“NUNCA VI SECAR TANTO”, DIZ MORADORA SOBRE RIO QUE ABASTECE ILHÉUS

Barragem no Rio Santana. Imagem: Adriana Lima.
Barragem no Rio Santana. Imagem: Adriana Lima.

O sul da Bahia enfrenta uma estiagem severa. Segundo uma moradora, o Rio Santana, que abastece a Barragem do Rio do Engenho, já sofre com os efeitos da falta de chuva.

Adriana Lima tem trinta anos e sempre morou no Rio de Engenho, distrito rural de Ilhéus. Está preocupada, pois nunca viu o Rio Santana tão seco. Em algumas partes dele, lamenta a ribeirinha, peixes estão morrendo por falta de água.

Ela nos pediu para alertar a Embasa sobre a necessidade de liberar o fluxo da água represada para evitar que mais peixes morram.

A Embasa usa a água da Barragem do Rio do Engenho para abastecer a zona sul e outras partes de Ilhéus. A estiagem nos levou a procurar a estatal para saber sobre as condições de abastecimento do município.

Não conseguimos contato com o diretor da Embasa em Ilhéus, José Lavigne. Telefonamos na tarde de quinta-feira (10) para a unidade. Nesse sábado (12), ligamos quatro vezes para o número celular terminado em 1544. Também deixamos uma pergunta via WhatsApp: a estiagem que o sul da Bahia enfrenta ameaça o abastecimento de água em Ilhéus?

PSB SE ARTICULA PARA ELEIÇÕES NA BAHIA

Bebeto Galvão.
Bebeto Galvão.

O PSB da Bahia promoveu ontem (11) em Salvador um encontro preparatório para os pré-candidatos a prefeito do partido no estado. O ato contou com a presença do presidente nacional Carlos Siqueira, da senadora Lídice da Mata, do deputado federal Bebeto Galvão e outras lideranças socialistas.

O objetivo foi debater sobre regras eleitorais, propostas da chamada economia criativa, militância e reafirmar o compromisso que os candidatos devem assumir com a bandeira da democracia socialista.

Bebeto comemorou o resultado do encontro, que reuniu filiados de todas as regiões da Bahia, onde o partido pretende lançar cem candidaturas majoritárias próprias. “É importante ressaltar que o nosso desafio não é apenas demarcar território eleitoral com essas candidaturas. Nós queremos, com essas candidaturas, apresentar propostas inovadoras que levem desenvolvimento aos municípios. Queremos candidaturas que dialoguem com os segmentos da sociedade e que façam da política um instrumento de interlocução com os interesses coletivos da população. Não adianta eleger prefeitos, se eles não representam esse espírito de mudança. Queremos crescer, mas crescer com qualidade”, declarou Galvão.

DELEGADO DA PF DE ILHÉUS É CONDENADO A INDENIZAR SINDICALISTA POR DANO MORAL

Luiz Fernandes.
Luiz Fernandes.

Do Blog de Ilhéus

O sindicalista Luiz Fernandes, presidente do Sindicato das Indústrias Moageiras de Ilhéus e Região (Sindicacau), venceu ação judicial contra o delegado da Polícia Federal Samuel Martins, em sentença proferida no último dia 3, pela Justiça Federal. No processo, Fernandes reclamava danos morais por ter sido expulso de uma reunião que teria a coordenação de Martins, em 2012.

Naquele ano, dois homens oriundos de Gana, na África, chegaram ilegalmente ao Brasil escondidos em um navio que atracou no Porto de Ilhéus. Durante as tratativas para repatriá-los, que tinha Luiz Fernandes como um dos responsáveis, o sindicalista e o delegado participariam de uma reunião para definir os detalhes da volta dos dois ganeses, na sede da Polícia Federal em Ilhéus.

Conta Fernandes que, ao entrar na sala, o delegado Samuel Martins simplesmente o expulsou “de forma grosseira, utilizando palavrões e sem aparente motivação”. De pronto, o sindicalista deixou o local, para evitar maior constrangimento.

Alguns dias depois, Luiz Fernandes ingressou com ação por danos morais contra o delegado. Na conciliação, Samuel Martins sequer compareceu ou enviou representante, sendo condenado a pagar 2 mil reais de indenização.

Fernandes comemorou a sentença, por entender que, desta forma, é possível mostrar àqueles que se consideram acima da lei que há limites em sua atuação. O sindicalista pretende doar o valor a uma entidade filantrópica.

SUBWAY MALTRATA EMPREGADOS EM ILHÉUS, ACUSA MPT

subwayO Mistério Público do Trabalho move ação judicial contra as duas franquias do Subway em Ilhéus. As lanchonetes, que pertencem aos mesmos sócios, são acusadas de maltratar empregados.

A procuradora do MPT Sofia Vilela, responsável pela ação civil pública, ouviu cinco ex-funcionários das empresas que afirmam ter sofrido assédio moral. “O assédio moral afeta a autoestima e a produtividade dos profissionais. O indivíduo que sofre com esse tipo de mal-estar e humilhação no trabalho pode entrar em quadro de depressão, gerando risco até mesmo de suicídio. Isso mostra a gravidade da situação, pois é um problema de saúde pública”, explicou Sofia.

A denúncia foi ajuizada na 2ª Vara do Trabalho de Ilhéus. A primeira audiência está marcada para 17 de fevereiro de 2015. Se forem condenadas, as empresas terão que pagar indenizações que pode chegar a R$ 300 mil, dinheiro que será repassado para a Fundação de Amparo ao Trabalhador ou outra entidade filantrópica.

Com informações do Blog Agravo.

O DESLIZE DE OCKÉ SOBRE A SAÚDE DE JABES

Antonio Ocké. Imagem: Arquivo Secom-Ilhéus.
Antonio Ocké. Imagem: Arquivo Secom-Ilhéus.

Ontem (11), em Ilhéus, o secretário municipal de saúde, Antonio Ocké, confundiu palavras decisivas ao explicar a ausência do prefeito Jabes Ribeiro (PP) na inauguração do setor de hemodinâmica do Hospital São José.

JR viajou a Belo Horizonte para realizar uma cirurgia corretiva em um dos olhos. Quando explicou o motivo da viagem, Ocké trocou o termo oftalmologia por oncologia, ramo da medicina especializado no tratamento de tumores cancerígenos.

O chefe de gabinete Victor Veiga estava na plateia e corrigiu o secretário de forma discreta, mas ele já havia notado o deslize assim que ouviu as próprias palavras.

Atualizado às 11 horas.

Antes de atualizar esta publicação, erramos ao dizer que o autor do deslize foi o vice-prefeito Carlos Machado (PP), a quem pedimos desculpas assim como aos nossos visitantes.

PROFESSORA DENUNCIA CALOTE DO TOPA EM ILHÉUS

TOPAUma professora de Ilhéus nos procurou ontem (11) para denunciar o calote que diz ter recebido do programa Todos pela Alfabetização (TOPA), do governo da Bahia. 

Ela atuou no projeto nesse ano. As atividades letivas já foram finalizadas, no entanto, explica que só recebeu duas bolsas mensais de quatrocentos reais cada.

“É assim que eles dizem se preocupar com as pessoas que precisam estudar. Uma tremenda humilhação para nós, alfabetizadores”, lamentou.