CAIXA SORTEIA APARTAMENTOS DO RESIDENCIAL CACHOEIRA

Imagem: Clodoaldo Ribeiro/Secom-Ilhéus.

O Sorteio eletrônico dos blocos e números dos apartamentos do Minha Casa Minha Vida, do conjunto habitacional Residencial Rio Cachoeira, será realizado nesta quarta-feira (21), às 11 horas, na Superintendência da Caixa Econômica Federal, em Itabuna.

O coordenador do setor, Welder Santos, informa que o procedimento será realizado internamente pelos responsáveis da gerência de Itabuna, contando com a presença de autoridades locais e convidados. O Residencial Cachoeira possui 600 imóveis e fica no quilômetro 4 da rodovia Ilhéus-Itabuna (BR-415), ao lado do Hospital Regional Costa do Cacau.

APÓS MORTE DE BEBÊ, FAMÍLIA ACUSA HOSPITAL SÃO JOSÉ DE “NEGLIGÊNCIA”

Nelma de Sousa Teixeira. Imagem: Thiago Dias/Blog do Gusmão.

Reportagem: Thiago Dias.

Ontem (19), Elane Teixeira de Sousa, de 20 anos, procurou o Blog do Gusmão, com o propósito de falar à imprensa sobre as circunstâncias da morte da filha esperada por sua tia, Nelma Teixeira. Ambas conversaram hoje (20) com a nossa reportagem. Elane conta que a equipe do Hospital São José, em Ilhéus, constatou o falecimento do bebê na última sexta-feira (16), depois de ter tratado a gestante com “negligência”.

Usuária do Sistema Único de Saúde (SUS), Nelma de Sousa Teixeira tem 26 anos e vive numa comunidade tupinambá em Águas de Olivença, em Ilhéus. Segundo Elane, apesar do apoio que a sua tia recebeu durante o pré-Natal, a Secretaria Especial de Saúde Indígena, órgão do Ministério da Saúde, nesse caso, revelou-se incapaz de interceder efetivamente em defesa do direito à saúde dos indígenas.

Por volta de uma e meia da madrugada de terça-feira (13), o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU) levou Nelma para o Hospital São José. A gestante reclamava de dores. No entanto, de acordo com a família, a enfermeira da unidade avaliou que não havia chegado a hora do parto, recomendou que a mulher voltasse para casa e tomasse “buscopan”.

O SAMU voltou a levar Nelma para o São José. Ela ainda sentia dores. Na manhã de sexta-feira (16), a equipe do Hospital constatou a morte da criança, que seria registrada como Natália. A remoção do corpo ocorreu no fim da tarde. Conforme a família, o Hospital não fez o procedimento antes porque ficou sem eletricidade durante boa parte daquele dia. Elane questiona se a unidade não deveria ter um gerador de energia para esse tipo de ocorrência.

A família levou o caso ao conhecimento da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM) e do Ministério Público do Estado da Bahia.

Nelma nos recebeu para uma conversa breve na casa da sua irmã, no bairro Nossa Senhora das Vitórias, onde se recupera. Com o semblante sério, definiu o sentimento daquele instante como desejo de “justiça”.

Na tarde desta terça-feira, nossa reportagem manteve contato por telefone com o Hospital São José. A secretaria da unidade informou que o caso é investigado internamente, e a entidade vai prestar esclarecimentos quando concluir a apuração. Há a estimativa de que esse trabalho termine amanhã (21) ou até quinta-feira (22).

TEMER INVADE A “PRAIA” DE BOLSONARO, QUE ACUSA O GOLPE

Para professor, presidente acampou na “praia” do discurso contra os bandidos, o preferido de Bolsonaro. Imagem: ultrad.com.br.

O professor da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia, Wilson Gomes, avalia que a investida militar do presidente Michel Temer (MDB) no estado do Rio de Janeiro ocupa pedaço estratégico do mercado eleitoral do deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ).

“Michel Miguel é o cara mais versátil deste país. Quando vê uma oportunidade, se repagina e vira outra coisa. Vai de neoliberal a prende & arrebenta em 10 minutos. Fez o que pôde para tocar a agenda da Fiesp e dos seus patos. Quando viu que deu ruim, resolveu invadir a praia dos bolsominions”, escreveu o professor, que coordena e desenvolve pesquisas sobre as relações entre comunicação e democracia.

No comentário publicado hoje no Facebook, Gomes sintetizou bandeiras levantadas pelos seguidores do deputado federal: “Não é questão de ser contra ou a favor do Bolsonaro. O fato é que ele é o único que faz campanha para a redução da maioridade penal, fim da progressão penal, penas maiores para estupradores, é a favor do porte de armas, etc. Ninguém defende essas coisas dentro do congresso”.

Em resposta a esse imaginário associado ao discurso político do deputado, Wilson Gomes lembrou que “Bolsonaro pode ser tudo isso, mas foi Temer que achou que Ministério da Defesa é coisa de fresco e vai criar o Ministério do Ataque. Enquanto Bolsonaro prometia metralhar a Rocinha, Temer foi lá e mandou as tropas passarem fogo na vagabundagem, esses amiguinhos dos esquerdopatas. Enquanto Bolsonaro promete a mandioca, Temer já está preparando a tapioca, otário”.

A análise do pesquisador coincide com os desdobramentos da intervenção militar no Rio de Janeiro. O governo Temer, autointitulado liberal e modernizante, defende o uso de mandado de busca coletivo nas favelas. Para juristas como Aury Lopes Jr., Esse instrumento jurídico é “absolutamente ilegal e inconstitucional”. No seu curso de Direito Processual Penal, o jurista explica que o mandado  coletivo ou “genérico” pode autorizar buscas “em quarteirões inteiros (obviamente na periferia), conjuntos residenciais ou mesmo nas ‘favelas'”.

É MEU

“Temer já roubou muita coisa, mas meu discurso ele não vai roubar, não”, disse Bolsonaro, em entrevista ao jornalista Tales Faria, do Poder 360.

Em tempo: quando Bolsonaro desembarcou no Partido Social Liberal, membros da corrente liberal do PSL desfiliaram-se da legenda.

ESPETÁCULO SOBRE MÃE ILZA SELECIONA BAILARINOS

Mãe Ilza Mukalê. Imagem: Flávio Rebouças.

A seleção de bailarinos para o espetáculo “Mukalê Oyá Por Nós” vai acontecer nesse sábado (24) e no domingo (25), sempre às 9 horas da manhã, na Tenda Teatro Popular de Ilhéus, que fica na avenida Soares Lopes.

A Organização Gongombira de Cultura e Cidadania, responsável pela seleção, convidou o coreógrafo Zebrinha para dirigir a atividade. O artista integra a Cia dos Comuns (Rio de Janeiro), o Bando de Teatro Olodum e é diretor artístico do Balé Folclórico da Bahia. Atualmente, dirige as coreografias da série Mister Brau. Produzida pela Rede Globo, a narrativa tem os atores Lázaro Ramos e Taís Araújo como protagonistas.

Para se inscrever é necessário ter idade acima de 16 anos, experiência com dança e enviar currículo com foto para o e-mail [email protected] Também é possível entregá-lo na sede da instituição, localizada na Avenida Brasil, 485, Alto da Conquista.

Mukalê Oyá Por Nós

O espetáculo vai estrear no dia 23 de março, no Teatro Municipal de Ilhéus. Ele faz parte da programação da quinta Semana Mãe Ilza Mukalê, evento em homenagem ao aniversário de 84 anos de Mãe Ilza e ao Dia Internacional da Mulher (8 de março). Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (73) 3633-3008 e 9 8809-3958.

EMBASA RESPONDE RECLAMAÇÃO SOBRE DESPERDÍCIO DE ÁGUA

A Embasa enviou hoje (20) ao Blog do Gusmão resposta para a queixa sobre o desperdício de água feita por duas moradores de Ilhéus – lembre aqui.

Conforme a explicação da concessionária, após a entrega da água ao consumidor, a responsabilidade de zelar contra o desperdício é dele, não da fornecedora. No entanto, a Embasa destacou que promove campanhas de conscientização sobre a importância da conservação desse recurso natural. Leia a íntegra.

“Em atenção às reclamações da matéria intitulada “Moradoras reclamam de desperdício de água em Ilhéus”, veiculada ontem (19), a Embasa informa que, mesmo sendo de inteira responsabilidade do usuário a utilização da água após o hidrômetro, a empresa adota medidas para coibir a prática do desperdício. Além de campanhas em diversos meios de comunicação, a empresa realiza atividades socioeducativas nos municípios onde atua, visando não somente alertar para o desperdício, como também para a necessidade de uso adequado das redes de abastecimento de água e de esgotamento sanitário. Ano passado em Ilhéus, a Embasa fez, entre outras atividades, mutirão contra o desperdício de água em bares e restaurantes do centro, dia 23 de março; realizou ações educativas no Instituto Municipal de Ensino Eusínio Lavigne (IMEE); Colégio da Polícia Militar (CPM); Centro Estadual de Educação Profissional em Logística, Transporte e Produção Industrial (CEEP) e Colégio Estadual do Basílio e fez formação de multiplicadores em educação ambiental com agentes comunitários de saúde. 

O trabalho de combate às fraudes também é realizado cotidianamente pela Embasa, uma vez que o consumo clandestino de água contribui para o desperdício. Em 2017, foram regularizadas 340 ligações clandestinas e confirmados 110 casos de “gato”. 9.614 ligações inativas revisadas (com fornecimento de água suspenso por falta de pagamento e sem pedido formal de religação), 1.949 (ou 20%) estavam indevidamente religadas pelo usuário.

Além disso, a Embasa mantém, desde 2016, hotsite com dicas de economia: www.eueconomizoagua.com.br.

De acordo com o artigo 12 do Decreto 3.060, de 1994, compete à Embasa manter, executar, reparar e modificar as instalações dos serviços públicos de água e esgoto externos aos imóveis até o limite do hidrômetro e/ou ramal predial”.