POR QUE APOIO O BLOG DO GUSMÃO

Por Thiago Dias.

Conheci Emílio Gusmão, criador e editor deste veículo, no segundo semestre de 2007, numa aula do professor Otávio Filho, no curso de comunicação social da UESC. Emílio havia acabado de criar o Blog do Gusmão. Ganhara destaque com a cobertura jornalística do processo de impedimento do então prefeito Valderico Reis. Estudioso e entusiasta da cibercultura, Otávio apresentou o trabalho do blog à turma de calouros como exemplo de viabilidade profissional para a comunicação em Ilhéus. Tinha razão.

Em 2013 ingressei no Blog do Gusmão. Por cinco anos, convivi e aprendi com o seu criador. As discussões acadêmicas são importantes porque abrem os caminhos do pensamento, mas foi aqui, no dia a dia da redação, que tive a oportunidade de aprender sobre o webjornalismo e o papel da imprensa numa cidade como Ilhéus.

Digo com tranquilidade: essa jornada me valeu a graduação mais valiosa, a de um saber-fazer. Emílio Gusmão foi o professor que iniciou bons profissionais que hoje atuam na comunicação ilheense. Isso soa pretensioso – e há mesmo muita pretensão em todo o dizer, especialmente quando a palavra se submete ao controle das opiniões e da lei. Como o próprio Gusmão gosta de citar, não lembro se em referência a Brecht ou a Abujamra, “enforque-se na corda da liberdade”.

Hoje, Emílio solicitou minha opinião sobre a Vakinha, campanha para arrecadar o dinheiro necessário ao pagamento dos advogados que defendem o blog em quatro processos judiciais movidos pelo prefeito Mário Alexandre (PSD) e o secretário de administração Bento Lima. Não encontrei nenhum modo de opinar sobre o caso que não passasse pela retrospectiva feita acima.

A passagem pelo blog marcou definitivamente minha percepção da dinâmica das forças políticas nos limites de um município com 190 mil habitantes. O rádio é um meio de comunicação muito influente nesse contexto, mas o webjornalismo criou seu próprio espaço de influência. Os meios se retroalimentam. Vira e mexe, um blog como este, amparado numa trajetória de onze anos de relação com o leitorado, dá provas do seu poder de enunciação pautando o debate público. Talvez seja a consciência desse poder o que incomoda o prefeito.

A vida pública do político deve ser objeto da pauta jornalística, assim como os atos administrativos da gestão. Contratos e despesas do município são assuntos de interesse público e, portanto, merecem a atenção do jornalismo.

Como prática cotidiana, o Blog do Gusmão sempre busca ouvir todas as partes envolvidas nos temas que aborda. Tem sido assim com as matérias que citam o prefeito Mário Alexandre e seus secretários. O blog nunca se recusa a abrir espaço ao contraditório. Por isso, ao invés de lançar um cerco judicial contra um meio de comunicação, o prefeito poderia contribuir mais para o debate público com esclarecimentos sobre as questões suscitadas a respeito do seu governo.

Na única ocasião em que estive com Mário Alexandre, há quase um ano, ele me tratou de modo muito gentil. Não me pareceu o tipo de prefeito que recorre ao Judiciário para lidar com a imprensa. Marão é um sujeito carismático. Sua imagem pública está muito vinculada a esse carisma. Transita com facilidade por diferentes meios. É um político do corpo a corpo. Seu governo, no entanto, já não conta com a mesma confiança de dois anos atrás, na época da lua de mel pós-eleitoral. Nenhum meio de comunicação pode ser culpado por isso.

Sem ironia, digo que o prefeito pode receber as matérias investigativas da imprensa como fontes de informação para fiscalizar seu próprio governo. Nessa perspectiva do melhor controle da coisa pública, vai perceber que o jornalismo produzido pelo Blog do Gusmão, no fundo, é um grande aliado do bom governante.

Em tempo: a Vakinha do Blog do Gusmão já alcançou 32% do seu objetivo. Caso queira colaborar, clique aqui.

Thiago Dias é repórter do portal Galera de Ilhéus.



One response to “POR QUE APOIO O BLOG DO GUSMÃO

  1. Conheço a família Gusmão há muito tempo desde que Emílio cursava a faculdade de comunicação social. Vivo mais fora de Ilhéus justamente por falta de oportunidade, faço um trabalho missionário sem fins lucrativos, sou muito participativa em comentários e sempre tenho participado deste blog e considero sério e portanto acredito no potencial do ser humano que é o Emílio. Nada disso vai abalar sua estrutura, pois um bom profissional não se deixa abalar com algo corriqueiro e de tão pequena insignificância. Ilhéus conta com você Emílio !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *