MORRE FRANS KRAJCBERG, O ARTISTA DA CAUSA AMBIENTAL

Frans Krajcberg morre no Rio de Janeiro aos 96 anos.

Nessa quarta-feira (15), o artista plástico Frans Krajcberg faleceu. Ele estava com 96 anos e há um mês encontrava-se internado no Hospital Samaritano, na zona Sul do Rio de Janeiro. O quadro de saúde dele era considerado frágil, chegou à capital fluminense com várias infecções.

O corpo do artista será cremado. Segundo a galerista de Krajcberg, Marcia Barrozo do Amaral, as cinzas serão encaminhadas até o Sítio Natura, em Nova Viçosa, na Bahia. O local vai se tornar um museu.

As principais marcas do escultor foram as esculturas feitas a partir de troncos e raízes. Sua obra transitou pela escultura, gravura, fotografia e pintura. Em uma entrevista em 2015, Krajcberg falou sobre os motivos e estímulos do seu trabalho. “Estamos passando por momentos difíceis. É preciso falar sobre a destruição do planeta. É preciso falar sobre cultura. Tem um vazio de arte, não se pronuncia mais a palavra ‘cultura’. É uma crise mundial, mas no Brasil parece estar mais profunda. Porque aqui, também se trata de uma crise moral”.

O artista tinha um sítio em Nova Viçosa, no Sul da Bahia.

No Brasil, morou no Paraná e no Rio de Janeiro até 1972, quando chegou a Nova Viçosa, no Sul da Bahia, local onde viveu até o fim de sua vida. Krajcberg estava construindo um museu para abrigar suas obras, que calculava serem em torno de 300. Segundo sua galerista, o museu está próximo de ficar pronto.

Desde 1957, que ele era citado pela mídia enquanto “o polonês naturalizado brasileiro”, mas o artista sempre afirmou, “sou brasileiro”. Nasceu em Kozienice, na Polônia, em 11 de abril de 1921, estudou engenharia e artes na Universidade de Leningrado. Chegou ao Brasil em 1947, depois de lutar na Segunda Guerra Mundial, na qual toda a sua família, de origem judia, foi dizimada no Holocausto.

O Governo da Bahia decretou um dia de luto oficial devido à morte do artista.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *