Faculdade Madre Thais oferece Pós-Graduação em Libras: Docência e Interpretação

A Faculdade Madre Thais (FMT) oferece o curso de Pós-Graduação em Libras: Docência e Interpretação. O objetivo é especializar profissionais para fazer a comunicação por meio da LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) habilitando em seus aspectos linguístico e didático, com vistas à inclusão educacional, bem como no desenvolvimento da cultura dos surdos no que tange à comunicação bilíngue.

Com parcela dos professores surdos, o curso lato senso (especialização) visa propiciar aos profissionais das diversas áreas a capacidade de compreender e interagir com a comunidade dos surdos, contribuindo para a geração de conhecimento e a formação de pessoal qualificado, de modo que, mediante o ensino de LIBRAS e interpretação possa ter conhecimento acerca da singularidade linguística manifestada pelos surdos ou por pessoas com défict auditivo.

O curso é destinado aos graduados em curso superior reconhecido pelo MEC, áreas de educação, saúde, fonoaudiólogos, psicólogos, enfermeiros, médicos, intérpretes em LIBRAS, profissionais que atuam ou pretendam atuar na educação especial e que desejam ampliar seus conhecimentos em educação especial e em LIBRAS, e profissionais da área de recursos humanos que atuam em empresas.

A inscrição pode ser feita na coordenação de pós-graduação da FMT, a partir das 14 horas. O curso, coordenado pela professora Cristiane Silva, será integralizado em 15 meses com 450 horas/aula. Informações na secretaria da FMT na Av. Itabuna, 1491, Gabriela Center. Ilhéus, Bahia, ou pelo telefone  (73) 3222-2330.

Mauro Alves vai ser os olhos de Ângela no dia-a-dia do prefeito

Notinhas.

Mauro Alves: o observador indicado por Ângela.

A nomeação de Mauro Alves como chefe de gabinete do prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, atende determinação da ex-deputada estadual Ângela Sousa.

Mauro é pessoa da confiança da ex-parlamentar – por dizer apenas o que ela gosta de ouvir – e exerceu cargos no governo estadual indicado por ela. Sem ter qualquer experiência no trato com a imprensa, costuma acompanhá-la nos estúdios de rádio durante as entrevistas e em viagens políticas.

Mauro vai chefiar um gabinete vazio e sem vida (segundo o vice-prefeito Nazal, em determinados horários do dia é possível andar “nu” pelo recinto). Também não terá acesso facilitado ao verdadeiro ambiente de trabalho do chefe, no condomínio Aldeia Atlântida.

A mais importante missão de Mauro será manter a mãe do prefeito bem informada sobre moças bonitas que podem se aproximar de Marão para tirar proveito.

Neopentecostal praticante, ela repudia o poder nos seus aspectos afrodisíacos e os possíveis efeitos no filho.

CIPPA flagra carro com som alto no Malhado

Foto: CIPPA/PS.

Na última sexta-feira, 08, a Companhia Independente de Polícia de Proteção Ambiental (CIPPA/Porto Seguro) encontrou um carro com som muito alto na Avenida Litorânea Norte, no bairro Malhado, em Ilhéus.

O flagrante aconteceu por volta das 21 horas, após denúncia anônima recebida pelos policiais militares. O volume foi medido, tendo sido constatado 83,2 decibéis de poluição sonora.

A aparelhagem e o veículo foram apreendidos. Edson de Lima Oliveira, responsável pelo carro, vai responder no judiciário por crime ambiental e perturbação do sossego.

Expectativa de trabalho no Assaí leva centenas de pessoas ao SAC de Ilhéus

Foto enviada por leitor do BG.

O Sinebahia iniciou a seleção de candidatos para o preenchimento de 107 vagas na loja do Assaí Atacadista de Ilhéus.

Na manhã desta segunda-feira, 11, a fila de pretendentes percorria toda a calçada do SAC e dobrava a esquina indo até a frente do Mercado de Artesanato, no centro de Ilhéus. Alguns passaram toda a noite anterior no local.

O Assaí Atacadista vai contratar chefes de atendimento, chefe de cafeteria, operadores de loja, dentre outras funções.

Todas as vagas estão neste link.

Sinebahia Itabuna oferece 22 vagas nessa terça-feira

Uma vaga para fotógrafa no Sinebahia Itabuna.

Confira abaixo as oportunidades de emprego do Sinebahia Itabuna. As vagas estarão disponíveis nessa terça-feira, 12.

A agência funciona no Shopping Jequitibá. Não esqueça de levar o número do PIS, PASEP ou NIS, Carteira de Trabalho, RG, CPF, comprovante de residência e certificado de escolaridade.

Vagas exclusivas para Itabuna. 

AUXILIAR DE LINHA DE PRODUÇÃO (PCD)

Exclusiva Para Pessoas Com Deficiência

Não necessita escolaridade

Não necessita experiência

5 VAGAS 

ESTOQUISTA (PCD)

Exclusiva Para Pessoas Com Deficiência

Ensino Fundamental Completo

Não necessita experiência

1 VAGA 

OPERADOR DE TELEMARKETING (PCD)

Exclusiva Para Pessoas Com Deficiência

Ensino Médio Completo

Não necessita experiência

10 VAGAS  (mais…)

Queda de helicóptero mata o jornalista Ricardo Boechat

Ricardo Boechat.

O jornalista Ricardo Boechat, de 66 anos, da TV Band e rádio BandNews, morreu após a queda de um helicóptero em São Paulo, nesta segunda-feira, 11. Informa a Folha de São Paulo.

O corpo de bombeiros informou que duas pessoas tinham morrido após um helicóptero cair sobre um caminhão num trecho do Rodoanel que dá acesso à rodovia Anhanguera, na zona oeste de São Paulo. O acidente ocorreu na altura do km sete do Rodoanel, sentido Castelo Branco, próximo a um pedágio.

Brumadinho, uma Guernica mineral

Mariana e Brumadinho não estão sós. Nem são apenas quatro, como os cavaleiros do Apocalipse. São quatrocentas. Ou mais. Uma delas, dependurada sobre a joia artística que é Congonhas, em Minas Gerais, ameaça com 100 milhões de metros cúbicos de rejeitos, de lama fatal, um extraordinário patrimônio artístico-cultural e a vida inestimável de milhares de pessoas. Ali, a Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos coroa o mais espetacular complexo arquitetônico e estatuário do Brasil. Não é exagero. O conjunto paisagístico e artístico representado pelo santuário não tem paralelo no país.

Sérgio Abranches.

Foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press.

Por Sérgio Abranches, publicado no site EM.com.br .

Brumadinho é um espanto. Uma Guernica mineral. Um desalento. Porque não é um só. Antes veio Mariana. Matou um rio, 19 humanos, fraturou a cultura ribeirinha do povo krenak das margens do Rio Doce, destruiu o modo de vida dos pescadores. Soterrou patrimônio natural, cultural, modos de vida e de sobrevivência. Antes ainda que as feridas profundas de Mariana se fechassem e sem reparação à altura das perdas e danos, veio o desastre da Mina Córrego do Feijão. Que vergonha e que indignação!

Mariana e Brumadinho não estão sós. Nem são apenas quatro, como os cavaleiros do Apocalipse. São quatrocentas. Ou mais. Uma delas, dependurada sobre a joia artística que é Congonhas, em Minas Gerais, ameaça com 100 milhões de metros cúbicos de rejeitos, de lama fatal, um extraordinário patrimônio artístico-cultural e a vida inestimável de milhares de pessoas. Ali, a Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos coroa o mais espetacular complexo arquitetônico e estatuário do Brasil. Não é exagero. O conjunto paisagístico e artístico representado pelo santuário não tem paralelo no país.

Abaixo da basílica, sob o olhar dos 12 profetas esculpidos pelo gênio Aleijadinho, coreograficamente distribuídos pelo adro, derrama-se a via-sacra, também do artista, em capelas nas quais as cenas talhadas em madeira em tamanho natural encantam e enternecem. Além da beleza das esculturas, os profetas do adro da igreja e as cenas da Paixão de Cristo nas capelas revelam uma cenografia deliberada e expressiva. É o principal legado escultórico de Aleijadinho, tombado e abandonado. A filha de um maestro amigo meu, ao vê-las aos 8 anos de idade, exclamou: “Estão vivas, papai!”. E estão, mas por quanto tempo?

Esse santuário artístico, que contou com os gênios de Aleijadinho e outros grandes artistas do Brasil colonial, como o insuperável Mestre Ataíde, Francisco de Lima Cerqueira e João Nepomuceno Correia e Castro, está emoldurado por um cenário natural espetacular e cercado por sobrados que não se fazem mais. Sobre esse precioso bem coletivo está uma barragem como essas que se romperam, porém ainda maior. A Casa de Pedra contém 100 milhões de metros cúbicos de rejeitos, de lama tóxica, prontos para soterrar o legado de Aleijadinho, eliminando-o do mundo e da memória. Em Mariana, foram 50 milhões; em Brumadinho, 12 milhões.

Brumadinho pode ter matado mais de duas centenas de seres humanos. Liquidou negócios e criações. Está matando o Rio Paraopeba. O Paraopeba é um rio sertanejo como eu e, enlameado, caminha para minhas paragens curvelanas. Pode enlamear parte do grande sertão e das veredas de Guimarães Rosa, tirando-lhes até o sentido metafísico. O Doce, rio serrano, tem uma de suas nascentes ao lado, Barbacena, cidade de meu pai, de meu irmão e de minha infância. Conheço as vítimas, cresci com elas. E como dói.

Em São Joaquim das Bicas, os pataxós da aldeia Hã-hã-hãe foram evacuados. Estão ameaçados por Brumadinho do mesmo destino dos krenak do Rio Doce. Hoje, nas margens do rio morto, os velhos krenak contam para os jovens sobre os animais e a vida ribeirinha perdidos na lama, para que mantenham suas referências, agora meras abstrações. O canal Futura tem uma série de documentários pungentes sobre o drama dos krenak do Doce morto.

Essas tragédias não foram incidentais. Elas tiveram causas e autores humanos. O autor principal chama-se Vale. Uma empresa que se apresenta como verde, mas esse verde é camuflagem de predador. Como disse Drummond, o vale é doce, a Vale, amarga. O autor coadjuvante chama-se Estado. Ambos, empresa e Estado, têm uma característica genética comum: suas ações dependem das escolhas de seus gestores, a diretoria, num caso, o governo, no outro. Escreveram essa tragédia a várias mãos, a empresa, suas subsidiárias, as consultoras, os governos estadual e federal, com más decisões, colocando a taxa de lucro acima do valor das vidas humanas e do patrimônio cultural, ambiental e paisagístico.

(mais…)

Cacique Babau denuncia suposto plano para matar membros de sua família

Cacique Babau. Fotos: Emilio Gusmão.

Reportagem de Rubens Valente na Folha de São Paulo traz denúncia do Cacique Babau, da tribo Tupinambá da Serra do Padeiro, em Buerarema, sobre um suposto plano de fazendeiros da região para assassinar alguns de seus parentes.

Babau pediu proteção para sua família ao Governo da Bahia e ao Ministério Público Federal. A informação sobre o plano lhe foi passada em janeiro passado por uma fonte dos índios. Conforme a versão, fazendeiros, policiais civis e militares discutiram uma forma de montar uma incriminação falsa relacionada ao tráfico de drogas, como também, uma troca de tiros para matar três irmãos do Cacique e duas sobrinhas.

As drogas e as armas seriam plantadas nos carros do indígenas, após uma blitz, para depois serem divulgadas em emissoras de rádio e TV da região.

Babau não quis denunciar as Polícias Civil e Militar, mas sim, alguns infratores que integram as corporações e fazem parte do plano.

A reportagem na íntegra está neste link.

O Blog do Gusmão foi o primeiro veículo de comunicação do sul da Bahia que entrevistou o Cacique Babau. Predomina na maior parte da imprensa regional uma posição política alinhada a alguns grandes fazendeiros, contrária e preconceituosa com o povo Tupinambá. O BG decidiu dar voz à luta dos índios e ouvir também os pequenos agricultores.

Recorde a entrevista gravada em abril de 2013