UM GARIMPEIRO DA MEMÓRIA PONTALENSE

José Rezende Mendonça. Foto: Thiago Dias/Blog do Gusmão.
José Rezende Mendonça. Foto: Thiago Dias/Blog do Gusmão.

No último sábado 5, o Blog do Gusmão entrevistou José Rezende Mendonça. Ele lançou o livro Pontal – Entre o passado e o presente, no dia 25 de fevereiro. A obra resgata a memória do Pontal a partir da perspectiva do autor.

José Rezende se apresenta como um “saudosista”. Para nós, ele é um garimpeiro da memória pontalense e, portanto, de Ilhéus. Seu livro é fruto dos esforços da lembrança. Conta que só apelou aos livros de história para oferecer ao leitor informações sobre a fundação do Pontal, no século XIX, por pescadores de Sauípe.

O livro tem mais de 400 imagens, que revelam as transformações do Pontal ao longo dos séculos XX e XXI. Entre histórias sobre a Ponte Lomanto Júnior, a travessia da Baía do Pontal e a política ilheense, o autor percorre a trajetória da própria vida.

 

Baía do Pontal - essa é uma das mais de 400 imagens do livro.
Baía do Pontal – essa é uma das mais de 400 imagens do livro.

Momentos trágicos (como o assassinato do seu pai, Laudelino Rezende Mendonça, e a morte do neto Jonnas de Araújo Mendonça) contrapõem-se às lembranças mais felizes, a exemplo dos finais de semana na antiga Fazenda Cana Brava. Para chegar à propriedade, a família costumava fretar um pequeno avião no Campo de Pouso do Pontal – o atual Aeroporto Jorge Amado.

Editar e imprimir 1000 volumes do livro custou R$ 25.000,00, cuja maior parte foi coberta com reservas do autor. Rezende também contou com o apoio de amigos, como o pecuarista Coriolano de Oliveira. Outra ajuda valiosa partiu de famílias ilheenses, que doaram imagens antigas.

O livro custa R$ 40,00 e está disponível na livraria Papirus (centro) e na padaria Rei do Pão (Pontal – Av. Treze de Maio). José Rezende também o vende pessoalmente, basta ligar para (73) 8815-9449 ou 9121-0798. 



One response to “UM GARIMPEIRO DA MEMÓRIA PONTALENSE

  1. Eu estou lendo o outro livro dele PONTAL ONTEM & HOJE (MEMÓRIAS), é um livro muito, leio com minha mãe que tem 72 anos e ela se emociona quando relembra as histórias de seu antigo bairro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *