O ÂNUS ELOQUENTE E SEUS FLATOS PROGRAMÁTICOS

Por Mohammad Jamal.

Cruz credo. Nunca vou esquecer o horror que congelou minhas glândulas, quando a palavra funesta cicatrizou em meu cérebro vertiginoso. Andei desorientado pelas ruas como um homem com concussão. A cena que assisto teria destruído minha sanidade. Eu estava em pé na porta do Palácio, de onde presenciei estarrecido à terrível cena quando suas hemorroidas explodiram no carro em movimento e se enroscaram na roda traseira do veículo. Ele ficou completamente estripado, deixando para trás uma carcaça vazia, ali sentada no estofamento de pele de canguru do carro. Ate os olhos e o cérebro, ambos se foram com um barulho gutural horrível. Um plóft! Como o sacar duma rolha numa garrafa de vinho.

Incutindo o terror. Acho que já lhes relatei aquele caso do político que ensinou o ânus a falar, ou não? Não, não era do PT não… O abdome dele mexia-se para cima e para baixo e ele peidava palavras em um som borbulhante, denso, estagnado… Um som que dava para cheirar a estilística socialista marxista da retórica. O homem trabalhava com afinco a própria campanha e de mais alguém. Aquilo começou por ser um novo número de ventriloquias onde promessas e atributos personalíssimos eram peidados em praças públicas em promessas inexequíveis e loas factoides exorbitadas a bem candidato. E ia dando certo. O candidato crescia a cada dia nas pesquisas de intenção de voto.

Doa males, o pior. Só que depois um tempo, incompreensivelmente, o eloquente ânus, personagem mais importante do seu marketing político, começou a falar sozinho. O “dono” entrava num diálogo político-ideológico sem script previamente ensaiado e seu ânus, mente agudizada e infamante, respondia às piadas sobre outros políticos e às conjecturas ideológicas com risível e sarcástica ironia. Um ânus controverso, opositivo, crítico e contestador. Uma ameaça ideológica convincente com verve prosélita e incisivamente cooptativa, que peidava frases intelectualmente complexas e difíceis de contestar, começara a se fazer predominar sobre a situação.

(mais…)

MEGA-SENA ACUMULA E PODE PAGAR R$ 33 MILHÕES NESTE SÁBADO

Apostas também podem ser feitas pela Internet.

Neste sábado, 25, a Mega-Sena sorteia o prêmio de R$ 33 milhões do concurso 2.072, que será realizado a partir das 20h (horário de Brasília) em Itabela, no extremo sul da Bahia.

Caso apenas um ganhador leve o prêmio da Mega-Sena e aplique todo o valor numa caderneta de Poupança da CAIXA, receberá aproximadamente R$ 123 mil em rendimentos mensais. O valor também é suficiente para adquirir 15 apartamentos de luxo, com carro na garagem, nas melhores localizações do país.

As apostas podem ser feitas até às 19h (horário de Brasília) em qualquer lotérica do país e também no Portal Loterias Online .

Clientes com acesso ao Internet Banking CAIXA podem fazer suas apostas na Mega-Sena pelo seu computador pessoal, tablet ou smartphone.

Para isso, basta ter conta corrente no banco e ser maior de 18 anos. O serviço funciona das 8h às 22h (horário de Brasília), exceto em dias de sorteios (quarta e sábado), quando as apostas se encerram às 19h, retornando às 21h para o concurso seguinte.

COMERCIANTE É PRESO COM ECSTASY QUE SERIA VENDIDO NO FESTIVAL DE INVERNO

Foto: Polícia Civil.

A equipe da DTE (Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes) da Polícia Civil efetuou nessa sexta-feira, 24, em Vitória da Conquista, a prisão em flagrante de Glauber Menezes de Oliveira, vulgo Binho, de 32 anos, acusado de tráfico de drogas.

Os investigadores  efetuaram busca no restaurante do acusado, localizado no bairro São Vicente, onde apreenderam maconha e dezenas de comprimidos de “ecstasy” para venda. Também foi realizada uma busca no apartamento de Binho, no bairro Candeias, onde foi maconha foi encontrada, além de um veículo Hyundai Veloster usado no tráfico e uma coleção de relógios de marcas sem notas fiscais.

Foto: Polícia Civil.

O autor foi apontado nas investigações como grande fornecedor de “ecstasy” em Vitória da Conquista, cuja droga seria comercializada no Festival de Inverno, onde o autor instalou um “quiosque” do seu restaurante .

Após ser interrogado na DTE, onde confessou a propriedade das drogas, o preso foi encaminhado para o Conjunto Penal de Conquista.

CARTA À JUVENTUDE CRISTÃ

Por Marcos Vinicius Vieira Reis (Marcolino).

Eu nunca saberei o que significa a dor de parto literalmente, no entanto, eu sinto nascer algo que está sendo gerado dentro de mim há meses. Me chamo Marcos Vinicius Vieira Reis, mas me popularizei pelo nome de Marcolino, nome que ainda tento identificar a origem. .

Pois bem, eu quero falar com você que lê essa carta sobre um tema caro, complexo, no entanto fácil de ser entendido. Política e Religião. Espiritualidade e Cidadania.

É necessário abordar alguns conceitos antes d’eu continuar esta carta.

Primeiro. Há anos deixei de ser militante em movimento social, sindical, estudantil e negro. Por motivos de saúde e posteriormente por escolha particular.

Segundo. A mentalidade reducionista: “política é escândalos de corrupção”, ou “apenas eleições periódicas” e/ou “confusões” é fruto da pouca participação cidadã e fomento do analfabetismo político. Política é o equilíbrio do bem viver e bem comum.

Terceiro. Religião é diferente de espiritualidade. Ao menos no meu ponto de ver e viver. Religião cria dogmas e regras, a espiritualidade liberta e traz um estilo de bem viver.

Dito isso, prossigo com esta carta à juventude cristã, parcela etária que componho, agora em um ambiente menos hostil.

Minha adolescência e início da vida adulta foi marcada pela política, como participante ou co-realizador de conferências, seminários, congressos, calouradas, eventos, passeatas, manifestações, protestos, caminhadas, audiências públicas, palestras e outras atividades que me forjaram uma mentalidade: Perceber, analisar, conjecturar, definir conjunturas e contextualizar as nossas vidas social, econômica e política.

(mais…)