Marão recebe comerciantes para discutir mudanças no trânsito do Malhado

Marão reunido com os comerciantes da Avenida ACM, do Malhado.

O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, recebeu os comerciantes estabelecidos na Avenida ACM, no Malhado, que estão insatisfeitos com as alterações no trânsito do bairro, a partir do projeto de mobilidade urbana executado pela Prefeitura Municipal. Nesta terça-feira, 05, os empresários apresentaram algumas reivindicações de ajustes no projeto, que apontam queda nas vendas com a criação da ciclovia e direcionamento do tráfego de veículos em mão única.

O prefeito ouviu as reivindicações e ressaltou que elas serão analisadas pela equipe da Secretaria de Infraestrutura, Transportes e Trânsito.

Por outro lado, o chefe do Executivo, enfatizou a importância do projeto de mobilidade urbana, que se estenderá também para a zona sul e dará a Ilhéus as primeiras ciclovias da história da cidade. “Nossa intenção é fazer o melhor para a população. Os corredores exclusivos para transporte de massa e as ciclovias beneficiam milhares de pessoas e fazem parte do novo conceito de mobilidade urbana, as mudanças são necessárias para construirmos uma cidade melhor para o futuro. Não abro mão do projeto, mas estamos dispostos a fazer todos os ajustes que se fizerem necessários”, garantiu o prefeito.

Com informações da Secom.

Contrato de R$ 4 milhões com a clínica de familiares do prefeito atende o interesse da população, afirma Magela

Fotos: O Sarrafo/reprodução e Secom/Ilhéus.

Em contato com o BG nesta terça-feira, 05, o secretário de saúde de Ilhéus, Geraldo Magela, explicou a informação publicada no último sábado, sobre o reajuste de 652% no valor do contrato com a clínica COTI, que pertence a dois familiares diretos do prefeito Mário Alexandre (veja aqui).

Segundo Magela, a COTI atende há muitos anos pelo SUS e com o novo contrato outros tipos de serviços serão prestados como: angiologia (tratamento de esponja); diagnóstico por ultrassonografia, oftalmologia, procedimentos cirúrgicos e diagnósticos por radiologia e ortopedia. O valor mensal estimado em R$150 mil será pago de acordo com a produção, e não pode ser considerado ruim para a municipalidade.

Geraldo Magela. Foto: Secom/Ilhéus.

O secretário disse que a empresa participou normalmente do “chamamento público” do município e que não houve aumento injusto. A majoração vai ocorrer “conforme o produto ofertado e atende o interesse da população. Esse contrato é positivo para o município, pois amplia os serviços do SUS, independente de quem seja o proprietário”.

Perguntado se o contrato respeita o princípio da impessoalidade no serviço público, Magela explicou que o chamamento aconteceu durante o período de sua antecessora, a então secretária de saúde Elizângela Oliveira.

“Não se preteriu ou se deu preferência a qualquer prestador. Todos foram chamados em condições legais de prestar serviços à municipalidade. Cada um dos prestadores ofertou o que queria e o que tinha capacidade de ofertar, e o município contratualizou todos de acordo com o estatístico. O chamamento é um modelo impessoal e moralmente justo. Eu acredito que todas as autoridades que tenham conhecimento em saúde pública, vão concordar plenamente com a minha visão e com a de minha antecessora”, finalizou o secretário.

Valderico Junior quer ser prefeito de Ilhéus, mas não consegue administrar a Gabriela FM

Notinhas.

Valderico Junior na epoca em que se aventurava no pagode. Foto: Google.

Os ventos da política sopram favoráveis ao jovem empresário Valderico Junior, proprietário da Gabriela FM.

Dentro do jogo convencional, Junior tem dado passos bem planejados em direção à prefeitura de Ilhéus. Aliançado a políticos da velha ordem conseguiu projetar seu nome como liderança depois das eleições de 2018.

Após ouvir alguns marqueteiros, decidiu esconder o nome do pai (prefeito cassado em 2007) e adotou o nome “Junior Reis”, sua primeira peça de campanha.

O produto está quase pronto. Jovem, pagodeiro, formado em direito, nascido em berço de ouro e filho de homem rico, atributos bem ao gosto do senso comum e dos eleitores menos exigentes.

O problema é que Valderico Filho não consegue administrar a sua emissora de rádio (e trampolim político). Apesar da audiência enorme, anúncios aos montes e dos respeitados profissionais que nela trabalham, a Gabriela FM não possui gestão eficiente. O dono não sabe quanto entra e quanto sai. Diante da insegurança contábil, bateu na porta da UESC a fim de pedir ajuda.

Dizem as fontes que o pai, mesmo com métodos rudimentares, tem mais jeito para os negócios.

Sinebahia Itabuna oferece 58 vagas nessa quarta-feira

Há onze vagas para conferente de mercadoria.

Confira abaixo as oportunidades de emprego do Sinebahia Itabuna. As vagas estarão disponíveis nessa quarta-feira, 6.

A agência funciona no Shopping Jequitibá. Não esqueça de levar o número do PIS, PASEP ou NIS, Carteira de Trabalho, RG, CPF, comprovante de residência e certificado de escolaridade.

Vagas exclusivas para Itabuna. 

AUXILIAR DE LINHA DE PRODUÇÃO (PCD)

Exclusiva Para Pessoas Com Deficiência

Não necessita escolaridade

Não necessita experiência

5 VAGAS 

ESTOQUISTA (PCD)

Exclusiva Para Pessoas Com Deficiência

Ensino Fundamental Completo

Não necessita experiência

1 VAGA 

OPERADOR DE TELEMARKETING (PCD)

Exclusiva Para Pessoas Com Deficiência

Ensino Médio Completo

Não necessita experiência

10 VAGAS 

(mais…)

Governo Bolsonaro desperta expectativa muito alta e alta em 33% dos moradores de Ilhéus

Imagem: Isac Nóbrega/PR/Fotos Públicas.

Pesquisa de opinião feita em Ilhéus nos dias 24, 25, 29 e 30 de janeiro de 2019 mediu o nível de expectativa em relação ao governo do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL). Foram entrevistadas 1104 pessoas e a margem de erro é de 3%.  Devido a questões relacionadas ao contrato, fomos impedidos de revelar o nome da empresa que fez o levantamento.

Quando responderam a pergunta: “qual a sua expectativa para a administração do Presidente Bolsonaro?”, 17.57% dos entrevistados responderam muito alta, 16.03 alta, 17.48 média, 12.41 baixa, 31.07 nenhuma, 5,43 não sabe.

Quando somamos as expectativas muito alta e alta, o resultado é que 33% estão otimistas com Bolsonaro.

O presidente recém-empossado não obteve a maioria dos votos em Ilhéus, nos dois turnos das eleições de 2018. No 1º turno, Bolsonaro teve 34.45% dos votos válidos.

No 2º turno, o petista Fernando Haddad conquistou 54.505 votos (60,68%) e Bolsonaro 35.315 (39,32%). A vantagem do candidato do PT sobre o “capitão” foi de 19.190 votos.

As lideranças políticas de Ilhéus que almejam a “benção” do novo presidente devem torcer para que o governo dê certo.

Representantes do Banco Mundial visitam plantação de Cacau Cabruca em assentamento de Arataca

Foto: Karol Meira/ASCOM SDR.

Projetos produtivos voltados para o fortalecimento da cacauicultura no Território Litoral Sul da Bahia, que obtiveram investimentos do Governo do Estado, por meio do projeto Bahia Produtiva, receberam, na segunda-feira , 4, a visita de representantes do Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD/Banco Mundial).

A visita integra a missão de supervisão do projeto Bahia Produtiva, que tem o objetivo de apresentar os avanços obtidos pelo projeto, nos três anos de execução, e os impactos na renda e na qualidade de vida das famílias beneficiadas.

O grupo, composto pelo diretor do Banco Mundial para o Brasil, Martin Raiser,  a gerente do projeto e especialista sênior em desenvolvimento rural, Fátima Amazonas, foi acompanhado pelo secretário de Desenvolvimento Rural, Jeandro Ribeiro, pelo diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), Wilson Dias, e pelo coordenador do Bahia Produtiva, Fernando Cabral, suas respectivas equipes, e o diretor da AMMA Chocolates, Rafael Fernans.

A programação contou com visita ao Assentamento Terra Vista, em Arataca, onde o grupo visitou o plantio de cacau pelo método Cabruca. O assentamento, vinculado à Cooperativa Pau Brasil, foi um dos 53 empreendimentos contemplados no edital Alianças Produtivas Territoriais, que visa estimular o crescimento produtivo da agricultura familiar da Bahia, por meio de parcerias com o setor privado.

A expectativa com o edital é que o Terra Vista firme parceria comercial com a AMMA Chocolate, empresa localizada na região Metropolitana de Salvador, para fornecer amêndoas de qualidade à empresa.

Para Wilson Dias, a visita do Banco Mundial é mais uma oportunidade de avaliar e monitorar o estágio atual da execução do projeto: “É um momento para identificarmos os desafios e gargalos para realizarmos os investimentos necessários nos empreendimentos assistidos pelo Bahia Produtiva”. 

O representante do assentamento Terra Vista, Joelson Ferreira, apresentou o desenvolvimento que o local teve nos últimos anos: “Os investimentos do Governo do Estado foram importantes para que melhorássemos nossa produção e tivéssemos êxito em nossas ações. Hoje temos uma área reflorestada e produtiva”.

Fábrica de Chocolate

Em Ibicaraí, foi realizada uma visita à Bahia Cacau, primeira fábrica de chocolate da agricultura familiar do país, administrada pela Cooperativa da Agricultura Familiar e Economia Solidária da Bacia do Rio Salgado e Adjacências (Coopfesba), onde foi apresentado o trabalho de melhoramento da amêndoa e da agroindustrialização do cacau, que levou o chocolate da fábrica a se destacar como um dos melhores da Bahia.

De acordo com o secretário da SDR, Jeandro Ribeiro, a secretaria, por meio da CAR, investiu mais de R$70 milhões em projetos produtivos nessa região: “Desse investimento, quase 50% foi na cadeia produtiva do cacau e a visita à fábrica representa esse investimento em um empreendimento já consolidado, que apresenta a variedade de produtos fabricados a partir do cacau”.

Foto: Karol Meira/ASCOM SDR.

O diretor do Banco Mundial no Brasil, Martin Raiser, avaliou positivamente os locais visitados: “Fiquei impressionado com o assentamento, que foca no esforço comunitário e na educação dos jovens, e com a fábrica de chocolate que utiliza produtos dos agricultores da região. São bons exemplos dos esforços do Bahia Produtiva de integrar produtores rurais nas cadeias de valores até chegar aos mercados mais lucrativos e até exportação. Trabalhamos para construir cadeias em que produtores tenham mais renda, apliquem novas tecnologias em sua produção e que os consumidores tenham um produto melhor. Na cadeia do cacau, vejo que isso está dando certo”.

Nesta terça-feira, 5, em Ilhéus, o grupo visita o Instituto Biofábrica do Cacau – OSCIP, que tem como objetivo o cultivo e disseminação de mudas de frutas de espécies subtropicais.

Texto: Ascom SDR.