ILHEENSES ORGANIZAM DEBATE SOBRE A DITADURA

Os participantes vão se encontrar em frente ao Teatro Municipal de Ilhéus.
Os participantes vão se encontrar em frente ao Teatro Municipal de Ilhéus.

Nessa sexta-feira (25), às 18 horas, um grupo de ativistas vai inaugurar o espaço “É ideia” (um tipo de ágora), que acolherá debates sobre temas diversos, na “Praça do Teatro” – centro de Ilhéus. No primeiro encontro, os participantes discutirão a ditadura civil-militar.

O professor de comunicação (UFBA) Emiliano José, o ativista Emílio da Conquista e o jornalista Ernesto Marques são os convidados especiais desse primeiro encontro.

Os organizadores do “É ideia” ressaltam que o debate respeitará todos os posicionamentos e argumentos. 



4 responses to “ILHEENSES ORGANIZAM DEBATE SOBRE A DITADURA

  1. Deveriam ter convidado algum militar da época se seriam todos os posicionamentos respeitados. Ou algum estudioso que observasse esse fenômenos de forma neutra. De acordo com Paulo Bonavides.. foi uma Revolução militar e não golpe. Perguntas a serem respondidas deverima ser também…Houve justiçamentos ?…atos de terrorismo como no aeroporto de Guararapes PE? Foi um ato economicamente financiado pela URSS e Cuba? Quais os reais objetivos das guerilhas?

  2. Numa resposta ao Ricardo: as chamadas “guerrilhas” não foram diretamente financiadas pelos comunistas (URSS e Cuba), algumas conseguiram uns trocados, mas o Golpe Militar de 31 de março de 1964 foi orquestrado e diretamente financiado pela CIA e pela embaixada dos EUA no Brasil, conforme pode ser observado no documentário “O dia que durou 21 anos” sob a Direção de Camilo Tavares (http://www.pequifilmes.com/documentarios-o-dia-que-durou-21-anos.php). Não entendo esta preocupação dos setores conservadores brasileiros, a chamada “neocon”, em tentar maquiar a História e esconder evidências claras de um Golpe Militar contra um governo legalmente constituído e referendado. Ontem foi a América Latina e na atualidade os EUA apoiam e financiam outros golpes de estado mundo afora, como o do Egito; ontem “justificavam” os golpes por causa do “terror comunista”, hoje “justificam” por causa do avanço da religião muçulmana; e amanhã, qual será o novo argumento, a garantia do acesso à água, a outras fontes de energia?. E seguimos em frente com o silêncio da mídia diante destes fatos.

  3. Caro Elvis, todo movimento comunista vinha sendo dirigido desde antes de 35 tanto que depois veio a intentona, os dois lados tinham interesses. Tanto a intentona quanto outros movimentos foram diretamente financiados pela URSS e KGB, não foi pouco dinheiro, tanto quanto treinamento em guerra de guerrilha etc ou não? O problema é direcionar a história com uma teoria específica, a de esquerda…por isso a necessidade da presença dos dois lados.A mídia se cala pelo que acontece em nosso pais hoje…dirigido por pessoas que se dizem da esquerda. Não conhecia o posicionamento do Emílio da Conquista caro Rocha, obrigado pelo esclarecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *