem jugar o povo contra nossos irmãos cubano boa sorte e seja bem vindo a o Brasil que Deus a abençoe todos vocês

  6. Nunca houve nesse pais, por parte da classe médica, quaisquer tipos de manifestações em prol da saúde pública, do bom atendimento e por melhores condições de trabalho. Entretanto, nos últimos dias vemos médicos esbravejando por todos os cantos do Brasil por causa do MAIS médico. O fato é: pagamos os estudos deles nas faculdades públicas e eles nos retribuir com um péssimo atendimento, constantemente somos vítimas da arrogância, dessa classe, que com algumas exceções se acham superiores aos superiores. São horas e horas de espera para atendimento, médicos faltam aos plantões, receitas prescritas sem avaliação do estado do paciente e ainda há aqueles que só querem trabalhar nos grandes centros para ter vários empregos ao mesmo tempo e ainda manter seus consultórios particulares. Erros, muitos e muitos, com ou sem REVALIDA. Que venham os cubanos, coreanos, africanos, iraquianos… e todos que queiram dá um atendimento humanitário tanto no Acre quanto no Rio grande.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *