REDUÇÃO DE VALOR SUGERE MUDANÇAS NAS OBRAS DA NOVA PONTE

José Rezende aponta recuou do mar após assoreamento. Com 533m, nova ponte será maior que a foz do rio Cachoeira (150m).
José Rezende aponta recuo do mar após assoreamento. Com 533m, nova ponte será maior que a foz do rio Cachoeira (150m).

O memorialista José Rezende Mendonça apontou diferenças entre os projetos da ponte em construção na Baía do Pontal, em Ilhéus.

Conforme o primeiro projeto, iniciado pela Constran, a ponte teria 497 metros. O segundo, tocado pela OAS, indica que a ponte terá 533m.  Sob o ponto de vista econômico, a mudança é contraditória. Isso porque a obra cresceu, enquanto o seu custo caiu de 180 para 96 milhões de reais.

Segundo Rezende, antes da construção do Porto do Malhado no década de 1960, a barra da Baía do Pontal tinha 575 metros de largura. Hoje tem apenas 150m. Como o projeto indica que a nova ponte terá 533m, ela será muito maior que a foz do rio Cachoeira.

Placa antiga incluía informações sobre as vias de acesso à ponte.
Placa antiga incluía informações sobre as vias de acesso à ponte.

A placa que anunciava o projeto inicial também citava as vias de acesso projetadas para ocupar a praia da Avenida Soares Lopes e a Avenida Litorânea do Pontal. Sem citá-las, a nova placa se restringe à obra da ponte.

Nova placa não cita vias de acesso.
Nova placa não cita vias de acesso.

A diferença entre os valores dos projetos sugere a possibilidade da licitação vencida pela OAS não ter incluído as vias de acesso à nova ponte, diferente do processo licitatório da Constran. A ausência de informação sobre as vias na nova placa reforça essa hipótese.

No último sábado (29), o Blog do Gusmão afirmou que falta transparência às decisões do Governo do Estado e da empreiteira sobre a obra. Sem os esclarecimentos necessários dos responsáveis, é natural que surjam novos questionamentos.



One response to “REDUÇÃO DE VALOR SUGERE MUDANÇAS NAS OBRAS DA NOVA PONTE

  1. Questionamento: O primeiro projeto da ponte que tem um tamanho menor e tem maior custo. O segundo projeto tem a ponte o tamanho maior e um menor custo. Então seria o mais viável o segundo projeto. O que pregunto, qual o prejuízo ao meio ambiente entre os dois projetos. E se realmente a ponte vai ser construída. Se algum dia a boca da barra voltar a ter seu tamanho original o ideal seria o segundo projeto. Estou vendo ser igual a nossa velha ponte, começou, parou, recomeçou, terminou e hoje está com seus cinquenta anos servindo a todos, firme, forte e imponente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *