POR QUE RÁDIOS DE ILHÉUS NÃO TOCAM AS MÚSICAS D’OQUADRO?

OQuadro. Imagem registrada por Felippe Thomaz durante turnê da banda na Inglaterra.
OQuadro. Foto: Felippe Thomaz.

Por Thiago Dias

Esta pergunta me inquieta há anos. Em 2012, o lançamento do disco homônimo d’OQuadro agravou a inquietação. Por que uma banda ilheense de sucesso nacional e internacional não tem suas músicas executadas nas rádios da própria cidade?

Desde outubro de 2012, dedico um bom tempo à audiência das rádios ilheenses e nunca ouvi uma música d’OQuadro sendo transmitida por elas.

OQuadro é uma banda de Hip Hop. Não podemos dizer que esse gênero musical está fora do cotidiano das rádios de Ilhéus. Ao contrário, cantores desse estilo gozam de bom espaço na programação, especialmente, os norte-americanos (cujas canções mais difundidas têm forte apelo romântico e sexual).

Cantadas em português agressivo e sofisticado, carregadas de ironia e senso crítico, as músicas do grupo ilheense parecem não agradar quem teria o poder de apresentá-las à população local. Alguém arrisca opinião sobre o motivo?

Rádios influenciadas por grupos conservadores divulgariam uma música como “Tá Amarrado”?  Como elas poderiam propagar o verso “a resistência do Pai de Santo contra o discurso do pastor”?

A poesia d’OQuadro não cabe na programação dos valores hegemônicos difundidos pelas rádios de Ilhéus. O grupo se afirmou e resiste com a força universal da sua obra e o acolhimento daqueles que são tocados por ela. 



11 responses to “POR QUE RÁDIOS DE ILHÉUS NÃO TOCAM AS MÚSICAS D’OQUADRO?

  1. Olá Thiago.
    Eu sempre fiz essa pergunta antes de trabalhar em rádio, depois de entrar nessa caixa de fazer doido (o rádio) rsrsrsrs percebi que ambos, (rádios e músicos locais) ficam um esperando o outro agir para depois reagir.
    Apresento três programas jornalísticos/informativos Notícia em Pauta e Na Bancada (Rádio Baiana) e Cidade Informe (Rádio Conquista). Certo que não são programas musicais, porém já convidei vários músicos para entrevistas, e poucos se propuseram a falar do seu trabalho. Ums por timidez outros por compromissos e alguns até por achar que o horário do meio dia, como é o caso do Programa Noticia em Pauta(Rádio baiana) é ruim eles não podem almoçar mais tarde.
    Não vou citar nomes para não piorar uma relação que já não é tão boa.
    Entendo e inquietação e concordo que devemos sim tocar os músicos locais, mas penso que músicos e rádios devem se encontrar no meio do caminho, um andando de encontro ao outro, para que não fique tão longe para ambos.
    Obrigado pelo espaço, estamos sempre a disposição e feliz 2014 a todos.

  2. A Morena FM sempre tocou O Quadro, assim como os outros artistas da região, dentro de sua filosofia de valorização da cultura grapiuna, desde que foi inaugurada. Por isso, não entendo por que, não só as rádios de Ilhéus, como as de Itabuna, não tocam a banda. Qualidade ela tem.

  3. CIRO ZATELE, compreendi o que você falou, porém eu deixo um questionamento para você e todos os outros radialistas.
    Como foi dito na matéria, as rádios regionais tocam musicas internacionais de hip hop, certo?! Para tocar essas musicas internacionais, foi necessário que eles entrassem em contato com a radio ou vice-versa?
    Grande abraço e feliz ano novo.

  4. Infelizmente alguns diretos de programação de emissoras de maior notoriedade aqui em Ilheus, já tem enraizada a cultura de valorizar o que é “dos gringos” ou do eixo Rio – São Paulo, o que de fora sempre é melhor do que o que a gente produz aqui e isso é uma pena; Talvez os locutores, até tentem tocar, mas não têm autonomia para abrir espaço a musica independente da região. Por outro lado, há pouca articulação por parte das bandas para divulgar seus trabalhos de forma organizada, carecem de produtores, empresários, que estabeleçam um diálogo, publico tem. Todos os shows do Quadro, Dr. Imbira, Mendigos Blues, Plano inclinado, Manzuá, etc, tem público fiel e que valoriza, o que falta é que a grande mídia abra as pernas por amor e não por dinheiro ou piedade ou por achar que estão fazendo um grandessíssimo favor. Pq qualidade os caras têm de sobra. Acredito que todo artista quando esta no inicio de carreira precisa se movimentar, esses artistas de hip hop internacional(como o amigo Marcos questiona) não tem mais necessidade de irem atrás das rádios porque já foram abraçados por GRANDES GRAVADORAS que fazem isso por eles, garantindo o “jabá” de cada dia.

  5. As elites dominantes de Ilhéus aprovam o conteúdo da música e das letras d’O Quadro? E a “imprensa”? Rádios comerciais jabazeiras como as nossas?

    Tá amarrado!

    Basta pensar nas ocupantes dos principais cargos de poder na cidade. Imaginemos quantas delas conhecem a banda mais importante da cena musical de Ilhéus.

    São todos da casa grande, se acham coronéis, acima do bem e do mal. Mandões como o atual prefeito e seus asseclas. Todos brancos racistas ou, pior ainda, capitães do mato de alma branca.

    Mas a força da Senzala está cada dia maior. Marcando sua presença e requisitando seu espaço que sempre foi negado.

    Nosso Racionais é O Quadro. Pelo resto de minha vida direi com orgulho: já vi Pai Jeff, Pai Jax, Pai Da Lua, Pai Victor, Pai Ricô, Pai Freeza e Pai Rans ao vivo em Ilhéus! Várias vezes!!

    Bem aventurados os que não morrem estagnados!

    Comprei o cd por R$ 10,00 na Livraria Papirus.

  6. Gosto muito desse grupo, adoraria ouvir músicas deles nas rádios, mas neste mundo capitalista que vivemos, não é bem assim que funciona. A mídia mostra aquilo que é mais requisitado, que gera mais lucratividade. Exemplo disso: 30 donas de casa gostam de ouvir a programação. Daí tiramos algumas músicas e colocamos outras deste grupo, logo, 10 donas de casa mudam para outra rádio e apenas 2 indivíduos migram para essa rádio. Mais vale uma propaganda depois da música Lepo Lepo do que a música deste grupo. É assim que funciona. É claro que é desejo de todos que tocassem músicas de bandas regionais, valorizar o que é daqui, mas quero vê alguém abrir uma rádio e fazer isso!

  7. Na verdade considero o hip hop,rap,etç,um tipo de música fraquíssima ,porem comercial sim.Olhem que eu disse fraquíssima,mas com toda certeza muito melhor e muito acima dos pagodes arrochas,axés,sertanôjos,gospels e similares.Estou falando de modo geral,não especificamente da banda citada na postagem acima.Como sou apaixonado por Ilhéus se dependesse de mim eu tocaria a banda em todo o Brasil,por serem oriundos da minha terra,independente do meu gosto que vai DE da nata da mpb,(G.Gil,Chico,Caetano,passando pelos grande dinossauros do rock,(Deep Purple,Led Zeppelin,até a postura arrazadora do punk rock nacional,(Os Inocentes,Os Replicantes,juntamente com ìcones do NÂO A MESMÍCIE,internacionais como Dead Kennedys,sex Pistols.
    Não gosto do estilo hip hop,acho uma espécie de sub-produto que no fundo busca mesmo é o sussesso comercial como a maioria.O contrário do punk rock que abomina isto ,jamais se vendeu e que por isto mesmo NÂO TOCA EM LUGAR NENHUM!
    Daí a concordar com os programadores locais ou nâo que deliberadamente não tocam a banda D´OQUADRO por razoes políticas,ideológicas,de censura,ou religiosas,vai muita distancia.Meu gosto pessoal ouço na minha casa,se sou portador de uma concessão pùblica ,no meu entender tenho que contemplar a cultura ativa do local.Até a Globo faz inúmeras reportagens sob eventos evangélicos e a Record sob eventos católicos(menos é claro)ALIÁS gostaria de sair um pouco do assunto para sugerir que os programadores das radios evangelicas e conservadorAS dai ,que toquem muito a mùsica GUERRA SANTA,de G.GIL…
    Então acho que a banda deve insistir,fazedr como muitos hoge “independentes”,Lobão,Agnáldo Timóteo,Marcelo Nova (camisa de venus),entre outros.Será que algum dia assistirei a “D`OQUADRO” no Palco do Rock em Salvador…

    A palavra é livre e respeito “de com fôrça”a qualquer pessoa que discordar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *