VÍDEO: CRIATÓRIO DO MOSQUITO AEDES EM FRENTE AO POSTO DE SAÚDE

canal
Canal do aedes. Imagem: Emilio Gusmão.

A denúncia é do aposentado Augusto Argolo morador do bairro Hernani Sá em Ilhéus.

O canal do Eixo Principal do bairro tem servido de criatório para o mosquito Aedes aegypti. Segundo Argolo, o governo Jabes Ribeiro e demais autoridades não tomam providências.

Preocupado, ele mostrou ao blog o suposto foco que fica próximo ao posto de saúde.

Assista o vídeo gravado hoje.

“JAMAIS IREI PARA O GOVERNO PARA ME PROTEGER”, DIZ LULA EM GRAMPO

Da Folha de São Paulo

Numa conversa interceptada pela Operação Lava Jato o ex-presidente Lula refuta a ideia de que viraria ministro para escapar do julgamento do juiz Sergio Moro, como interpretam muitos analistas: “Jamais irei para o governo para me proteger”, diz o ex-presidente para o governador do Piauí Wellington Dias (PT).

No diálogo, Lula informa a Wellington Dias qual seria a receita econômica que recomendaria a Dilma caso se tornasse ministro.

“A coisa mais simples que ela tem de fazer é liberar financiamento para governadores e fazer o BNDES liberar dinheiro do PAC [Programa de Aceleração do Crescimento], do PIL [Programa de Investimento em Logística], da puta que o pariu”.

Não há a data da conversa divulgada pela Justiça federal do Paraná, mas o ex-presidente ainda não havia aceitado o cargo de ministro-chefe da Casa Civil.

Em outra conversa, com o cientista político chamado Alberto Carlos, Lula comenta sobre uma suposta ordem de prisão do juiz Sergio Moro: “Ele deve fazer para ver o que acontece”.

O ex-presidente afirma na conversa não temer nenhum tipo de investigação. “Podem investigar minha conta na casa do caralho que não tem um centavo. Esses caras sabem que não tenho apartamento, que não tenho chácara. Fui o conferencista mais bem pago do começo do século 21”, orgulha-se, comparando-se com o ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton. Lula contou em depoimento à PF que recebia US$ 200 mil por palestra.

O juiz Sergio Moro diz ter ordenado o monitoramento do telefone de um assessor de Lula, já que o ex-presidente não usa celular.

O advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins, acusa Moro de estimular uma “convulsão social” com a divulgação de telefonemas. ” Isso não é papel do Judiciário”, disse.

OPERAÇÃO LAVA JATO APELA PARA A CURIOSIDADE MÓRBIDA

IMG_5325

 

Nos surpreende o vazamento de uma conversa telefônica entra a ex-primeira-dama, Marisa Letícia e o filho Fábio Luís. Não identificamos vestígio de interesse público.

A Operação Lava Jato iniciou o linchamento moral da família do ex-presidente Lula, e com essa divulgação apela para a curiosidade mórbida dos que asseiam pelo fim do governo.

Mais um ato político desnecessário do juiz Sergio Moro.

CONVERSAR SOMENTE COM PESSOAS QUE TENHAM OPINIÕES PARECIDAS É RUIM PARA A DEMOCRACIA

Nas redes sociais o acirramento isola, impede a troca de ideias e engessa a democracia. É sempre bom conversar civilizadamente com pessoas que desafiam nossas convicções.
Nas redes sociais o acirramento isola, impede a troca de ideias e engessa o espírito democrático. É sempre bom conversar civilizadamente com pessoas que desafiam nossas convicções.

Do site Nexo

O que acontece quando você só vê opiniões parecidas com as suas

Comportamento nas redes sociais exacerba a polarização. E isso é perigoso para o debate democrático

Chamaram de ‘filtro bolha’ (‘filter bubble’) o isolamento espacial de informação dentro do qual todos estamos quando usamos redes sociais como Facebook e Twitter. Essas ferramentas funcionam com o auxílio de algoritmos, fórmulas matemáticas que usam uma série de variáveis para determinar o conteúdo que exibem para você.

“Acabamos vendo o mundo pela lente das redes sociais. E amizades no Facebook são diferentes de amizades na vida real.”

Christian Sandvig, Professor de Comunicação na Universidade de Michigan, Ohio, em entrevista ao Nexo

A ideia, em si, não é de todo mal: a rede social quer exibir ao usuário apenas o que ele quer ver. Mas fomenta a polarização do debate político e tem outras consequências para a criatividade e o pensamento crítico, de acordo com cientistas.

Usuário se conecta com o que ele tem tendência a concordar#

O filtro bolha e esse isolamento de grupos que pensam diferente são consequência de um fenômeno chamado viés de confirmação, um viés cognitivo cujo efeito é chamar nossa atenção e aprovação para notícias e opiniões que reforcem nossas crenças pré-existentes.

Isso se reflete no comportamento de usuários nas redes sociais. O viés de confirmação faz com que o usuário se conecte apenas com quem concorde com o que ele diz e curta posts na mesma linha. E a rede social transforma essas ações em fórmulas para exibir mais conteúdo parecido com aquele.

(mais…)

EDITORIAL DA FOLHA DE SÃO PAULO CRITICA JUIZ SERGIO MORO

Sergio Moro. Imagem: Agência Brasil.
Sergio Moro. Imagem: Agência Brasil.

O que aconteceu com o velho jornal que apoiou a ditadura militar? A patologia ideológica de esquerda, que só enxerga golpismo na Operação Lava Jato, o acusa de estar tramando o golpe. 

Leia o editorial publicado hoje e tente entender.

Protagonismo perigoso

Em momentos de crispação nas ruas como estes que o Brasil conhece, nada mais importante que dispor de instituições sólidas e equilibradas, capazes de moderar o natural ímpeto das manifestações e oferecer respostas seguras dentro de um quadro de legalidade.

Preocupam, por isso, os sinais de excesso que nos últimos dias partem do Judiciário, precisamente o Poder do qual se esperam as atitudes mais serenas e ponderadas.

Não se trata de relativizar o peso das notícias acerca da Operação Lava Jato, ou de minimizar o efeito político e jurídico das gravações telefônicas divulgadas nesta semana.

O imperioso combate à corrupção, entretanto, não pode avançar à revelia das garantias individuais e das leis em vigor no país. Tal lembrança deveria ser desnecessária num Estado democrático de Direito, mas ela se torna relevante diante de recentes atitudes do juiz federal Sergio Moro, em geral cioso de seus deveres e limites.

Talvez contaminado pela popularidade adquirida entre os que protestam contra o governo da presidente Dilma Rousseff (PT), Moro despiu-se da toga e fez o povo brasileiro saber que se sentia “tocado pelo apoio às investigações”.

Ocorre que as investigações não são conduzidas pelo magistrado. A este compete julgar os fatos que lhe forem apresentados, manifestando-se nos autos com a imparcialidade que o cargo exige.

Demonstrando temerária incursão pelo cálculo político, resolveu assumir de vez o protagonismo na crise ao levantar o sigilo de conversas telefônicas de Lula (PT) bem no momento em que o ex-presidente se preparava para assumir a Casa Civil.

(mais…)

ATORES SE UNEM PARA AJUDAR FIGURINISTA COM PROBLEMAS DE SAÚDE

O figurinista Justino Viana precisa de ajuda.
O figurinista Justino Viana precisa de ajuda. Foto: facebook.

Da ASCOM/TPI

Atores do Teatro Popular de Ilhéus e comunidade artística de Ilhéus e Itabuna estão mobilizados em prol do tratamento médico do renomado figurinista baiano, Justino Vianna. No final do ano passado, Justino foi submetido, em Salvador, a uma cirurgia cardíaca de alta complexidade, sofrendo complicações durante o procedimento, que o levou a ficar dezoito dias em coma e ter um acidente vascular cerebral (AVC), que paralisou o lado esquerdo do seu corpo. 

Impossibilitado de trabalhar, Justino enfrenta dificuldades financeiras para custear os gastos com sessões de fisioterapia, alimentação e medicamentos (cerca de R$ 2 mil por mês), recorrendo aos amigos para isso. O figurista busca na justiça o direito ao auxílio financeiro.

Renda de espetáculo será revertida ao tratamento

Na próxima sexta-feira, dia 18, às 20h, o grupo Teatro Popular de Ilhéus realizará uma apresentação da comédia “Medida Por Medida”, na Tenda Teatro Popular de Ilhéus. Toda a renda será revertida em doação ao tratamento médico de Justino, que assina o figurino do espetáculo, além de outros do grupo, como “Lendas da Lagoa Encantada” e o “Inspector Geral”. O ingresso custa R$ 20 e R$ 10 (meia). 

medida por medida
O espetáculo “Medida por Medida” que será apresentado hoje, às 20 horas, tem o figurino de Justino Vianna. Imagem: TPI.

ESTUDO INÉDITO VAI AVALIAR POLUIÇÃO DAS ÁGUAS BRASILEIRAS POR AGROTÓXICOS

As moléculas de agrotóxicos são bastante instáveis e costumam degradar em moléculas ainda mais tóxicas para a saúde humana. | Foto: Itaipu Binacional.
As moléculas de agrotóxicos são bastante instáveis e costumam degradar em moléculas ainda mais tóxicas para a saúde humana. | Foto: Itaipu Binacional.

Do site Ciclo Vivo

O projeto irá monitorar a quantidade de agrotóxicos nas águas superficiais, especialmente glifosato e antrazina.

No Oeste do Paraná, uma das principais regiões de agropecuária intensiva no País, um estudo inédito sobre a contaminação das águas por agrotóxico começa a ser produzido graças a uma parceria entre Itaipu Binacional, Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila). O projeto irá monitorar, nos próximos dois anos, a quantidade de agrotóxicos nas águas superficiais (especialmente glifosato e antrazina).

Maior consumidor mundial de agrotóxicos, o Brasil conta com diversos estudos que apontam o alto grau de contaminação da produção agrícola nacional. Um deles é o relatório da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), que, no ano passado, revelou que 70% dos alimentos produzidos no País contêm resíduos de agroquímicos. Porém ainda são poucos os estudos que medem essas substâncias no ambiente.

“Esse trabalho vai permitir dimensionar essa problemática”, afirmou o diretor de Coordenação da Itaipu, Nelton Friedrich, na abertura do evento. “O alimento número um é a água. Todos os demais alimentos (e também a vida) dependem dela. E o contaminante número um da água é o agrotóxico”, acrescentou.

Metodologia

Segundo o Instituto Paranaense de Desenvolvimento (Ipardes), o Paraná consumiu 10,4 milhões de quilos de em 2011. Na Bacia Hidrográfica do Paraná três (região de 800 mil hectares que abrange 29 municípios e que corresponde à área de drenagem da bacia do Paraná conectada com o reservatório da Itaipu), a utilização de agrotóxicos está acima da média do estado, chegando a 11,5 kg/hectare/ano. Na região, 62% do território é destinado à produção agropecuária.

(mais…)

CARTA ABERTA DO EX-PRESIDENTE LULA

Ex-presidente Lula foi obrigado a depor à PF.
Ex-presidente Lula.

Enviada pela assessoria de comunicação do Instituto Lula

Creio nas instituições democráticas, na relação independente e harmônica entre os Poderes da República, conforme estabelecido na Constituição Federal.

Dos membros do Poder Judiciário espero, como todos os brasileiros, isenção e firmeza para distribuir a Justiça, garantir o cumprimento da lei  e o respeito inarredável ao estado de direito.

Creio também nos critérios de impessoalidade, imparcialidade e equilíbrio que norteiam os magistrados incumbidos desta nobre missão.

Por acreditar nas instituições e nas pessoas que as encarnam, recorri ao Supremo Tribunal Federal sempre que necessário, e especialmente nestas últimas semanas, para garantir direitos e prerrogativas que não me  alcançam exclusivamente, mas a cada cidadão e a toda a sociedade.

Nos oito anos em que exerci a presidência da República, por decisão soberana do povo – fonte primeira e insubstituível do exercício do poder na democracia – tive oportunidade de demonstrar apreço e respeito pelo Judiciário.

Não o fiz apenas por palavras, mas mantendo uma relação cotidiana de respeito, diálogo e cooperação; na prática, que é o critério mais justo da verdade.

Em meu governo, quando o Supremo Tribunal Federal considerou-se afrontado pela suspeita de que seu então presidente teria sido vítima de escuta telefônica, não me perdi em considerações sobre a origem ou a veracidade das evidências apresentadas. 

Naquela ocasião, apresentei de pleno a resposta que me pareceu adequada para​ preservar a dignidade da Suprema Corte e para que as suspeitas fossem livremente investigadas e se chegasse à verdade dos fatos. 

Agi daquela forma não apenas ​porque teriam sido expostas a intimidade e as opiniões dos interlocutores.

Agi por respeito à instituição do Judiciário e porque me pareceu também a atitude adequada diante das res​ponsabilidades que me haviam sido confiadas pelo povo brasileiro.

Nas últimas semanas, como todos sabem, é a minha intimidade, de minha esposa e meus filhos, dos meus companheiros de trabalho que tem sido violentada por meio de vazamentos ilegais de informações que deveriam estar sob a guarda da Justiça.

Sob o manto de processos conhecidos primeiro pela imprensa e só depois pelos direta e legalmente interessados, foram praticados atos injustificáveis de violência contra minha pessoa e e minha família.

Nesta situação extrema, em que me foram subtraídos direitos fundamentais por agentes do estado, externei minha inconformidade em conversas pessoais, que jamais teriam ultrapassado os limites da confidencialidade, se não fossem expostas publicamente por uma decisão judicial que ofende a lei e o direito.

Não espero que ministros e ministras da Suprema Corte compartilhem minhas posições pessoais e políticas.

Mas não me conformo que, neste episódio, palavras extraídas ilegalmente de conversas pessoais, protegidas pelo Artigo 5o. da Constituição, tornem-se objeto de juízos derrogatórios ​sobre meu caráter.

Não me conformo que palavras ditas em particular sejam tratadas como ofensa pública, antes de se proceder a um exame imparcial, isento e corajoso do levantamento ilegal do sigilo das informações. Não me conformo que o juízo personalíssimo de valor​ se sobreponha ao direito.

Não tive acesso a grandes ​estudos formais, como sabem os brasileiros. Não sou doutor, letrado, jurisconsulto. Mas sei, como todo ser humano, distinguir o certo do errado; o justo do injusto.

Os tristes e vergonhosos episódios das últimas semanas não me farão descrer da instituição do Poder Judiciário. Nem me farão perder a esperança no discernimento, no equilíbrio e no senso de proporção de ministros e ministras da Suprema Corte.

Justiça, simplesmente justiça, é o que espero, para mim e para todos, na vigência plena do estado de direito democrático.

Luiz Inácio Lula da Silva

SECRETARIA DE SAÚDE DE ILHÉUS EXPLICA AÇÕES DE COMBATE À DENGUE

Senhor Emilio Gusmão,

Atendendo a solicitação que o senhor fez por telefone ontem aproximadamente às 15h30min, informei que não teria condições de atendê-lo, tendo em vista que estava em atividade externa e prometi informar os dados pedidos mais tarde.

Observo que os dados pedidos só chegaram a este Departamento, às 14h de hoje (17/03/2016), por conseguinte a solicitação do Senhor às 10h51min não poderia ser fornecida conforme agendei até às 16 horas. Estou passando as solicitações:

a) A sede do município de Ilhéus tem de acordo com nosso acompanhamento do Programa Municipal do Combate a Dengue, 44 bairros, 1.642 quarteirões e 82.226 imóveis no nosso acompanhamento estatístico;

b) O setor de Vigilância Epidemiológica notificou até a 7ª semana epidemiológica, Dengue 1.237, Febre Chikungunya 620 e Zika Vírus 599 casos notificados. O Prefeito de Ilhéus determinou que funcionários de outras secretarias, desenvolvessem atividades no Setor de Vigilância Epidemiológica, para melhorar o lançamento dos casos ocorridos dos agravos citados, como também determinou que um veículo da Secretaria de Serviços Urbanos, dessem suporte as atividades da campanha de combate a dengue no recolhimento de pneus;

c) Por decisão administrativa da Secretaria Municipal de Saúde, só um laboratório de análises clínicas está dando apoio as atividades dos Prontos Atendimento 1 e 2 (respectivamente NAE e antiga SACRO), sendo que as demandas dos Prontos Atendimento, estão sendo atendidas;

d) O Programa Municipal de Combate a Dengue conta hoje com 121 agentes assim distribuídos:

tabela de agentes

 

(mais…)