Livro de Zé Dirceu vai ser lançado na Tenda do Teatro Popular de Ilhéus

Ícone do PT vai lançar livro “Zé Dirceu”no TPI.

Em primeira mão.

O novo livro do ex-ministro José Dirceu será lançado na Tenda do Teatro Popular de Ilhéus, no dia 18 de janeiro, numa sexta-feira, às 18h.

Romualdo Lisboa, diretor do TPI, nos passou a informação na manhã desta quinta-feira. O evento aconteceria na Academia de Letras de Ilhéus, que segundo informações, optou por cancelá-lo após repercussão negativa em entidades afinadas com o antipetismo e com a ideologia de ultradireita do Presidente da República, Jair Bolsonaro.

Segundo Romualdo, a Tenda do TPI está à disposição do petista Zé Dirceu desde setembro de 2018. “Ainda não compreendi por qual razão eles procuraram um espaço sob forte influência da direita”, disse o diretor.



3 responses to “Livro de Zé Dirceu vai ser lançado na Tenda do Teatro Popular de Ilhéus

  1. Isso é uma falta de respeito ,um órgão mantido com dinheiro público servindo para lançamento de um livro escrito por um ladrão já condenado.

  2. Isto é história do Brasil, e viva ainda, contemporânea, e sem desfeixe. Quem tiver interesse em cultura, não importando a sua opinião ou opções políticas, será um momento único para a história regional. A experiência desta região na RESISTÊNCIA POLÍTICA é antiga, o ex ministro Aroldo Lima ficou sob proteção nas fazendas em Buerarema, e outros anônimos… Fazenda no Sururu nome de Cajazeira, propriedade da família Falcão. Veja que Jorge Amado não erra ao externar o nosso JEITO do cacau. É um momento de cultura e deixemos todos de lado as questões políticas e vamos aproveitar! De repente um escritor no futuro pode fazer outro sobre este momento!
    Viva a Costa do Cacau!

  3. Será um momento único na história regional. NA região do cacau sempre resistiu às questões polêmicas de políticas nacionais. Deixemos todos de lado a nossa opinião e opção política, e saibamos apreciar o momento. O ex ministro Aroldo Lima, e outros receberão proteção nas fazendas em Buerarema! Aroldo Lima ficou hospedado em Sururu, na fazenda Cajazeira de propriedade da Família Falcão. Perceba que Jorge Amado sabe passar o jeito sul baiano de ser. Vamos todos! A história está na contemporaneidade, não teve desfecho. Será uma riqueza cultural para os intelectuais e historiadores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *