TUPINAMBÁS PROTESTAM CONTRA O “MARCO TEMPORAL”

População indígena contra o "marco temporal".
População indígena contra o “marco temporal”.

No último domingo (24), no trajeto entre Olivença e a praia do Cururupe, o povo tupinambá realizou a XVII Caminhada dos Mártires. No ato,  os índios empunharam uma faixa com a frase: “Nossa história não começou em 1988. Não ao marco temporal”.

O marco temporal é uma tese ruralista e ameaça as demarcações das terras indígenas e quilombolas do país, porque defende que apenas o povo que já estava no território reivindicado em 1988, ano da Constituição Federal, tem direito originário à terra.

O argumento dos ruralistas é frágil porque a Constituição não estabeleceu o critério temporal ao reconhecer os direitos dos povos tradicionais, que antecedem inclusive a existência do Estado brasileiro.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *