“Ilhéus não é casa de puta”, afirma presidente do Sindicato Rural sobre lançamento do livro de José Dirceu

Milton Andrade, presidente do Sindicato Rural de Ilhéus.

Em entrevista ao BG nesta quinta-feira, 10, o presidente do Sindicato Rural de Ilhéus, Milton Andrade, expôs o descontentamento da instituição ruralista em relação às atividades do ex-ministro José Dirceu (PT) na cidade.

Na visão do sindicalista patronal, a sociedade ilheense e um conjunto de instituições não foram favoráveis ao lançamento do livro, pois a região que mais sofreu com o PT foi o Sul da Bahia (ele se refere à disseminação criminosa do fungo da vassoura-de-bruxa nos cacauais, que a Policia Federal não apontou culpados). “Zé Dirceu não tem parente aqui, não tem negócio aqui. Por qual motivo ele está em Ilhéus?”

Perguntamos se o Sindicato Rural e as demais entidades contrárias podiam falar pela sociedade de Ilhéus.

Segundo Milton Andrade, as instituições têm a obrigação de se manifestar contra qualquer fato que abale a sociedade local. “Para isso elas existem”.

Ele também questionou a Academia de Letras de Ilhéus. “Os membros da Academia de Letras só são imortais para a literatura?” Na opinião dele, o manifesto da academia, que justificou a não realização do evento devido às infiltrações nas paredes, foi medíocre. “Ele deveriam perguntar quem é Zé Dirceu e o que ele fez pela região”.

Perguntamos se o Sindicato Rural e as demais instituições vão se manifestar contra o lançamento do livro, mudado para a Tenda do Teatro Popular de Ilhéus no dia 18 de janeiro.

“Se uma instituição pretende abrigar o evento, problema dela. Ela que assuma o ônus perante a sociedade. Todo mundo é livre e desimpedido”.

No final da entrevista, Andrade foi taxativo: “A gente não vai permitir qualquer um vir aqui e fazer festa. Ilhéus não é casa de puta”. Também manifestou otimismo com o governo do presidente Jair Bolsonaro, “temos certeza que ele vai fazer grandes melhoras na nossa região”.



17 responses to ““Ilhéus não é casa de puta”, afirma presidente do Sindicato Rural sobre lançamento do livro de José Dirceu

  1. Concordo com Milton Andrade. Minha terra nao pode prestigiar esse vagabundo, comunista safado. Ele deveria era estar cumprindo a pena dele.

  2. Concordo Milton Andrade nossa região merece respeito e principalmente nós agricultores ele tem que lançar o livro na cela fazendo companhia de Lula.

  3. Concordo plenamente com o posicionamento do Presidente do Sindicato, com a entidade muito bem representada.

  4. Que vergonha para Ilhéus, MESMO! A mediócridade de um presidente de sindicato nos remete aos tempos dos jagunços, que para mostrar serviços aos seus coronéis, diziam balelas aos quatro ventos das “Terra do Sem Fim”. Rápido, peguem suas tochas, toquemos fogo nos livros dos comunitas. Peguem suas marretas, destruamos as imagens do escritor comunista. Peraí. Opa, o maior escritor comunista que tem livros, casa e estátua na cidade é Jorge Amado. Não cabe a qualquer instituíção se avorrar dona da codade, como se fosse uma vila qualquer de uma fazenda, onde o fazendeiro é dono da Cancela na entrada. Mais deveria o presidente e cupichas que tentam reforçar sua ignorância intelectual, buscar resolver era o trabalho escravo que existem nas fazendas da região. Mas o presidente precisava de 15 minutos de mídia. Já a mediócridade dele seguirâ por toda sua vida!

  5. José Dirceu é um grande brasileiro, condenado sem provas por crimes que jamais praticou. Um absurdo que seja tão perseguido. A história lhe fará justiça.

  6. Ilhéus merece respeito dar coito a terrorista condenado 39,9 anos de prisão é uma vergonha pra nossa combalida região, o cacau foi infestado crime bio terrorismo pelos membros do PT, que estão soltos.Zé Dirceu devia estar cumprindo sua pena na Papuda.Não tem parentes em Ilhéus, o que ele faz aqui?

  7. É inacreditável um negócio desses. Um sujeito mais processado que o José Serra lançando “Apologia ao Crime — livro deturpado” em uma Academia de Letras, enlameia e rebaixa os 40 imortais e as demais academias do Brasil . A ABL deveria se pronunciar sobre este escárnio.

  8. Independentemente do que cada um acha de qualquer pessoa é preciso respeitar a Constituição, que garante a liberdade de expressão eco direito de ir e vir l. Essas reações de ódio e intolerância remetem aos tempos do coronelismo, em que diferenças eram “resolvidas na bala “. É uma vergonha que em pleno Século CDI tenhamos cenas desse tipo.

  9. Estamos juntos com Vc Milton Andrade e vamos nos mobilizar para que essa VERGONHA, não aconteça na nossa região, esse Bandido envergonha nosso País, ainda não entenderam que o Brasil mudou! Estamos juntos e com fé em Deus e a conçiência de Todos os Grapiúnas, unidos, iremos repudiar essa Barbaridade contra a Região do Cacau, parabébs Milton e vamos começar a nos mobilizar. Brasil acima de Tudo, Deus acima de todos.

  10. Por falar em comunista e terrorismo em tempo de fascismo de um governo neo nazista instalado no Brasil, estes falsos adjetivos são fichinhas

  11. A pergunta que não que calar: O que esse sr. Milton, fez ou faz em prol da comunidade, pequenos agricultores etc? Pelo visto estava querendo apenas alguns minutos de fama. Por isso que essa cidade não se desenvolve. A raiz escravocata e o ranço dos coronéis que nada fizeram além de explorar essas terras. E todos tem direito a ir e vir. Ilhéus não tem dono, portanto estarei lá para prestigiar o lançamento do livro.

  12. Nem de puta, nem de vagabundos que destruíram o PAÍS. A atitude mais acertada para o momento, seria nominar a corja de cafajestes que estão apoiando esta esbórnia em nossa cidade. Fora vagabundos criminosos

  13. Ilhéus deve colocar luto. Como é que se permite que o bandido José Dirceu, um traidor da pátria, agente cubano, criminoso já condenado, lance o seu lixo panfletário marxista nesta cidade, que tradicionalmente sempre baniu esses canalhas comunistas, que só querem destruir a família, a moral e a propriedade?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *