PANORAMA DO SEGUNDO “CAFÉ COM POLÍTICA”

Imagem de arquivo do primeiro encontro do grupo, que aconteceu no mês passado.

A segunda edição do “Café com Política” aconteceu na manhã do último sábado (1º), no Hotel Britânia, localizado no Centro Histórico de Ilhéus. Um dos objetivos do grupo é criar, propor e executar projetos para melhorar qualidade de vida no município.

Idealizador do movimento, o ex-vice-prefeito José Henrique Abobreira explicou que o grupo é formado por pessoas de diferentes origens sociais e políticas, mas, todos os membros têm em comum uma visão de mundo “progressista”. Propôs a criação do projeto Acupuntura Urbana, com o objetivo de pressionar os governantes municipais e estaduais para conseguir revitalizar prédios e terrenos públicos localizados em Ilhéus. Na opinião dele, esses espaços podem ser ocupados por atividades culturais, conselhos populares e associações, por exemplo.

Representante do Partido dos Trabalhadores (PT) no encontro, Ariadne Pimenta defendeu a criação de uma frente de esquerda capaz de reunir movimentos sociais, associações e entidades populares.

O vice-prefeito José Nazal (REDE) foi o terceiro a falar. Para ele, ainda que o grupo reúna diversas identidades, é necessário tomar como pontos de coesão as questões que se impõem a todos os moradores do município. Citou como exemplo a crise hídrica do verão de 2015/2016. Lembrou que a represa do Iguape, responsável pelo abastecimento de 70% das casas de Ilhéus, não teve a resiliência necessária para manter a maior parte dos domicílios ilheenses abastecidos. O socorro veio do rio Santana, que fica na zona sul.

Também mencionou outros desafios para o planejamento da cidade a médio e longo prazo, como a necessidade de construir os planos de saneamento básico e de mobilidade urbana de Ilhéus.

Membro do Partido Comunista do Brasil (PC do B), Cláudio Tupinambá defendeu que o grupo tenha um olhar atento para os servidores públicos e a qualidade dos serviços prestados pelos entes da federação. Disse que se viu obrigado a retirar o próprio filho da escola pública por entender que ela não oferece hoje as condições mínimas para um bom processo educacional.

Além disso, acredita que o movimento em formação deve acompanhar o caso dos servidores que ingressaram no município entre 1983 e 1988 e podem ser demitidos por força de decisão da Justiça.

A mestra de cultura Janete Lainha integra o coletivo. Dentre as suas propostas, está a abertura de espaços para a presença das mulheres no poder, inclusive com o incentivo de candidaturas para cargos eletivos. Também propôs a criação de um estatuto que defina os princípios e objetivos do grupo.

Professor e membro do PC do B, Tiago Pascoal considera importante que seja definido desde já qual é o maior propósito do grupo, a missão que vai nortear a caminhada. Segundo ele, não se pode perder de vista questões pragmáticas e programáticas, como a densidade eleitoral e a qualidade do projeto que deve ser executado. E provocou: “Esse é um projeto para daqui a dois ou seis anos?”, numa referência às datas das próximas eleições municipais.

O servidor municipal Shi Mário (PSOL) defendeu um contato mais próximo com as periferias do município, organizando núcleos nos bairros e nos distritos. Para ele, o grupo pode ser um instrumento de mediação entre as comunidades e os meios institucionais, com o encaminhamento de demandas de diversos tipos.

O encontro também contou com a presença de Mãe Laura. Ela ofereceu o seu terreiro para acolher a próxima reunião do grupo, que ainda não tem data confirmada. Outros membros não puderam comparecer no café desse sábado, mas já confirmaram participação nos próximos eventos.

COLÉGIO VITÓRIA DOMINA OLIMPÍADA DE MATEMÁTICA DO SUL DA BAHIA

Alunos do Colégio Vitória com os certificados da premiação.

Os estudantes do Colégio Vitória garantiram um lugar de destaque para a escola de Ilhéus na Olimpíada de Matemática do Sul da Bahia, competição realizada pela Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC. A cerimônia de premiação ocorreu no último sábado, 1º de dezembro, no Campus Soane Nazaré, sede da universidade. Os alunos do Vitória receberam 41 certificados e medalhas. Confira a lista de premiados do colégio:

(mais…)

NAZAL NÃO VÊ CHANCE DE NOVA DOBRADINHA COM MARÃO

O vice-prefeito José Nazal e o prefeito Mário Alexandre, em registro da campanha de 2016. Imagem: Clodoaldo Ribeiro.

Em maio de 2018, o vice-prefeito José Nazal (REDE) deixou o comando da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável. Na época, anunciou seu rompimento político com o prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre (PSD).

No final do último mês, Nazal concedeu entrevista ao Jornal Bahia Online (JBO). Na ocasião, explicou que seu afastamento do prefeito não é espalhafatoso. “Pensam que a separação política é inimizade, briga, xingar, bater. Eu não trabalho nessa linha nem me considero um covarde por esta minha postura. Ao contrário. Seria muito mais fácil brigar, xingar do que ter uma ruptura ética, de respeito, de civilidade. Faço críticas de frente ao governo”.

Perguntado se existe chance de, apesar do rompimento atual, repetir a dobradinha com Mário nas eleições de 2020, o vice-prefeito descartou essa possibilidade. Por outro lado, reafirmou seu desejo de um dia governar o município.

Na mesma entrevista, Nazal criticou a centralização do poder no núcleo duro do governo municipal. Para ele, esse é um erro que o ex-prefeito Jabes Ribeiro (PP) cometeu e Marão repete. Leia a íntegra.

CONFIRA AS 20 OPORTUNIDADES DE TRABALHO DO SINEBAHIA ILHÉUS

Uma das vagas é para cozinheiro de restaurante.

Confira abaixo as vagas de emprego disponíveis nessa terça-feira, 04, na agência do Sinebahia Ilhéus, que fica na sala 13 do SAC, situado na Rua Eustáquio Bastos, 308, Centro.

Não esqueça de levar a carteira de trabalho, RG, CPF, comprovante de residência e de chegar antes das 9.

AUXILIAR DE LINHA DE PRODUÇÃO (PCD)

Vaga exclusiva para Pessoas com Deficiência

Ensino Médio Completo

Apresentar laudo

01 VAGA

ENGENHEIRO MECÂNICO (Vaga para Jovem Aprendiz)
Ensino Superior em Engenharia Mecânica a partir do 6° semestre

Possuir curso de Informática Intermediaria

01 VAGA

AUXILIAR ADMINISTRATIVO (Vaga para Jovem Aprendiz)

Ensino Superior em Administração ou Economia a partir do 6° semestre

Experiência mínima de 06 meses comprovada na função

Possuir curso de Informática Intermediaria

01 VAGA

(mais…)

SINEBAHIA ITABUNA OFERECE 49 VAGAS DE EMPREGO NESSA TERÇA

Uma das vagas é para o cargo de auxiliar de produção.

Confira abaixo as oportunidades de emprego do Sinebahia Itabuna. As vagas estarão disponíveis nessa terça-feira, 04.

A agência funciona no Shopping Jequitibá. Não esqueça de levar o número do PIS, PASEP ou NIS, Carteira de Trabalho, RG, CPF, comprovante de residência e certificado de escolaridade.

AUXILIAR DE LINHA DE PRODUÇÃO (PCD)

Exclusivo para Pessoas Com Deficiência

Não exige escolaridade

Não exige experiência

5 VAGAS

AUXILIAR ADMINISTRATIVO COMERCIAL (ESTÁGIO)

Ensino Superior Cursando Administração, marketing ou contábeis a partir do 6° semestre

Não necessita experiência

Possuir conhecimento em informática e pacote Office

1 VAGA

AUXILIAR DE QUALIDADE

Ensino Superior Completo ou em andamento

Experiência mínima de 6 meses na função

1 VAGA

(mais…)

VEREADORES DENUNCIAM PREFEITO DE CANAVIEIRAS POR DESVIO DE RECURSOS

Dr. Almeida teria usado recursos da educação em outras áreas do município. Imagem: Blog do Paulo José.

A informação é do site Cia. da Notícia.

Na última sexta-feira, 30, quatro vereadores de Canavieiras protocolaram representação contra o prefeito Clóvis Roberto Souza (Dr. Almeida – PPS) na unidade regional do Ministério Público Federal, que funciona em Ilhéus. Os edis Alexsandro de Jesus, Cleonildo Tibúrcio, Diego Dias e Tiago Medrado acusam o gestor de desviar recursos do Fundo de  Desenvolvimento da Educação Básica, o FUNDEB.

A representação se baseia no relatório do Conselho Municipal do FUNDEB, que reprovou a prestação de contas da gestão do fundo no exercício financeiro de 2017.

Conforme os vereadores, apesar das solicitações do conselho, o governo não prestou todas as informações necessárias para a avaliação do uso dos recursos federais. Destinados a investimentos na educação básica e na valorização dos professores, os valores repassados pelo Ministério da Educação ao município não podem ser aplicados em outras áreas.

Os autores da representação afirmam que a prefeitura não demonstrou a destinação correta de 40% dos recursos do fundo. Eles citam as seguintes licitações: Pregão Presencial 003/17, para aquisição de material de expediente e escritório; Pregão Presencial 004/17, para aquisição de material de limpeza e higiene; Pregão Presencial 002/17, para aquisição de material de informática; e Pregão Presencial 038/17, para aquisição de material gráfico.

Segundo o site Cia. da Notícia, com base no relatório do conselho, o município também pode ter usado recursos do FUNDEB para pagar dívidas de processos na Justiça.

CÂMARA DE ILHÉUS VOTA REGULAMENTAÇÃO DOS MOTOTAXISTAS

O Projeto de Lei nº 089/2018, que institui e regulamenta o serviço de mototáxi, está na pauta dessa terça-feira (4) da Câmara de Vereadores de Ilhéus. De autoria do governo municipal, a proposta tem o objetivo de retirar da clandestinidade os profissionais que há anos já atuam no setor.

A cidade tem diversos pontos de mototaxistas. Um dos objetivos do projeto é estabelecer regra para a operação dessas “praças”, a exemplo do que acontece com o serviço de táxi.

O HOMEM PASSOU POR AQUI. ARREGAÇOU!

Por Mohammad Jamal.

Administradores mentecaptos, mas muito expertos, diga-se! Quando me deparo com a nossa Ilhéus, tão debilitada, empobrecida e endividada; toda esburacada, suja e fedorenta, fico pensando cá com meus botões e fazendo minhas contas tentando identificar quem foi o causador de tantos estragos e degradação. Dificílimo identificar o fator etiológico de tanto mal. É que eles saem de fininho e não deixam por rastro sequer um antígeno vacinal. Isso porque são redicivantes. Eles sempre voltam, travestidos de Aníbal Barca; quando deveriam retornar na fantasia de Geraldo Viramundo, “O Grande Mentecapto”, uma espécie de Dom Quixote de La Mancha do romance do escritor Fernando Sabino.

Quem foi que fudeu tudo por aqui? Teria sido um uiofóbico ensandecido? Um huguenote… Um filisteu ou um abássida apóstata? Quem, com tanta ânsia e vigor destrutivos lutaria ate à quase exaustão com tanto empenho contra a nossa terna e ninfa Ilhéus? Um huno que ainda trouxe consigo um exército de formigas de correição e as saúvas incumbidas de eliminar todas as migalhas do repasto da sua passagem? Quem tão meticulosamente sistemático faria a sua obra se estender às minudencias perfeccionistas para infringir dor e sofrimento a toda população da urbe? A nossa menina, possuída e descabaçada, jaz exangue após todo esse festim de luxúria “caligular”; perdoem o neologismo. Coitadinha da nossa Ilhéus… Está um caco. Exaurida… Tísica, irreconhecível!

Esperando Godot. Eu e Samuel Beckett pra sabermos quem matou Laura Palmer na ‘Twin Peaks’ de Ilhéus? Tenho pavor do cometimento de inculpabilidade injusta a partir de ilações ou apriorismos. Andei a esmo vasculhando meus velhos livros de filosofia; importunando sábios pensadores e ate futurologistas do pós-modernismo, existencialistas do cotidiano, e nada… Nada encontrei como ponte entre a ficção e a dura realidade. Esta improbabilidade me deixa em dolorosa angústia justicialista. Explico: A quem vou empalar em praça pública? De quem vou retirar uma tira da pele lombar ou vergastar na chibata purgatória por ter sido o causador de tanto sofrimento e degradação praticados contra esse povo casmurro? Ah… Essa ansiedade angustiosa sedenta e judiciosa faz brilhar ao escuro o meu enorme facão do revide. Eu que confiei tanto.

Passei a noite procurando tu; procurando tu! Corri desvairado pelas vielas escuras e imundas sob um céu de cinzento colorido em busca da razão das razões; de um pedaço indiciário daquilo que já estava aos pedaços; da sombra ou da réstia escura da predação e seu produto. Cacei a indiferença, a omissão e a alísia nos antigos tratados da psiquiatria forense e, exausto, ainda encontrei forças para debruçar-me sobre as obras mais densas e arrebatadoras dos meus escritores preferidos do teatro pós-dramático; do teatro do absurdo e da dramaturgia fragmentária. Mas nada encontrei em Georges Gagneré; em William Forsythe; de Sebastian Baumgarten; Samuel Beckett; Marguerite Duras e tantos outros remorados literatos em busca silenciosa da memória eletiva das minhas emoções de leitor – eu escrevi “leitor”- porque em eleitor não me incluo. E nada, nada encontrei por subsídio referencial.

(mais…)