“Ilhéus não é casa de puta”, afirma presidente do Sindicato Rural sobre lançamento do livro de José Dirceu

Milton Andrade, presidente do Sindicato Rural de Ilhéus.

Em entrevista ao BG nesta quinta-feira, 10, o presidente do Sindicato Rural de Ilhéus, Milton Andrade, expôs o descontentamento da instituição ruralista em relação às atividades do ex-ministro José Dirceu (PT) na cidade.

Na visão do sindicalista patronal, a sociedade ilheense e um conjunto de instituições não foram favoráveis ao lançamento do livro, pois a região que mais sofreu com o PT foi o Sul da Bahia (ele se refere à disseminação criminosa do fungo da vassoura-de-bruxa nos cacauais, que a Policia Federal não apontou culpados). “Zé Dirceu não tem parente aqui, não tem negócio aqui. Por qual motivo ele está em Ilhéus?”

Perguntamos se o Sindicato Rural e as demais entidades contrárias podiam falar pela sociedade de Ilhéus.

Segundo Milton Andrade, as instituições têm a obrigação de se manifestar contra qualquer fato que abale a sociedade local. “Para isso elas existem”.

Ele também questionou a Academia de Letras de Ilhéus. “Os membros da Academia de Letras só são imortais para a literatura?” Na opinião dele, o manifesto da academia, que justificou a não realização do evento devido às infiltrações nas paredes, foi medíocre. “Ele deveriam perguntar quem é Zé Dirceu e o que ele fez pela região”.

Perguntamos se o Sindicato Rural e as demais instituições vão se manifestar contra o lançamento do livro, mudado para a Tenda do Teatro Popular de Ilhéus no dia 18 de janeiro.

“Se uma instituição pretende abrigar o evento, problema dela. Ela que assuma o ônus perante a sociedade. Todo mundo é livre e desimpedido”.

No final da entrevista, Andrade foi taxativo: “A gente não vai permitir qualquer um vir aqui e fazer festa. Ilhéus não é casa de puta”. Também manifestou otimismo com o governo do presidente Jair Bolsonaro, “temos certeza que ele vai fazer grandes melhoras na nossa região”.

É permitido filmar uma ação policial?

Por Felipe Rocha de Medeiros, publicado no site Jusbrasil.

As mudanças que a tecnologia acarreta continuamente na sociedade são tão abruptas que, em alguns casos, geram conflitos e dúvidas nos diferentes estratos sociais. Vivemos em uma época na qual cada pessoa é o seu próprio veículo de comunicação. Um vídeo despretensioso pode se tornar viral e se espalhar pelo mundo em questão de segundos. Na mesma velocidade, a reputação de uma pessoa pode ser destruída para sempre. Por esse motivo, é uma época perigosa para quem filma e para quem é filmado.

Somado a isso, a população tem um acesso cada vez maior a informações e, consequentemente, se torna mais consciente de seus direitos. Se torna consciente ainda sobre o poder que detêm na palma de sua mão. Atualmente, a primeira resposta à uma violação de direitos, é filmar ou gravar para obtenção de provas. Esse é um comportamento cada vez mais comum e que apresenta uma eficácia probatória enorme. Se antes a confissão era considerada a rainha das provas, hoje com certeza é o vídeo.

As filmagens se tornam ainda mais instintivas quando estamos nos defrontando com uma violação de direitos perpetrada pelo Estado. Se os funcionários públicos possuem presunção de legitimidade e veracidade em seus relatos, quem vai acreditar em nossos relatos?

Por esse motivo, se espalharam pela internet inúmeros vídeos que demonstram policiais cometendo abusos de autoridade das mais diversas ordens. Em alguns desses vídeos, é possível observar que alguns impedem as filmagens sob o pretexto de que seu direito à imagem estaria sendo violado.

Outros simplesmente alegam que é necessária autorização. Para entender melhor ou apenas para ver um exemplo concreto, peço que o leitor interrompa um pouco a leitura e veja o vídeo que está no final do artigo (o vídeo é um exemplo prático muito rico e que tem potencial para várias discussões que não podem ser limitadas à um único artigo).

Mas afinal, o que é esse direito tão alegado pelos policiais do vídeo? O direito à imagem é previsto principalmente no art. 5º, X da Constituição Federal e art. 20 do Código Civil. Veja-se:

X – são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação;

(..)

Art. 20. Salvo se autorizadas, ou se necessárias à administração da justiça ou à manutenção da ordem pública, a divulgação de escritos, a transmissão da palavra, ou a publicação, a exposição ou a utilização da imagem de uma pessoa poderão ser proibidas, a seu requerimento e sem prejuízo da indenização que couber, se lhe atingirem a honra, a boa fama ou a respeitabilidade, ou se se destinarem a fins comerciais.

(mais…)

Marão e Bento elaboram reforma administrativa e demais secretários estão inseguros

Dentro da política, Mário dança a música que Bento toca.

Membros do alto escalão, ouvidos pelo BG, afirmam que o prefeito Mário Alexandre e o secretário de administração Bento Lima planejam, sozinhos, uma nova reforma administrativa. O fato de Marão só confiar em Bento para confabular a nova formação do governo de Ilhéus causa desconforto e insegurança nos demais secretários.

Bento manipula o prefeito dentro do jogo das intrigas políticas, afirmam as fontes. Desprovido da competência necessária para governar e tomar decisões, Marão praticamente entregou a caneta ao seu lugar tenente, cuja aptidão também é questionada.

A reforma, conforme apuramos, objetiva acomodar assessores da deputada estadual Ângela Sousa que ficarão desempregados com o fim do mandato no dia 31 de janeiro. Vereadores insatisfeitos também serão contemplados com mais cargos.

A última reunião do secretariado ocorreu logo após o primeiro turno das eleições (em 7 de outubro passado). Quase não há diálogo e os gestores das pastas perderam o ânimo, pois o critério principal de permanência é o “suor” derramado na tentativa frustrada de reeleger a mãe do prefeito.

Outra condição importante é ser aliado de Bento e concordar com todas as suas diretrizes. Os que divergiram abertamente nas poucas reuniões do secretariado e nos bastidores sabem que não ficarão. Dentro do governo foi liberada uma caça às bruxas.

Entramos em contato com a Secom/Ilhéus no objetivo de ouvir o prefeito e o secretário. Aguardamos resposta. 

Em tempo: o Blog do Gusmão não faz jornalismo declaratório, ou seja, a partir de uma fonte apenas. As informações contidas nessa reportagem foram colhidas de no mínimo três informantes ouvidos em separado, sem que um saiba do outro.

Faculdade Madre Thaís expande campos de estágios do curso de fisioterapia

A Faculdade Madre Thais (FMT) firmou novos convênios para os estágios do curso de fisioterapia, informa a coordenadora do curso na faculdade, profª Drª Karla Gresik. O estágio hospitalar será desenvolvido nos hospitais Vida Memorial, na área de pediatria e, no São José (Santa Casa de Misericórdia) nas áreas de urgência e emergência, ginecologia e obstetrícia, enfermarias e UTI, explica a professora.

As áreas de ginecologia e obstetrícia e urgência e emergência do Hospital São José ainda não dispõem de profissionais da área, por isso será implantado o serviço de fisioterapia, contribuindo para a população que até então não dispunha do beneficio. Na saúde da mulher, a fisioterapia ajuda a gestante desde o momento do pré-parto, até aos primeiros cuidados com a mãe e criança, justificou Karla Gresik.

Já na urgência e emergência, no mesmo hospital, a fisioterapia junto com a equipe multidisciplinar vai auxiliar nos primeiros atendimentos, podendo até controlar situações mais graves que poderiam levar a internamentos na unidade de terapia intensiva (UTI).

A professora lembra que “servir a comunidade e formar grandes profissionais da área são os principais objetivos do curso da Faculdade Madre Thaís. Hospitais e outras instituições que possuem convênios com a faculdade também se beneficiam com o desempenho dos alunos que cursam o nível superior na instituição, sempre de forma supervisionada”.

O estágio é um processo que agrega experiências necessárias para a qualificação do futuro profissional. Essa etapa configura a troca de conhecimentos entre os profissionais e o estagiário sobre a prática em diversos procedimentos.

Sinebahia Ilhéus oferece 12 oportunidades de trabalho

Sinebahia Ilhéus tem uma vaga para mecânico de automóveis.

Confira abaixo as vagas de emprego disponíveis nessa sexta-feira, 11, na agência do Sinebahia Ilhéus, que fica na sala 13 do SAC, situado na Rua Eustáquio Bastos, 308, Centro.

Não esqueça de levar a carteira de trabalho, RG, CPF, comprovante de residência e de chegar antes das 9. 

ADMINISTRADOR / ESTAGIÁRIO

Ensino Superior cursando a partir do 3° semestre em Administração ou Contabilidade

Possuir conhecimento com pacote Office

Residir na região de Una ou Canavieiras

01 VAGA 

PSICÓLOGO ORGANIZACIONAL / ESTAGIÁRIO

Ensino Superior cursando a partir do 3° semestre em Psicologia

Possuir conhecimento com pacote Office

Residir na região de Una ou Canavieiras

01 VAGA

GARÇOM

Ensino Médio Incompleto

Experiência na Função

Preferencialmente Residir na Zona Sul de Ilhéus

01 VAGA

(mais…)

Livro de Zé Dirceu vai ser lançado na Tenda do Teatro Popular de Ilhéus

Ícone do PT vai lançar livro “Zé Dirceu”no TPI.

Em primeira mão.

O novo livro do ex-ministro José Dirceu será lançado na Tenda do Teatro Popular de Ilhéus, no dia 18 de janeiro, numa sexta-feira, às 18h.

Romualdo Lisboa, diretor do TPI, nos passou a informação na manhã desta quinta-feira. O evento aconteceria na Academia de Letras de Ilhéus, que segundo informações, optou por cancelá-lo após repercussão negativa em entidades afinadas com o antipetismo e com a ideologia de ultradireita do Presidente da República, Jair Bolsonaro.

Segundo Romualdo, a Tenda do TPI está à disposição do petista Zé Dirceu desde setembro de 2018. “Ainda não compreendi por qual razão eles procuraram um espaço sob forte influência da direita”, disse o diretor.