PORTO SUL: ENRC DIFICULTA INVESTIGAÇÃO NO REINO UNIDO

Jornal britânico revela "artimanhas" da ENRC contra investigação. Amplie a imagem.
Jornal britânico revela “artimanhas” da ENRC contra investigação. Amplie.

A informação é do Private Eye. Conforme o jornal britânico, a ENRC, dona da Bahia Mineração, tem dificultado o acesso do Escritório de Fraudes Sérias do Reino Unido (SFO – Serious Fraud Office) a documentos importantes sobre os supostos casos de corrupção que envolvem o nome da multinacional. As suspeitas que pesam contra a companhia forçaram sua saída da bolsa de valores de Londres, em 2013. 

A Bahia Mineração é parceira do Governo da Bahia no projeto Pedra de Ferro/Porto Sul. A empresa planeja operar um dos terminais portuários do empreendimento. Enquanto isso, a ENRC busca investidores para garantir a viabilidade da empreitada, no entanto, diversas suspeitas de fraudes abalam sua credibilidade no mercado internacional de minério.

A reportagem do Private Eye segue abaixo. A tradução é da página “Porto Sul Não!“.

ORGULHO E PRIVILÉGIO

O Escritório de Fraudes Sérias do Reino Unido (SFO – Serious Fraud Office) e os três oligarcas do Cazaquistão que são donos da empresa contaminada por corrupção, a ENRC (Eurasian Natural Resources Corporation), parecem estar prontos para uma batalha legal devido à notada falta de cooperação e ocultação de evidências cruciais que estão causando a obstrução da investigação do SFO, que foi iniciada em abril do ano passado.

(mais…)

SINEBAHIA ILHÉUS OFERECE 54 VAGAS DE EMPREGO NESSA QUARTA

Confira abaixo as vagas disponíveis nessa quarta-feira (19), na agência do SineBahia Ilhéus, que fica na sala 13 do SAC, situado na Rua Eustáquio Bastos, 308, Centro.

Não esqueça de levar a carteira de trabalho, RG, CPF, comprovante de residência e de chegar antes das 9.

Atendente Central Telemarketing

  • Formação: Ensino Superior Incompleto

  • 10 vagas

Auxiliar Administrativo

(Vaga Exclusiva para PCD)

  • Formação: Ensino Médio Completo

  • 1 vaga

Oficial de Serviços Gerais

(Vaga Exclusiva para PCD)

  • Formação: Ensino Fundamental Completo

  • 7 vagas

(mais…)

LEÃO “NOMEIA” NOVO SECRETÁRIO DO GOVERNO VANE

Alaison Batista, Leão e Roberto Barbosa. Imagem: Pimenta/Facebook.
Alaison Batista, Leão e Roberto Barbosa. Imagem: Pimenta/Facebook.

A informação é do blog Pimenta. O vice-governador eleito João Leão (PP) usou o Facebook para “nomear” o novo secretário de Indústria, Comércio e Turismo de Itabuna. Acontece que o prefeito Claudevane Leite (PRB) sequer exonerou o chefe atual da secretaria, Humberto Ramos Martins.

Leão “nomeou” Alailson Batista de Jesus como titular da pasta. Atualmente, ele dirige o setor de captação de novos investimentos da Prefeitura de Itabuna.

Segundo o Pimenta, o atual secretário de Indústria é “gente do prefeito de Ilhéus”, Jabes Ribeiro. O problema é que JR se desentendeu com Roberto Barbosa, presidente do PP em Itabuna. Barbosa aproveitou o encontro com Leão, “cacique progressista”, para solicitar a saída de Humberto da secretaria. O vice-governador foi além e antecipou o nome do “novo titular”. Não sabemos se Vane aprovou a ideia.

UM PAÍS À BEIRA DE UM ATAQUE DE NERVOS

jamal-padilha-11Por Mohammad Jamal

Eu havia jurado não mais desperdiçar o meu e o seu tempo escrevendo sobre fatos ligados à política, roubos, estupros, estelionatos morais e pecuniários ou a nova metafísica que cinge a casualidade do sexo inesperado na cotidianidade. Mas de tantos os sobressaltos e, de ver tanta gente comum sendo algemada e encarcerada só porque, com “as partes à mostra”, urinava o incontido mijo prévio às ruas da cidade ou, porque o dormido e calórico mocofato do Domingo, em desarranjo, o fez, sem alternativa, cagar involuntariamente as escadarias do palácio-prefeitura; retorno então a opinar sobre o incorrigível e irrecorrível, asseverando que não me listo entre aqueles que perseveram em lamber o leite derramado sobre o piso do quartinho sanitário. Claro que esse leite é perdido.

O nosso país transformou-se num grande campo de cultura tanto para extrativismo quanto para o garimpo e prospecção dos recursos públicos, drenados de forma intensiva e descontrolada pelas chusmas organizadas de alcaides no poder. Perpetuar-se no trono via metodologias enganosas e “sistemas” outros, desprovidos da ética e do respeito, deixou de ser uma simples logística e passou à compulsiva obsessão. É aí, quando os interesses se paralelizam, que a roubalheira se harmoniza como bem ensaiada orquestra, tocando ao ritmo do surrupiado alegro prestíssimo ao compasso 3/8 ou 6/8, de 2% a 20% no p.f. do “o meu primeiro” no breque. Claro, não estou me esquecendo de mencionar que toda orquestra tem um regente; nesse caso em particular, fica implícito tacitamente: há um regente sim.

(mais…)

PONTE DO PONTAL: PRISÃO DE EXECUTIVO NÃO ABALA CONFIANÇA DE RUI

Rui Costa, governador eleito da Bahia.
Rui Costa, governador eleito da Bahia.

A prisão de Ricardo Pessoa, presidente da UTC Engenharia, não abalou a confiança do governador eleito Rui Costa (PT) no futuro da nova ponte Ilhéus-Pontal. Ao menos, essa é a impressão causada por sua resposta ao Blog de Ilhéus sobre o assunto. 

Otimista, Rui prometeu no Twitter: “Em 2016, vamos inaugurar essa importante obra”.

Na sétima etapa da Operação Lava Jato, a Polícia Federal também solicitou o bloqueio dos bens da Constran, informa o Blog de Ilhéus. A empresa pertence ao grupo UTC e é responsável pela construção da nova ponte em Ilhéus.

PARAR OBRAS DE EMPREITEIRAS ACUSADAS SERIA “NEGATIVO”

Presidente do TCU, Augusto Nardes. Imagem: JC Net.
Presidente do TCU, Augusto Nardes. Imagem: JC Net.

A opinião é do presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Augusto Nardes, que se manifestou ontem (17) sobre a sétima etapa da Operação Lava Jato. Segundo ele, paralisar as obras para as quais a União contratou empreiteiras envolvidas em irregularidades com a Petrobras seria “muito negativo para o país”.

De acordo com Nardes, o ideal seria repactuar os contratos. “Parar as obras como um todo seria um grande prejuízo para a nação”, disse. Conforme o presidente do TCU, cada situação deve ser analisada para avaliar se a empresa contratada será classificada como “inidônea”, o que a impediria de estabelecer negócios com a administração pública.

O presidente do TCU explica que as empresas perderiam os valores acima do preço real dos empreendimentos. Dessa forma, o Estado garantiria a diminuição de custos para o erário. Segundo Nardes, o tribunal pode agir com esse intuito.