VÍTIMA DO AEDES ESPERA 13 HORAS POR ATENDIMENTO EM ILHÉUS

Imagem do jornalista Fábio Roberto.
Imagem do posto registrada no último dia 17 de fevereiro pelo jornalista Fábio Roberto.

Uma vítima do mosquito Aedes aegypti (contaminada com dengue) escreveu hoje (2) no Facebook sobre as condições do posto da secretaria municipal de saúde de Ilhéus. “Estou contaminado faz quinze dias. Dengue. Agressiva. Debilitante. Esperei atendimento no posto mal-ajambrado e apertado numa rua transversal da Av. Soares Lopes. Lá, onde parte da cidade se embola, aperta e estressa, passei mais de treze horas para ser completamente atendido”.

Apesar da longa espera, destacou que foi “bem tratado pelos auxiliares, enfermeiros e médicos. Práticos, rápidos e atenciosos.” Contudo, “eram poucos [profissionais da saúde] para tantos infectados”.

O posto recebe o nome de “Pronto Atendimento”, porque deveria atender os pacientes de forma rápida (com prontidão). Segundo o paciente, não falta empenho por parte dos profissionais. O problema são as “instalações medíocres oferecidas pela prefeitura”.

Seu olhar atento também notou que “havia uma quantidade enorme de lixo no chão, jogado pela população que, sentada e lanchando, esperava ser tratada”.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *