Nazal: “Se Mário tivesse me ouvido não estaria desmoralizado”

Nazal durante assembléia na APPI. Foto: Maurício Maron.

O vice-prefeito de Ilhéus, José Nazal (Rede), esteve na tarde desta quinta-feira, 28, na sede da APPI para parabenizar a classe pela decisão judicial que determinou a reintegração de todos os servidores afastados pelo prefeito Mário Alexandre.

Convidado pela professora Enilda Mendonça, ex-presidente da entidade, Nazal fez um discurso carregado de críticas à gestão atual.

“Não estou aqui por interesses eleitorais. Fui convidado e vim parabenizar todos pela vitória esperada. A decisão do prefeito foi injusta. Ele deveria ter esperado todos os recursos possíveis serem decididos. Se Mário tivesse me ouvido não estaria desmoralizado e a situação teria sido diferente. O prefeito ouve pessoas que não têm interesse por Ilhéus. O meu compromisso com o prefeito foi pela cidade e ele desviou disso ouvindo apenas um secretário [Bento Lima], que é o grande prefeito do governo, e isso eu não aceito. Ele me chamou para voltar a trabalhar no governo e eu disse que não aceitava, pois ele não vai tirar as pessoas que fazem mal a Ilhéus. Estou à disposição dos servidores. O momento é de entendimento, é de conversa, e o município tem que se ajustar. Vocês não mereciam passar pelo que passaram. Eles deveriam ter considerado os 30 anos de trabalho que vocês dedicaram ao município. Deveriam ter considerado também que vocês não possuem idade para disputar espaço no mercado de trabalho com pessoas mais novas. Minha voz, minha força e meu cargo estão a serviço de vocês para que possamos tentar resolver essa situação”, disse Nazal.

Servidora reintegrada abraça Nazal. Foto: Maurício Maron.

Segundo Enilda Mendonça, “Nazal sempre se posicionou contra as demissões. Queremos agradecer pelo apoio”.

O vice pediu que o prefeito tenha com a decisão de 2ª instância, a mesma pressa adotada para cumprir a sentença do juiz local.

Exclusivo. Supervisora de compras do governo Marão é acusada de desviar recursos de empresa

Imagem da carteira de identidade de Luciana Lima de Jesus.

Humberto Bezerra de Queiroz, procurador da empresa Unilev Tecnologia de Elevadores LTDA, localizada em Salvador, acusa Luciana Lima de Jesus de apropriação indébita.

Luciana é supervisora de compras e serviços da secretaria de administração de Ilhéus e, segundo fontes da prefeitura, foi indicada para o cargo pelo secretário Bento Lima. Ela começou a trabalhar no governo Marão no dia 16 de maio de 2018 (veja decreto com a nomeação). Antes ela trabalhou por três anos no setor financeiro da Unilev.

Conforme boletins de ocorrência registrados na 12ª delegacia, localizada no bairro Itapuã, em Salvador, o responsável pela empresa acusa Luciana de ter desviado quarenta e três mil reais (R$ 43.818,00) para contas particulares movimentadas no Banco Itaú.  As transferências ocorreram de novembro de 2017 a janeiro de 2018.

Boletins de ocorrência registrados contra Luciana.

 

Luciana moveu uma ação trabalhista contra a empresa que tramita na 24ª Vara do Trabalho de Salvador.

Os proprietários da Unilev denunciaram o suposto desvio de recursos ao Ministério Público Estadual, à Prefeitura e à Câmara de Vereadores de Ilhéus. A denúncia já é do conhecimento do promotor Frank Ferrari.

Até o momento não há decisão do poder judiciário que tenha considerado Luciana Lima de Jesus culpada pelo crime. Não podemos afirmar que o prefeito Mário Alexandre e o secretário Bento Lima tenham ciência da acusação contra a servidora pública, que na época atuava na iniciativa privada.

Às 14h10min., desta quinta-feira, 28, entramos em contato com a secretaria municipal de comunicação para tentar ouvir a versão de Luciana. Eli Macena atendeu nossa chamada e nos informou que não tem o contato da supervisora de compras.

O BG deixou recado com o atendente. Até o momento da publicação desta reportagem não recebemos resposta da Secom.

Supostas transferências (de 23 mil e 7 mil reais) realizadas para contas particulares de Luciana.
Documento prova que a conta que recebeu 30 mil reais da Unilev (exposta na imagem acima) é de Luciana.

Desembargadora reconheceu o longo tempo de serviço dos servidores afastados por Marão

Desembargadora Silvia Zarif. Foto: divulgação.

 

A decisão da desembargadora Silvia Zarif que determinou o retorno dos 268 servidores municipais afastados pelo prefeito Mário Alexandre não encerra a disputa judicial, mas demonstra a sensibilidade da corte baiana de justiça.

Silvia Zarif usou a balança e a fumaça do bom direito para determinar o retorno dos servidores enganados pelo prefeito de Ilhéus, que antes de afastá-los prometeu ir até o último recurso judicial.

A magistrada ressaltou os 30 anos de serviço público e afirmou que as idades relativamente avançadas dos funcionários dificultariam a disputa no mercado de trabalho. Leia o trecho da decisão sobre essas questões.

“No caso concreto, vê-se que apesar de ter se protraído no tempo a ofensa ao interesse da coletividade de livre acesso aos cargos públicos ocupados por agentes que não se submeteram a certame para tanto, tem-se, como contraponto, dezenas de pessoas admitidas em regime constitucional prévio no qual o recrutamento sem concurso não estava maculado por vícios de inconstitucionalidade, que serviram por 30 anos ao Poder Público e que hoje se encontram em idades relativamente avançadas para se verem na disputa do mercado de trabalho ou do mundo do empreendedorismo contemporâneo”.  

Silvia Zarif também mencionou a campanha de entidades de classe para reunir alimentos para os servidores afastados. O BG opina que a campanha da OAB, presidida pelo advogado Martone Maciel, foi muito importante nesse processo.

“Causa espécie, no caso sob exame, as declarações e notícias trazidas aos autos relacionadas ao socorro de entidades de classe e sociedades civis para se prover mantimentos à sobrevivência dos servidores demitidos”,  escreveu Zarif.

Exclusivo. TJ-BA determina o retorno dos servidores afastados por Marão

Afastamento deve ser suspenso imediatamente. Foto: Sinsepi.

A desembargadora Silvia Zarif, do Tribunal de Justiça da Bahia, determinou o retorno imediato dos servidores não estáveis afastados no dia 07 de janeiro de 2019 pelo prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, e pelo secretário de administração Bento Lima.

A decisão assinada na quarta-feira, 27, suspende o decreto que afastou os servidores públicos e obriga a prefeitura a mantê-los dentro do quadro até que a questão judicial se encerre transitada em julgada.

Confira a decisão.

Empresa Sysvale é favorita para vencer licitação em Ilhéus

Notinhas.

Fontes privilegiadas do governo Marão afirmam que a empresa Sysvale Softgroup reúne todas as condições para vencer uma licitação que será realizada nesta quinta-feira, 28, por meio de pregão eletrônico.

A Sysvale é “favoritaça” para assumir um contrato que prevê o fornecimento de um sistema de gestão saúde web para a secretaria comandada por Geraldo Magela. O edital não informa o valor estimado da aquisição.

A abertura das propostas ocorrerá às 9 horas e a disputa pública às 9h15min.

Daremos mais explicações após o resultado.

A conferir.

Por ordem de Marão, “mainha” continua deputada nos textos da Secom

Notinhas.

Ângela Sousa e Mário Alexandre: no coração do menino,”mainha” jamais deixará de ser deputada.

Contemporânea de autodeclarados presidentes de países e de filhos que governam nações (e demitem ministros) junto com os pais, a secretaria de comunicação de Ilhéus segue linha parecida.

Por ordem do prefeito Mário Alexandre, nos textos da Secom a ex-deputada estadual Ângela Sousa deve continuar sendo tratada como parlamentar.

Num texto enviado à imprensa no dia 11 de fevereiro, ao especificar os integrantes da comitiva que acompanhou o prefeito durante visita à zona rural, a mãe do gestor foi chamada de “deputada Ângela Sousa”.

Marão tem consciência de que a mãe não foi reeleita por culpa exclusiva dele. Para aliviar seus arrependimentos, adota medida inócua, que só altera fantasiosamente o rumo da linguagem numa frase inexpressiva.

Da próxima vez, se quiser Marão poderá exigir “deputada” com letra inicial maiúscula, mesmo não sendo substantivo próprio. Talvez dê mais destaque ao parágrafo. Quem sabe?

Sesab alerta para o risco de doenças no Carnaval

Sarampo. Foto: internet.

Em função do risco de ocorrência de doenças imunopreveníveis (preveníveis com vacinas) durante o período de Carnaval, a Secretaria da Saúde do Estado, por meio da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep), recomenda que a população esteja atenta para o surgimento de sintomas de doenças imunopreveníveis, como sarampo, rubéola, influenza, meningite, coqueluche, entre outros agravos, e adverte que deve ser procurada uma unidade de saúde caso apresente sinais e sintomas.

Como medidas preventivas, a Sesab recomenda dicas difíceis de seguir para quem pula o carnaval no meio da galera. Lavagem das mãos várias vezes ao dia, principalmente antes de consumir algum alimento; evitar tocar a face com as mãos e proteger a tosse e o espirro com lenço descartável; utilizar lenço descartável para higiene nasal; cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir; evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca; higienizar as mãos após tossir ou espirrar; não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas; manter os ambientes bem ventilados; evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de influenza; evitar sair de casa em período de transmissão da doença; evitar aglomerações e ambientes fechados; adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos.

Para os profissionais de saúde, está sendo divulgado um alerta epidemiológico, chamando atenção para a necessidade de serem intensificadas as ações de assistência e vigilância em saúde, e que seja desencadeada a notificação e investigação de casos suspeitos.

A Divep adverte que os casos suspeitos devem ser notificados em até 24 horas, no caso de unidades de Salvador ao plantão do CIEVS Salvador e/ou CIEVS Bahia, e no caso de outros municípios, ao CIEVS Bahia, através dos telefones 3116.0017; 3116.0036, 3116.0018 ou 99994.1088.

OAB doa alimentos para os servidores afastados por Marão

Foto: Ascom APPI.

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) – subseção de Ilhéus, Martoni Maciel, fez a entrega de alimentos não perecíveis arrecadados pela entidade em solidariedade às centenas de servidores municipais contratados entre 1983 e 1988 que foram afastados por decreto pelo prefeito Mário Alexandre. A doação foi feita nesta quarta-feira, na sede da OAB, no Bairro Boa Vista.

Os alimentos doados reforçam a campanha realizada pelas entidades sindicais representativas dos servidores municipais, no sentido de suprir a necessidade dos trabalhadores mais vulneráveis atingidos pelo afastamento abrupto da folha de pagamento da Prefeitura, no dia 7 de janeiro último.

Participaram do ato, os presidentes do Sinsepi (Sindicato dos Servidores e Funcionários Públicos de Ilhéus), Joaques Silva, da APPI\APLB, Osman Nogueira, e do Sindguardas, Pedro de Oliveira Santos, entre outros sindicalistas. Eles agradeceram ao apoio da OAB de Ilhéus aos servidores, que em sua grande maioria estão passando por necessidades para sobrevivência, após a decisão do prefeito de Ilhéus.

O presidente da OAB local disse que os servidores possuem “um direito bom”. “Todas as pessoas que sofrem a consequência de uma decisão judicial têm o direito de responder o contraditório antes do efeito da sentença”, declarou Martoni Maciel.

Policlínica de Itabuna e Ilhéus abre seleção para profissionais de saúde

A Policlínica Regional de Itabuna e Ilhéus, de responsabilidade do governo estadual, está em fase final de construção.

Erguida na Avenida J.S. Pinheiro, em Itabuna, a perspectiva é que inicie os atendimentos aos usuários do SUS no segundo semestre de 2019.

O equipamento será administrada por um consórcio público e já iniciou processo seletivo para contratação de profissionais de saúde (veja o edital e a retificação do mesmo).

Serão contratados médicos, enfermeiros, psicólogos, farmacêuticos, nutricionistas, ouvidores, assessores técnicos, assistentes sociais, técnicos em enfermagem, técnicos em radiologia,  assistentes administrativos, dentre outras funções.

Ao todo serão oferecidas 72 vagas. Os salários variam de R$ 1.188,13 a R$ 5.000,00.

As inscrições podem ser feitas até o dia 10 de março no site da Fundação Cefet. Será cobrada taxa de inscrição entre 60 a 90 reais.

Os candidatos deverão passar por uma prova de conhecimentos, com questões objetivas, que será aplicada no dia 07 de abril de 2019, às 7 da manhã.

Inscrições neste link.

Atropelamento no Pontal: por falta de médico no DPT taxista não fez teste de alcoolemia

Imagem registrada do acidente. Foto: Pimenta/reprodução.

O taxista Agnelo Brito Leal, de 56 anos, que atropelou duas mulheres e duas crianças no último sábado, 23, no Pontal, não fez o teste de alcoolemia por falta de médico no DPT de Ilhéus. O acidente gerou indignação, uma vez que as vítimas foram atropeladas na faixa de pedestre.

Segundo informações da Polícia Civil, sem o exame fica impossível saber se ele fez uso de álcool antes do acidente. Outros exames que poderiam detectar o uso de drogas também não foram realizados. Agnelo não socorreu as vítimas e tentou fugir do flagrante, mas foi impedido por populares. Uma das crianças teve traumatismo craniano. Ela tem quatro anos e está internada no Hospital Manoel Novaes, de Itabuna.

A investigação ainda não conseguiu as imagens de uma câmera de segurança que pode ter gravado o acidente.  O acesso não é tão facilitado como parece. A Polícia Civil, em Ilhéus, não possui técnicos capacitados para retirar as imagens dos equipamentos. Para extraí-las, os investigadores normalmente contratam técnicos particulares e os pagam com dinheiro do próprio bolso.

O taxista Agnelo, que mora em Itabuna, passou pela audiência de custódia, mas continua preso. Um agente de trânsito do município, em depoimento, disse que ele não conduzia o carro em alta velocidade. Provavelmente trafegava de 50 a 60 Km/h. A falta de atenção causada pelo uso de celular pode ter causado o acidente.

Sinebahia Ilhéus oferece 9 vagas nessa quarta-feira

Uma vaga para topógrafo no Sinebahia Ilhéus.

Confira abaixo as vagas de emprego disponíveis nessa quarta-feira, 27, na agência do Sinebahia Ilhéus, que fica na sala 13 do SAC, situado na Rua Eustáquio Bastos, 308, Centro.

Não esqueça de levar a carteira de trabalho, RG, CPF, comprovante de residência e de chegar antes das 9. 

OFICIAL DE SERVIÇOS GERAIS (PCD)

Exclusiva Para Pessoas Com Deficiência

Não exige escolaridade

Não exige experiência

1 VAGA 

CONSULTOR DE VENDAS

Ensino Médio Completo

Experiência mínima de 6 meses na carteira na área de vendas

1 VAGA 

AUXILIAR DE MECÂNICO DE MOTO E BIKE

Ensino Médio Incompleto

Experiência mínima de 6 meses na função

1 VAGA  (mais…)

Casos de dengue no Brasil aumentam 149% em janeiro; chikungunya diminui 51%

Mosquito Aedes aegypti. Foto: internet.

Da Agência Brasil.

O número de casos prováveis de dengue registrados no Brasil em janeiro deste ano mais que dobrou em comparação ao mesmo período de 2018. De acordo com o Ministério da Saúde, até o dia 2 de fevereiro, o aumento era de 149%, passando de 21.992 para 54.777 casos prováveis – uma incidência de 26,3 casos por 100 mil habitantes.

Ainda segundo a pasta, foram registradas, até o momento, cinco mortes provocadas pela doença, sendo uma no Tocantins, uma em São Paulo, duas em Goiás e uma no Distrito Federal. Em 2018, foram notificados 23 óbitos por dengue.

Por meio de nota, o ministério avaliou que os dados epidemiológicos alertam para a necessidade de intensificação das ações de eliminação de focos do Aedes aegypti em todas as regiões do país. “São ações que envolvem gestores estaduais, municipais, governo federal e a população”.

Regiões

De acordo com o boletim, a região Sudeste concentra 60% (32.821) do total de casos registrados no país em 2019. Em seguida estão as regiões Centro-Oeste, com 10.827 casos de dengue; Norte, com 5.224 casos; Nordeste, com 4.105 casos e Sul, com 1.800 casos.

Em relação à incidência, que considera a proporção de casos com o número de habitantes, Centro-Oeste e Sudeste apresentam os maiores dados: 67,3 casos por 100 mil habitantes e 37,4 casos por 100 mil habitantes, respectivamente.

Quando comparados os dados entre 2018 e 2019, o Sul apresenta o maior índice de crescimento de casos, 597,7%, passando de 258 para 1.800 casos prováveis. O Sudeste teve aumento de 472,6%, saindo de 5.732 para 32.821 casos. O Norte tem índice de 233%, saindo de 1.569 para 5.224 casos. E o Nordeste registra crescimento de 37,6%, passando de 2.983 para 4.105 casos.

O Centro-Oeste, segundo o balanço, é a única região do país que apresentou redução nos números, de 5,4%, saindo de 11.450 para 10.827 casos prováveis de dengue.

Estados

O levantamento mostra que dois estados registraram aumento de mais de 1.000% no número de casos de dengue  – Tocantins, com crescimento de 1.369%, saindo de 210 para 3.085 casos prováveis; e São Paulo com aumento de 1.072%, passando de 1.450 para 17.004 casos prováveis.

Outros dois estados, segundo o ministério, apresentaram crescimento considerado significativo: Paraná, com aumento de 648,6%, saindo de 214 para 1.602 casos; e Santa Catarina, com 644%, passando de 18 para 134 casos.

Em relação à incidência, destacam-se Tocantins, com 198,4 casos por 100 mil habitantes; Acre, com 163,7 por 100 mil habitantes; Goiás, com 108,7 por 100 mil habitantes; Mato Grosso do Sul, com 79,7 por 100 mil habitantes; Espírito Santo, com 61,9 por 100 mil habitantes; e Minas Gerais, com 58,9 por 100 mil habitantes.

Zika

Ainda de acordo com o boletim, até 2 de fevereiro, foram notificados 630 casos de infecção pelo vírus Zika em todo o país – uma redução de 18% em relação ao mesmo período de 2018, quando haviam 776 casos. A taxa de incidência da doença no Brasil é de 0,3 casos por 100 mil habitantes.

O Norte apresentou o maior número de notificações, 410 casos. Em seguida, aparecem as regiões Sudeste, com 119 casos; Nordeste, com 49 casos; Centro-Oeste, com 43 casos; e o Sul, com 9 casos.

Chikungunya

Já em relação ao chikungunya, o Brasil apresentou redução de 51% nos casos este ano em relação ao mesmo período de 2018. Até 2 de fevereiro, foram registrados 4.149 casos prováveis de infecção contra 8.508 casos notificados no ano passado.

A incidência, em 2019, está em 2 casos por 100 mil habitantes. Entre as regiões, o Norte do país apresentou o maior número de casos, 2.730. Em seguida, aparecem Centro-Oeste, com 789 casos; Nordeste, com 446 casos; Sul, com 94 casos; e Centro-Oeste, com 90 casos.

Itabuna: MPT processa operadora de telemarketing da Oi e pede indenização de R$20 milhões

Justiça do trabalho demora para julgar ação do MPT e trabalhadores continuam prejudicados.

O Ministério Público do Trabalho (MPT) moveu ação civil pública contra a operadora Oi e a Tel Telemática, empresa que presta serviços de telemarketing, pela prática de um grande conjunto de irregularidades trabalhistas ao longo de vários anos. A ação está sendo apreciada pela 1ª Vara do Trabalho de Itabuna, onde fica a filial da empresa.

Além de pedir a correção imediata das práticas ilegais listadas, o MPT pede que as empresas sejam condenadas a pagar indenização de R$ 20 milhões. O pedido de liminar feito pelo órgão para obrigar a empresa a corrigir as ilegalidades no ambiente de trabalho ainda não foi apreciado pela Justiça, apesar de ter sido ajuizada em julho do ano passado.

O procurador Ilan Fonseca, autor da ação, se diz preocupado com a falta de um posicionamento da Justiça acerca das inúmeras situações levantadas durante o inquérito aberto no MPT. “O meio ambiente de trabalho na unidade da Tel Telemática é degradado e são registrados muitos afastamentos por doenças ocupacionais e denúncias de assédio moral. Cada dia que passamos sem que a empresa seja obrigada a corrigir essas práticas representa risco de mais pessoas serem vitimadas”, destacou. O inquérito que deu origem à ação foi aberto a partir de uma série de denúncias de empregados da Tel Telemática se queixando de que estavam sendo submetidos situações de esgotamento físico e mental.

Entre as denúncias estão a pressão psicológica que os funcionários recebem para entregar resultados e resolver as reclamações feitas por clientes da Oi. O tempo de cada ligação era rigorosamente cronometrado por um supervisor e o intervalo entre uma chamada e outra dura poucos segundos, aumentando o nível de estresse dos operadores. O retorno das ligações de clientes insatisfeitos e a quantidade de transferência das ligações entre setores do call center são computados negativamente no histórico do empregado. Outra queixa recorrente é que o tempo de permanência no sanitário é controlado, o que tem gerado problemas, principalmente para as mulheres.

As irregularidades cometidas pela Tel Telemática vão além. Muitos empregados não gozam de intervalo de 15 minutos para o descanso nem pausas durante a jornada, o que gera sobrecarga de trabalho. Além disso, muitos deles são desviados de suas funções, acumulando tarefas que não eram da sua competência. O ambiente de trabalho, segundo os funcionários da empresa, também não oferece condições adequadas. As cadeiras não atendem às normas de ergometria, causando desconforto e dores nas costas. A acústica do ambiente não é satisfatória para trabalhar com fones de ouvido e muitos empregados reclamam de problemas na audição. Há ainda queixas sobre a temperatura, a pouca luminosidade no ambiente e à não emissão de Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT).

A empresa chegou a ser interditada em 2017 depois de uma inspeção realizada por auditores-fiscais do trabalho da Gerencia Regional do Trabalho de Ilhéus. A interdição foi motivada pela não concessão do descanso semanal aos trabalhadores, inexistência de banco de horas válido, trabalho aos domingos sem autorização legal, excesso de carga horária sem intervalo de 15 minutos para as horas extras das mulheres e violação do limite das seis horas diárias de trabalho para teleatendimento. O ato de total interdição das atividades da empresa foi acompanhado pela Polícia Federal.

Segundo o procurador, as infrações aconteciam em doses planejadas e estratégicas, para o conjunto dos trabalhadores, produzindo insatisfação generalizada e rotatividade de empregados jamais vista em outro setor econômico. “A Tel Telemática só presta serviços à Oi, de quem recebe todos os procedimentos de trabalho que devem ser executados. As remunerações pouco superam o salário mínimo, a taxa de pedidos de dispensa é elevadíssima”, disse o procurador.

Na ação, o MPT demonstra que a maior parte do quadro de funcionários é formada por jovens que estão no primeiro emprego. Mas que a euforia da contratação com carteira assinada é rapidamente substituída pela depressão clínica. Uma das muitas empregadas demitidas pela Tel telemática trabalhou na empresa entre 2016 e 2017. Em depoimento, ela contou que ganhava um salário mínimo, chegava a atender 700 ligações por mês, mas foi dispensada por baixa produtividade. Disse também que era questionada muitas vezes por ir ao banheiro e que já viu muitos colegas de trabalho desenvolverem problemas de rinite, cisto na mão por excesso de digitação e até precisarem de atendimento médico de emergência por causa da sobrecarga de pressão e trabalho.

Outro empregado que também prestou depoimento no inquérito relatou que recebia advertência verbal porque era obrigado a mentir para os clientes da Oi durante os atendimentos. Contou também que ele e outros colegas chegavam em casa com alto nível de estresse e que sua saúde estava sendo prejudicada. A primeira audiência do caso, que aconteceria no começo deste mês foi desmarcada pela Justiça, que ainda não se posicionou sobre o pedido de liminar feito pelo MPT. A empresa de call center responde a outras duas ações civis públicas movidas pelo MPT no estado e tem 70 multas aplicadas pela fiscalização do trabalho sem terem sido pagas.

Com informações da assessoria do MPT.