NOTA PÚBLICA DO PSOL DE ILHÉUS

Logo_Psol_curvasO Partido Socialismo e Liberdade – PSOL 50 aguardou de forma criteriosa, prudente e sensata para se manifestar publicamente sobre os acontecimentos que vem assolando a sociedade ilheense de modo que possa de forma inatacável e honesta mostrar até onde chegou a incompetência administrativa instalada nesta cidade a partir de janeiro 2013. Uma análise sistemática sobre um governo que após seis meses à frente da prefeitura municipal, não consegue resolver as questões básicas do município.

O povo de Ilhéus merece e exige respeito!

Temos uma história rica, um vasto patrimônio sócio cultural, riquezas naturais maravilhosas além de um povo ordeiro, honesto e trabalhador.

Temos tudo para sermos felizes. Falta-nos, entretanto, uma gestão municipal capacitada a dirigir nossa cidade com compromisso, lealdade e responsabilidade.

A pergunta que fica é, será que o povo de Ilhéus levou mais um calote eleitoral?

Onde se encontra o prefeito que há meses atrás dizia ter a solução para todos os problemas e que por “amor” seria a melhor opção para a cidade?

Afirmava em seus discursos eleitoreiros o seu livre acesso aos governos Estadual e Federal, aos Ministérios em Brasília, aos Deputados e Senadores de base aliada, sua vasta experiência anterior que o qualificava assim a ser o prefeito mais apto para a cidade, e que mudaria a realidade de Ilhéus para melhor.

O Prefeito eleito, depois de transcorridos 06 (seis) meses de sua posse, fica agora se lamentando. Alegando que a situação financeira do município é caótica.

Esquece-se o Prefeito ou faze-se esquecer de que foi ele mesmo que levou a cidade a esta condição. Em sua última gestão, nos estertores do seu último mandato, abandonou a cidade em péssimo estado. Casos gravíssimos de saúde pública, educação sucateada, transporte, limpeza urbana, iluminação publica, segurança e saneamento básico, calçadas e ruas esburacadas. A falência desta gestão deixou Ilhéus sem nenhum tipo de recurso financeiro inclusive, para o início dos trabalhos do novo prefeito eleito.

Complementando estes desmandos aliam-se os precatórios formados em suas outras gestões cujos pagamentos foram sempre postergados e os interessados diretos passando por necessidades vitais de sobrevivência.

Este não é o Prefeito que Ilhéus desejava e quer. Para isto basta verificar as dezenas de processos que o mesmo responde nos Órgãos Públicos e Tribunal de Contas do Município, por não ter cumprido a Lei de Responsabilidade Fiscal e por ter sido e um péssimo administrador.

Você sabe por que a cidade continua como antes?

A resposta é simples. Não existe diferença entre quem governou antes e quem volta a governar! Ilhéus continua nas mãos da velha política viciada e destruidora de sonhos.

Final de 2004. O prefeito que deixava o Palácio Paranaguá entregava uma Ilhéus acabada, destruída resultado de uma incompetência jamais vista, e total desgoverno.

Fruto desses fracassos administrativos o então gestor responde a dezenas de processos que tramitam na justiça que podem lhe trazer sérios problemas, inclusive de prisão apesar de liminares impetradas por seus advogados.

No ano de 2005, toma posse novo prefeito. O caos já existente na cidade foi ainda mais aprofundado com o bloco instalado composto por: Valderico Reis (Prefeito) + Newton Lima (Vice-Prefeito) + aliados.

Com a saída do Prefeito Valderico Reis por improbidade administrativa, assume o vice-prefeito Sr. Newton Lima. Se já era caótica a situação de Ilhéus, se tornou mais ainda após sua eleição para o quadriênio seguinte e pós-incorporação do Partido dos Trabalhadores–PT. São, portanto, 17 anos de descaso contra Ilhéus.

A cidade não pode continuar refém de alianças e acordos que não interessam ao povo!

Janeiro de 2013 assume a prefeitura o prefeito eleito em 2012, juntamente com o seu bloco de aliados e corresponsáveis pelos desmandos que a cidade apresenta. O prefeito recém-empossado recebe a cidade do jeito que ele deixou há oito anos, ou seja, um caos. Situação que infelizmente vem mantendo e a população sofrendo as consequências.

Qualquer cidade torna-se ingovernável quando o seu governante não reúne coragem suficiente para combater a corrupção e os vícios da velha política. O pacto que Ilhéus precisa no momento é a união do povo com o povo, para lutar contra todas as opressões e reivindicar os seus direitos.

O PSOL une-se, portanto, a todas as manifestações de desagravo à esta gestão.

SOLIDARIZA-SE com o movimento REÚNE ILHÉUS por redução das tarifas e qualidade no transporte.

SOLIDARIZA-SE com os servidores municipais por salários mais dignos e pagos integralmente.

SOLIDARIZA-SE com a classe dos professores por salários dignos, instalações e ensino mais eficiente e eficaz.

SOLIDARIZA-SE com a classe médico-hospitalar por melhores instalações e condições à saúde.

SOLIDARIZA-SE com todas as classes trabalhadoras e seus sindicatos participativos, ao mesmo tempo em que:

REPUDIA veementemente a postura do Prefeito e seu secretariado em ausentar-se das discussões perante a sociedade ilheense e os órgãos classicistas.

REPUDIA o DESCASO por esse governo que aí está às áreas da saúde e bem estar social, educação, segurança e transporte.

REPUDIA a contratação e terceirização dos cargos em descaso aos concursados.

REPUDIA a imposição por parte do governo em ter substituído o regime dos servidores municipais de celetista para estatutário, sem um amplo debate com a categoria.

Esta crescente insatisfação e um sentimento de indignação é o que se observa através de manifestações em todo o Brasil e que tem tido respaldos em Ilhéus.

Lutamos e queremos reafirmar os direitos e melhores condições de vida, de habitação, saúde, educação e transporte para os habitantes do meio rural, mais inclusões do povo indígena e dos afrodescendentes em nossa sociedade.

O PSOL através deste manifesto reivindica mais um direito. O direito a dignidade do povo de Ilhéus!



2 responses to “NOTA PÚBLICA DO PSOL DE ILHÉUS

  1. Ninguém tem maior culpa em tudo isso,do que o próprio povo,eles sim é, que tem que aprender a votar e, não trocar o voto,enquanto eles não se conscientizarem disso,a tendencia é piorar.

  2. Fatto: o povo ja conhecia Jabes, mas preferiu agir com covardia deixando de comparecer às urnas ou votando nulo e deixando a decisão na mão do povo viciado no frango e no peixe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *