Prefeitura de Ilhéus abre processo seletivo para contratação de 148 professores

Foto: Secom/Ilhéus.

A Prefeitura de Ilhéus abriu processo seletivo simplificado para preenchimento de 148 vagas de professores da educação infantil, fundamental 1 e 2, Educação de Jovens e Adultos (EJA) 1 e 2, e formação de cadastro reserva para os mesmos cargos. O edital que autoriza a seleção simplificada foi publicado no Diário Oficial do Município, do dia 25 de janeiro, com base na autorização contida na Lei Municipal nº3.634/12.

O processo seletivo será realizado através de avaliação curricular, de cunho classificatório e eliminatório, a cargo da Seduc, por meio da comissão responsável pela seleção simplificada. Os contratados, que atuarão nas 53 escolas da rede municipal, substituirão os professores cedidos ao Conselho Municipal de Educação (CME) e Associação dos Professores Profissionais de Ilhéus (APPI), os que se encontram em licença médica concedida pelo INSS e em readaptação funcional, e os professores demitidos no cumprimento da sentença judicial que obrigou o Município a afastar servidores que ingressaram no serviço público sem concurso. Os contratos temporários decorrentes deste processo seletivo serão válidos pelo prazo de um ano.

As inscrições são gratuitas e deverão ser realizadas nos dias 30 e 31 de janeiro próximos, mediante a entrega de currículos, acompanhados pela documentação exigida, o que deverá ser feito na Biblioteca Municipal, localizada na Rua Dom Valfredo Tepe, 317, centro, Ilhéus, CEP: 45653-220, no horário das 9 às 12 horas e das 14 às 17 horas.  Para se inscrever, é necessário ter diploma de licenciatura, idade mínima de 18 anos e preencher os requisitos específicos de cada cargo. A Seduc informa que não serão fornecidas, por telefone, informações referentes ao edital do processo seletivo simplificado. O candidato deverá acompanhar cuidadosamente as publicações oficiais da Prefeitura de Ilhéus.

Será feita uma pré-inscrição online através de formulário específico, visando dar celeridade ao processo, até terça-feira, dia 29 de janeiro de 2019, pelos seguintes links: candidatos à educação infantil e/ou ensino fundamental I (Anos Iniciais) – EJA 1, (Anos Finais) ou EJA 2.

No ato da inscrição, o candidato deverá apresentar os seguintes documentos: xerox e original do CPF e RG; em caso de pessoas do sexo masculino, comprovação de quitação com as obrigações militares; xerox da comprovação de quitação com as obrigações eleitorais; xerox do comprovante de residência; currículo vitae, devidamente comprovado, inclusive experiência na docência da educação infantil e/ou ensino fundamental I (Anos Iniciais), EJA 1 ou Ensino Fundamental II (Anos Finais) – EJA 2;  xerox e original diploma ou certificado de licenciatura correspondente; diploma ou certificado de licenciatura em curso de Pedagogia ou Normal Superior para a educação infantil, o ensino fundamental I – EJA1;  licenciatura em área específica da disciplina, para o ensino fundamental II – EJA 2; xerox e original documento comprobatório do tempo de experiência profissional; xerox e original do laudo (CID 10), emitido nos últimos seis meses, em caso de deficiência.

Com informações da Secom/Ilhéus.

Sinebahia Ilhéus oferece 6 oportunidades de trabalho

Sinebahia Ilhéus tem duas vagas para motorista de caminhão munk.

Confira abaixo as vagas de emprego disponíveis nessa terça-feira, 29, na agência do Sinebahia Ilhéus, que fica na sala 13 do SAC, situado na Rua Eustáquio Bastos, 308, Centro.

Não esqueça de levar a carteira de trabalho, RG, CPF, comprovante de residência e de chegar antes das 9. 

AUXILIAR DE LIMPEZA (PCD)

Vaga exclusiva para Pessoas com Deficiência  

Ensino Fundamental Completo

Experiência mínima de 06 meses na Função

Apresentar Laudo

01 VAGA

REPRESENTANTE COMERCIAL

Ensino Médio Completo

Experiência mínima de 6 meses comprovada em Carteira de Trabalho

Possuir Habilitação Categoria AB

01 VAGA

VENDEDOR EXTERNO

Ensino Médio Completo

Experiência mínima de 6 meses comprovada em Carteira de Trabalho

01 VAGA

(mais…)

Skatista de Ilhéus foi assassinado e teve cabeça e mão decepadas

Pedro Punkzila: Foto encontrada no Facebook.

A Polícia Civil investiga o assassinato brutal do skatista Pedro Gheovani Silva Amorin, conhecido como Pedro Punkzila, ocorrido em Ilhéus na última semana.

Segundo a delegada Andréa Oliveira, Punkzila foi visto com vida pela última vez no dia 20 de janeiro, numa casa da zona sul de Ilhéus na companhia de três homens.

Na quarta-feira, 23, o corpo da vítima foi encontrado enterrado nas proximidades do Caic Darcy Ribeiro, com a cabeça e uma das mãos decepadas.

Após ouvir testemunhas, a investigação trabalha com duas hipóteses. Membros da facção Terceiro Comando (do tráfico de drogas) mataram Pedro por achar que ele pertencia ao grupo rival “Raio A”.

Outra possibilidade remete a uma briga ocorrida no passado entre Punkzila e um dos suspeitos. Depois de certo tempo os dois fizeram as pazes, mas o suposto assassino, que estava na casa onde Pedro foi visto pela última vez, não teria desculpado e decidiu se vingar.

A delegada Andréa Oliveira disse ao BG que até o momento não há indícios de que Pedro Punkzila tinha ligações com a facção “Raio A”.

Sinebahia Itabuna oferece 28 vagas nessa terça-feira

Uma vaga para esta função no Sinebahia Itabuna.

Confira abaixo as oportunidades de emprego do Sinebahia Itabuna. As vagas estarão disponíveis nessa terça-feira, 29.

A agência funciona no Shopping Jequitibá. Não esqueça de levar o número do PIS, PASEP ou NIS, Carteira de Trabalho, RG, CPF, comprovante de residência e certificado de escolaridade.

Vagas exclusivas para Itabuna. 

AUXILIAR DE LINHA DE PRODUÇÃO (PCD)

Exclusiva Para Pessoas Com Deficiência

Não necessita escolaridade

Não necessita experiência

5 VAGAS 

VENDEDOR INTERNO

Ensino Médio Completo

Experiência mínima de 6 meses na carteira com vendas

Experiência com vendas de eletro (linha branca)

10 VAGAS 

SERRALHEIRO

Não exige escolaridade

Experiência mínima de 6 meses na carteira

1 VAGA 

(mais…)

Antes de apoiar o PT de Ilhéus, Wagner quer consultar Jabes Ribeiro

Jabes Ribeiro e Jaques Wagner. Foto: Gidelzo Silva.

O site Galera de Ilhéus publicou nesta segunda-feira, 28, uma análise do criterioso repórter Thiago Dias sobre a aliança PT/PP no Estado e os seus desdobramentos em Ilhéus.

Thiago, o melhor repórter que já passou pelo Blog do Gusmão (BG), informa que o ex-governador da Bahia, Jaques Wagner, ao ser perguntado se apoiará um candidato do PT nas próximas eleições a prefeito de Ilhéus, manifestou a intenção de antes consultar o ex-prefeito Jabes Ribeiro (PP).

A informação com certeza vai atingir o orgulho dos petistas locais, aliados no passado e hoje adversários ferrenhos de Jabes.

A análise está neste link.

Amurc reúne prefeitos para tratar da Barragem da Mirabela em Itagibá

Barragem da Mirabela Mineração em Itagibá. Imagem do Google.

O rompimento da barragem de Brumadinho, em Minas Gerais, levantou grande preocupação na imprensa regional sobre a barragem de contenção de resíduos minerais da empresa Mirabela, instalada em Itagibá. Nesse sentido, a diretoria da Associação dos Municípios da Região Cacaueira (Amurc) vai reunir prefeitos da Bacia Hidrográfica do Rio de Contas, nesta segunda-feira, 28, às 16 horas, para uma reunião de emergência na Câmara de Vereadores de Barra do Rocha.

O objetivo, segundo o coordenador executivo da entidade, Luciano Veiga, é socializar as informações sobre o estado da Barragem de Rejeitos da Mirabela, provocar os órgãos de fiscalização e controle (Ministérios de Minas e Energia e o do Meio Ambiente, Secretaria do Meio Ambiente do Estado da Bahia, SEMA/INEMA, Ministério Público do Estado da Bahia e representante da Sociedade Civil Organizada) para criação do Conselho Deliberativo e Consultivo de Gestão e Acompanhamento da Barragem de Rejeitos da Mirabela, visando o acompanhamento permanente deste equipamento.

Ainda segundo Luciano, técnicos do Instituto Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos – INEMA e da Secretaria de Meio Ambiente da Bahia – SEMA já estão visitando a Barragem de Resíduos da Mirabela, onde estão fazendo uma vistoria técnica para a emissão de um laudo sobre o seu estado.

Prefeitura de Ubaitaba retira baronesas do Rio de Contas

Foto: Ascom/Ubaitaba.

Uma equipe de operários do Departamento de Meio Ambiente da Secretaria de Agricultura, Meio Ambiente, Pesca e Desenvolvimento Econômico, com o suporte da Secretaria de Administração de Ubaitaba, iniciou na manhã desta segunda-feira, 28, a limpeza do Rio de Contas em toda a área urbana. Nesta operação estão sendo retiradas baronesas, aguapés e outros tipos de vegetação que abrigam animais peçonhentos e trazem lixo.

De acordo com o secretário de Administração, Raimundo Fahning, os trabalhos se concentram no trecho do rio que passa pela zona urbana, mas serão estendidos a outros trechos, já que o objetivo é livrar o Rio de Contas das baronesas, que se reproduzem devido à matéria orgânica resultante de esgotos sanitários despejados nas águas do rio.

Outra recomendação da prefeita de Ubaitaba foi para que as baronesas sejam retiradas do leito do rio e transportadas para o depósito de lixo. “De nada adiantaria deixá-las no rio, pois haveria o risco de enganchar nas pedras mais abaixo. O objetivo da operação é manter limpo o curso d’água, como tem sido feito desde o começo da atual administração municipal, com bons resultados”, observa o chefe do Departamento de Meio Ambiente, Elias Nunes.

Pequenos problemas, grandes desprezos

E não é feito por questiunculas – coisinhas menores –, nas quais as propostas firmadas entre prefeito, vice-prefeito e as forças coligadas durante a campanha eleitoral se esfacelam nos primeiros meses de governo. Não falo de suposições, mas de fatos, portanto, reais, com o afastamento do vice-prefeito José Nazal do centro do poder, desprezando todo o conhecimento que tem sobre o município.

 

Por Walmir Rosário.

Na manhã deste domingo (27-01-19) recebi, via WhatsApp, do radialista Paulo Flores Vidal, uma gravação em vídeo mostrando as dificuldades de atracamento no porto turístico (píer) de Paraty, o que considerei um verdadeiro absurdo. As vigas que travam as tábuas do assoalho soltas, buracos no piso e até o vendedor de sucos e salgados se acidentou, perdendo alguns dos seus produtos.

Uma lástima, se considerarmos que Paraty é uma das cidades turísticas de grande fluxo de pessoas, grande parte procedente de São Paulo, principalmente neste fim de semana prolongado pelo Dia da Cidade, sexta-feira 25). É justamente daquele píer que saem as embarcações com turistas para conhecer as ilhas e praias das baias de Paraty e Angra dos Reis, gerando emprego e renda na cidade.

Desde a década de 1970 a cidade de Paraty foi escolhida pelo governo do Estado do Rio de Janeiro para se transformar numa centro eminentemente turístico, sem qualquer tipo de planejamento. Bastava para tanto sediar o maior bloco arquitetônico colonial que, por si só, já venderia pacotes turísticos, em detrimento da população, que ainda residia no centro da cidade.

Grossas e pesadas correntes foram implantadas nas ruas do centro, impedindo o acesso aos veículos, sem dar tempo da implantação de qualquer infraestrutura que resguardasse os habitantes e turistas hospedados no centro histórico. A única voz a se levantar foi a do então presidente da Associação Comercial de Paraty, Benedito José da Cruz (Simão), que condenou, em entrevista no Jornal Nacional, a mudança de cima pra baixo que mudaria a cultura da cidade e prejudicaria seus moradores.

Dito e feito! Os prédios coloniais foram vendidos para os paulistanos e cariocas, e os nativos empurrados para os bairros mais afastados, a exemplo da Mangueira, Ilha das Cobras, Chácara, dentre outros. Hoje, os nativos que vivem da pesca e do turismo são obrigados a fazer das tripas coração para viver e criar os filhos com dignidade, pois não são alvo das prioridades dos constantes governos municipais.

Deveras, o poder enebria, embriaga e os governantes têm olhos abertos para os mais bem-dotados, financeiramente falando, já que são colaboradores em potencial das campanhas eleitorais. Enquanto isso, a população nativa fica à mercê da sorte, aguardando que pequenas migalhas possam ser destinadas ao melhoramento das ruas onde moram e dos equipamentos essenciais ao seu trabalho.

Diferente tratamento recebem os proprietários de imóveis de grande porte, verdadeiras mansões ocupadas nos finais de semana pelo que utilizam Paraty apenas para seu merecido descanso e curtição. Nesses locais todo o cuidado do município é pouco, haja vista a cobrança dos poderosos, ou dos amigos do poder econômico ou político, o que facilita a troca de favores.

Infelizmente, no Brasil, os locais que têm o turismo como principal matriz econômica costumam padecer desses males e todas as ações – ou grande parte delas – são voltadas ao chamado grande turismo, aquele que contempla os mais bem aquinhoados. Assim como Paraty, no Rio de Janeiro, em Ilhéus, no litoral baiano, não é muito diferente e as ações municipais não privilegiam a grande parcela da população.

É certo que Ilhéus, diferentemente de Paraty, não tem o turismo como atividade principal, mas por culpa exclusiva de uma falta de política que empreenda ações nesse sentido, para aproveitar todo o marketing feito pelo itabunense Jorge Amado em seus romances. O mundo inteiro “viaja” nos locais e personagens amadianos, tornando Ilhéus um dos maiores bens de consumo para os seus futuros passeios.

Bastaria uma pequena ajuda dos poderes públicos para tornar Ilhéus uma cidade agradável, facilitando o conhecimento de sua história, rica na arquitetura, na cacauicultura implantada na Mata Atlântica e nos costumes do seu povo. Mas esse encantamento tem limites pelo ar e pelo mar, até que o turista desembarque e passe a conhecer e conviver na antes sonhada cidade.

Ninguém sonha que na antes cidade dos “coronéis do cacau” a realidade atual seja diferente e tenha que ultrapassar as montanhas de sacos (abertos e fechados) de lixo, que incomodam as vistas e o nariz. Também não concebem que por essas plagas a exploração do turismo seja entendida, ao pé da letra, como a exploração ao turista, com todas as artimanhas, do transporte público aos restaurantes.

Mas, afinal, qual a motivação dos políticos instalados no poder para deixar que isso aconteça? Seria falta de pessoas competentes para gerir o município? Claro que não, pois as empresas privadas vão muito bem obrigado. De início, acreditam piamente que o orçamento municipal é uma simples peça de ficção, com erros propositais na elaboração e na execução.

Não conhecem o município como um todo e não fazem questão para reparar esse falha, apostando no desconhecimento da população sobre os seus direitos e o poder político que poderiam exercer na execução das políticas públicas. Em Ilhéus, por exemplo, que poderia conceber e executar uma proposta de desenvolvimento sustentável onde merece, e proporcionar meios para o incremento do comércio indústria e serviços, nada é feito.

E não é feito por questiunculas – coisinhas menores –, nas quais as propostas firmadas entre prefeito, vice-prefeito e as forças coligadas durante a campanha eleitoral se esfacelam nos primeiros meses de governo. Não falo de suposições, mas de fatos, portanto, reais, com o afastamento do vice-prefeito José Nazal do centro do poder, desprezando todo o conhecimento que tem sobre o município.

Ora, se as proposições dessas forças eram antagônicas não deveriam marchar juntas na campanha, elaborar um projeto de governo apenas de mentirinha para enganar a população nos comícios e programas eleitorais. Com isso, perde o município que não se desenvolve, perde a população que não gera riquezas e perde o cidadão, mais uma vez alijado do processo decisório.

Paraty e Ilhéus são apenas dois pequenos exemplos do Brasil.

Walmir Rosário é radialista, jornalista e advogado.