Partiu Estágio abre inscrições para mais de 2.300 vagas em órgãos estaduais

Foto: Camila Souza/GOVBA.

O programa Partiu Estágio, do Governo do Estado, está com as inscrições abertas. Até o dia 24 de fevereiro, estudantes do nível superior matriculados em cursos presenciais de universidades baianas, que tenham concluído no mínimo a metade da carga horária, podem se inscrever através do site. São 2.325 novas vagas remuneradas, disponíveis em 62 órgãos estaduais de 49 municípios do estado. Têm prioridade estudantes portadores de deficiência, aqueles que estão cadastrados no CadÚnico dos programas sociais do Governo Federal, e quem cursou todo o Ensino Médio da rede pública ou como bolsista na rede privada.

O edital com todas as informações está disponível no site do programa. Há oportunidade para 109 cursos diferentes. Porém, se o estudante faz licenciatura, mas a vaga disponível for em bacharelado, ele não pode que se inscrever. “O estágio tem que ser feito no curso que o aluno faz. O sistema já prevê que ele pode fazer inscrição para até três órgãos, no curso que ele faz na universidade, nos municípios que ele reside ou estuda. A Lei de Estágio exige que tenha um profissional que supervisione o estágio porque, se órgão não tiver um supervisor da área, o estágio não terá validade”, explicou o coordenador do Partiu Estágio, Agnaldo Barbosa.

Estudante do 7º semestre de Medicina Veterinária, Rafael Gutemberg, vai concorrer a uma das vagas. O jovem está de olho tanto na experiência profissional, quanto na remuneração. São 20 horas semanais, com bolsa-estágio de R$455 e auxílio-transporte.  “Minha expectativa é que acrescente mais ao meu currículo. A maioria dos estágios não tem bolsa e eu preciso correr atrás”, afirmou Rafael, que vai concorrer a uma vaga na Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab),  Secretaria de Saúde (Sesab) e no Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema).

Há oito meses, a estudante do 7º semestre de jornalismo, Dóris Queiroz, faz estágio na Secretaria de Comunicação (Secom). Na Coordenação de Rádio, a universitária vive na prática a rotina de trabalho de uma redação jornalística. A experiência abriu novos horizontes para Dóris, que antes pensava em seguir carreira na televisão, mas foi conquistada pelo rádio. “O estágio aqui me abriu muitas portas. Eu tenho o aprendizado técnico, eu gravo, edito, vejo onde estou errando, o que eu não tenho na faculdade. Eu nem consigo mais fazer o televisionado”, contou a universitária.

Reportagem: Lina Magali.

Sinebahia Itabuna oferece 52 vagas nessa segunda-feira

11 vagas para conferentes de mercadorias no Sinebahia Itabuna.

Confira abaixo as oportunidades de emprego do Sinebahia Itabuna. As vagas estarão disponíveis nessa segunda-feira, 4.

A agência funciona no Shopping Jequitibá. Não esqueça de levar o número do PIS, PASEP ou NIS, Carteira de Trabalho, RG, CPF, comprovante de residência e certificado de escolaridade.

Vagas exclusivas para Itabuna. 

AUXILIAR DE LINHA DE PRODUÇÃO (PCD)

Exclusiva Para Pessoas Com Deficiência

Não necessita escolaridade

Não necessita experiência

5 VAGAS 

PORTEIRO

Ensino Médio Completo

Experiência mínima de 6 meses na carteira

3 VAGAS 

AUXILIAR DE LIMPEZA

Ensino Médio Completo

Experiência mínima de 6 meses na carteira

2 VAGAS 

(mais…)

Exclusivo. Governo Marão é péssimo para 58% da população e ruim para 14%, mostra pesquisa

Governo Marão não agrada a maioria.

O BG teve acesso exclusivo a uma pesquisa de opinião feita em Ilhéus nos dias 24, 25, 29 e 30 de janeiro de 2019. Foram entrevistadas 1104 pessoas. A margem de erro é de 3%.

O levantamento foi realizado por um instituto de pesquisas muito respeitado no sul da Bahia, que por sinal, acertou o resultado das eleições municipais de 2016, em Ilhéus. Devido a questões relacionadas ao contrato, fomos impedidos de revelar o nome da empresa.

O resultado da pergunta “como avalia a administração do prefeito Mário Alexandre?” foi o seguinte: ótima 2.26%; boa 5.89%; regular 17.39%; ruim 14.86%; péssima 58.42%; não sabe 1.18%.

Ao somar ruim e péssima, a administração do prefeito agregou 73.28% dos entrevistados. A confiança e a expectativa relacionadas a Marão atingem 82.5% de baixa e muito baixa.

O especialista responsável revela que em média 9 pessoas avaliam o prefeito negativamente, enquanto apenas uma aprova a gestão. “Em resumo, a administração municipal precisa melhorar e muito. Melhorar especialmente na saúde e na segurança. Esses, além do problema do emprego, são os grandes problemas de Ilhéus, um município com muitos e graves problemas”, afirma na conclusão.

Gilson Nascimento explica mudanças no trânsito do Malhado. Especialista aprova, mas faz ressalvas

Gilson Nascimento e a Avenida ACM. Foto: Whatsaap e Secom/Ilhéus.

Em contato com o BG na tarde de ontem (quinta-feira, 31), o diretor da Sutram, Gilson Nascimento, explicou as mudanças no trânsito do bairro Malhado, em resposta às reclamações dos comerciantes que alegam diminuição do movimento nas lojas.

Segundo Gilson, o novo eixo viário das avenidas ACM e Litorânea Norte foi transformado num binário, onde cada via conduz a um sentido diferente. As duas vias possuem estacionamentos e foram equipadas com ciclovias e faixas exclusivas para ônibus. A tendência da mobilidade urbana no mundo é dar prioridade às vias de serviço e ao transporte coletivo de massa, como ônibus, táxis, vans escolares e de turismo. As ciclovias vão ligar o sul e norte da cidade. “Depois que foram instaladas, percebemos mais pessoas usando bicicletas. Antes passavam despercebidas entre os carros”. Falou o diretor.

Sobre a reclamação dos comerciantes, Gilson afirmou que antes das mudanças houve reunião dos comerciantes com o prefeito, ocasião em que foi apresentado o projeto. “Alguns comerciantes previram queda no movimento das lojas e pediram mão dupla na ACM por isso criamos um bolsão de estacionamento em frente ao Hotel Barravento, e vamos criar outro em frente ao Tamarineiro. Algumas pessoas que estão chateadas pensam em si próprias, já que estacionavam seus veículos na Avenida ACM. Pensavam que as vagas pertenciam a elas. No momento em que as vagas passaram a ser rotativas, em apenas um lado da ACM, isso desagradou”.

Segundo Nascimento, a cidade precisa se desenvolver e é necessário valorizar a hora vida do trabalhador. “Se eu diminuo o tempo que uma pessoa leva de sua casa para o trabalho, e vice-versa, isso diminui o estresse e contribui para o bem-estar”, finalizou.

Análise de um especialista

O arquiteto e urbanista, Artur Zugaib Valente, pós-graduado em planejamento, mobilidade urbana e especialista em sistema viário, disse ao BG que a proposta na Avenida ACM é valida, pois a tendência é que diversas áreas da cidade recebam esse tratamento para reduzir a sensação de congestionamento e melhorar a fluidez do tráfego. Leia o texto enviado por Zugaib.

Essas mudanças tendem a fomentar novos usos do espaço público, como: ampliação de calçadas; ciclovias e ciclofaixas; baias de embarque e desembarque; baias de carga e descarga; uso de locação do espaço público para comerciantes e, também, pode manter alguns estacionamentos ao longo do meio fio.

Por outro lado, há uma cultura implícita na sociedade de ser contra as mudanças, pois interferem diretamente na comodidade de alguns. A verdade é que as propostas são elaboradas para o beneficio de todos, onde alguns podem sofrer e outros ganhar. “É claro que a resistência vai existir, mas a tendência é que em pouco tempo, questão de poucos meses, a vida retorne ao normal e, o atual incômodo, passe a ser visto como benefício.

O sistema viário proposto não deve parar nas avenidas Litorânea e ACM. Para que os resultados sejam perceptíveis, os estrangulamentos existentes, principalmente neste eixo, norte e sul, devem ser minimizados ao máximo. É necessário continuar as faixas rolantes em todo o eixo. Isso vai exigir intervenções em trechos críticos que necessitam de dinheiro para obras, como é o caso do trecho da antiga Petrobras até a Avenida Litorânea.

A ciclovia na ACM tem certa validade, já que as vias perpendiculares estão em más condições, o que obrigaria o ciclista a dar grandes voltas para acessar seu destino. O ciclista tende a otimizar seu percurso e ir pelo caminho mais curto, o que pode gerar circulações não permitidas pelo código de trânsito. Esta ciclovia poderia ter sido implantada em outra etapa. Poderia ser prevista, mas inicialmente, não implantada, dando lugar a estacionamentos ao logo do meio fio, até que, no futuro, a necessidade de implantá-la viesse por solicitação dos mesmos que hoje são contra as mudanças. A tendência é que a população passe a entender que a bicicleta é um ótimo meio de locomoção e não faz distinção de renda.

Sobre a imposição à comunidade, ela está certa e precisa ser escutada para colocar seus comentários sob análise. Também entendo que a ideia dos gerenciadores de tráfego é aperfeiçoar a estrutura viária existente e evitar novas construções de ruas, além de reduzir as atuais manobras irregulares que favorecem o aumento dos congestionamentos. Com essa meta, o sistema binário em vias estruturais da cidade passa a ser uma necessidade indiscutível. Como já disse antes, é necessário para melhorar a capacidade desse percurso. Porém, o desenho técnico de como ficará a estrutura da via, esse sim, deve ser discutido com a população para atendê-la  da melhor forma possível e diminuir a ideia de perda com a nova implantação.

Para entender esse tipo de ação, o livro “Acupuntura Urbana” do ex-prefeito de Curitiba, Jaime Lerner, conta como ele fez, qual foi o resultado e o tempo em que a sociedade aceitou as mudanças.

Pawlo Cidade: “Romualdo poderia ter preparado um espetáculo sobre a época de Jabes”

Jabes Ribeiro é um ponto de inflexão entre Pawlo e Romualdo. Composição de imagens BG.

Perguntado sobre o novo espetáculo do Teatro Popular de Ilhéus, baseado nas trapalhadas do governo Marão, o secretário municipal de cultura, Pawlo Cidade, disse que “a arte é livre. Nunca deve haver censura a uma arte. Ela tem a liberdade de expressão garantida”.

Após ressaltar o aspecto libertário, Pawlo Cidade disse ao BG que o dramaturgo Romualdo Lisboa poderia ter preparado um espetáculo sobre o período em que Ilhéus foi governada por Jabes Ribeiro. “Eu dei um livro a ele, O Santo de Mármore”.

A obra mencionada pelo secretário foi escrita pelo próprio. Remete a uma greve de professores do Instituto Municipal de Ensino (IME), em 1987, quando Jabes Ribeiro exerceu seu primeiro mandato como prefeito de Ilhéus.

No movimento, três professores chegaram a fazer greve de fome, após serem perseguidos e exonerados por Jabes.

Pawlo Cidade deu a entender que o seu livro não sensibilizou Romualdo a preparar uma peça inspirada no principal político ilheense dos últimos quarenta anos. Os governos dos ex-prefeitos Valderico Reis, Newton Lima e o atual, de Mário Alexandre, inspiraram o TPI a produzir peças teatrais, os de Jabes até agora, não.

Comentário do blog.

O livro “O Homem que Amava os Cachorros”, do escritor cubano Leonardo Padura, relata um diálogo entre o revolucionário comunista León Trotsky e o poeta André Breton, no México, quando o primeiro, herói da revolução russa de 1917, vivia um triste exilio após ser expulso pelo ditador soviético Josef Stálin.

No diálogo os dois divergem sobre arte e liberdade. Trotsky , criador do exército vermelho, não admite obstáculos para a criação artística. Breton, também comunista, afirma que a revolução proletária pode impor limites.

Por mais que não esteja submetida aos princípios da razão, a arte no mundo capitalista está sujeita aos interesses e às preferências.

Este comentário não pretende deixar um juízo de valor nas entrelinhas. Trata-se apenas de uma reflexão.