ENQUANTO MARÃO FAZ POPULISMO, GOVERNO DEVE R$ 7 MILHÕES AO FUNDO DE SAÚDE

Marão divulgou imagens do atendimento no Facebook.

Em 2016, a campanha do hoje prefeito Mário Alexandre (PSD) deu destaque ao ofício do então candidato. O argumento era o de que o fato de ser médico faz de Marão um homem sensível ao sofrimento das pessoas que dependem do Sistema Único de Saúde (SUS). O refrão do jingle cristalizou essa ideia: “Cuida de mim, doutor! Marão, cuida de mim!”.

Dois anos depois, como já está em campanha de reeleição, o prefeito tirou o jaleco do armário e passou a investir no populismo mais barato. Na última quinta-feira (6), deixou-se fotografar enquanto prestava consulta ortopédica a moradores do condomínio Sol e Mar.

As fotos apareceram no Facebook de Marão, introduzidas por um texto sobre o prazer que ele sente ao cuidar da saúde das pessoas. O verbo usado (cuidar) é o mesmo da campanha de 2016.

O prefeito poderá até repetir o refrão na sua provável campanha, mas vai enfrentar dificuldade em convencer o eleitorado de que a pasta da saúde será priorizada, como prometeu há dois anos.

As contas da gestão não batem com a promessa. Em 2018, o governo Marão deixou de repassar sete milhões de reais (R$ 7.000.000,00) ao Fundo Municipal de Saúde. A quantia diz respeito ao déficit que o município acumula por ser obrigado a repassar ao fundo 15% das suas receitas próprias. Essa obrigação constitucional é regulamentada pela Lei Complementar 141, de 2012.

O governo Marão tem reformado postos de saúde com o dinheiro de emendas parlamentares, mas falha na manutenção da estrutura das unidades, na compra dos insumos e na contratação de médicos. Essa realidade indica que os milhões não repassados ao Fundo Municipal de Saúde fazem falta na ponta do serviço público.

O prefeito usa a mídia para tentar transmitir a ideia de que se preocupa com a saúde do povo, enquanto seu governo acumula gastos desnecessários com os alugueis de estrutura para eventos pagos à Pazzini. Por meio das operações Sombra e Escuridão, a Polícia Federal investiga contratos que envolvem o município e empresas ligadas a membros da família Baracat.

Quando o eleitor compara a realidade dos postos com a promessa de prioridade para a saúde, pode ter a impressão de que o prefeito praticou estelionato eleitoral, já que o governo não honra a obrigação de investimento mínimo no setor e esbanja dinheiro público em outras áreas.

O prefeito Mário Alexandre faz uma campanha para tentar calar o Blog do Gusmão com processos descabidos. Inclusive este texto pode ser objeto das investidas judiciais do alcaide. Pedimos a contribuição dos nossos leitores para a Vakinha que tem o objetivo de cobrir as despesas com advogados nas ações movidas contra o blog. Caso queira colaborar, acesse aqui.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *