O DEPUTADO, A CABINE DUPLA ZERADA E A ASSOCIAÇÃO

LucianoPor Luciano Sanjuan Portela

Quando o deputado parou sua cabine dupla Zerada na porta da associação, os humildes agricultores pensaram – “Tudo bem, ele precisa desse carrão, para visitar lugares de difícil acesso como esse”.

E tudo bem mesmo: foram fotos, sorrisos e a “quase” promessa de melhorar o difícil acesso da estrada de chão que liga a esquecida comunidade ao centro da cidade (“o humilde deputado”, diferenciado por princípios, não quis se comprometer, preferia primeiro fazer…) Bonito isso!

Telefones trocados e, na hora de resolver mesmo a questão, de apertar a cela pra montar no cavalo, ou seja, de cobrar do secretário de obras a realização do pequeno trecho, o Deputado já nem atendeu o celular, e os esforços do grupo de pequenos produtores foram por água abaixo.

A estrada continuou ruim e piorando a cada dia.

Hoje, acho que se o deputado parar novamente a cabine dupla Zerada na porta da associação, o grupo vai pensar bem diferente – “um carrão bacana na mão de um agente público desse tipo para quê? Qual o mérito desse cara para ganhar mais de 27 mil e não conseguir consertar nem um pedacinho da estrada?”.

travessia dos agricultoresO produtor, para ganhar o pão de cada dia, vive uma labuta de sol e de chuva, trabalho pesado, transportando as cargas na buraqueira, esquecido no espaço distante. Muitas vezes preso no tempo passado, usado pelas políticas, acossado pelas dividas e expulso pelas invasões.

E os “Deputados” parando as cabines dupla. Frutos de um Brasil ainda injusto, com a mentalidade colonialista da concentração de renda e do servilismo feudal.

Mesmo sem as cabines dupla e as estradas prometidas (ou não) pelos deputados, os agricultores continuam levando seus frutos nas carroças e ônibus lotados, para o bem de todos e felicidade geral da nossa alimentação.



One response to “O DEPUTADO, A CABINE DUPLA ZERADA E A ASSOCIAÇÃO

  1. Bela reflexão professor…infelizmente o povo tem lapsos de memória na hora de votar, não entende que a nossa grande arma é o voto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *