Lula, preso, trabalha na cadeia

Por Julio Gomes.

No dia 07/04/2018 – há quase um ano atrás – ocorreu a prisão do ex-Presidente Lula, por ordem do então Juiz Sergio Moro. Logo em seguida, como efeito desta mesma Sentença, Lula foi impedido de conceder entrevistas e de concorrer à Presidência da República, além de sofrer graves restrições ao recebimento das visitas a que teria direito. Lula permanece preso, cumprindo sentença em regime fechado, na distante e fria Curitiba, longe de sua família que mora em São Paulo, mesmo tendo 73 anos de idade.

Seu Algoz, por sua vez, largou a magistratura e como “prêmio” se tornou Ministro da Justiça do governo que, sem dívida alguma, contribuiu de forma fundamental para eleger, tomando posse em 01/01/2019 no seu novo cargo, junto com o novo Presidente, tendo sido o primeiro ministro a ser empossado pelo novo Governo.

Lula se encontra hoje preso em Curitiba, onde a Juíza então responsável pela execução penal continuou a impor restrições inaceitáveis e ilegais ao ex-Presidente, tais como, recentemente, a negativa de sair da prisão para acompanhar o enterro de seu irmão Genival Inácio da Silva, falecido em 29/01/2019, contrariando expressamente o que dispõe a Lei de Execução Penal em seu artigo 120, que estabelece que os condenados que cumprem pena em regime fechado poderão obter permissão para sair do estabelecimento, mediante escolta, quando ocorrer o falecimento ou doença grave do cônjuge, companheira, ascendente, descendente ou irmão. Milhares de presos em todo o Brasil tiveram o deferimento deste direito, que a Lula foi simplesmente negado.

Entretanto, há um aspecto que precisa urgentemente ser ressaltado: Lula, na prisão, trabalha! E seu trabalho consiste, exatamente, em manter-se preso com dignidade, recebendo as visitas que são permitidas, e sustentando, com sua presença viva, ainda que no cárcere, os ideais pelos quais lutou durante toda a sua vida.

Talvez o governo Brasileiro aceitasse um pedido de extradição de Lula para outro país, coisa que ele jamais encaminhou. Talvez concordasse – dada a natureza política de sua condenação, que se fundamentada unicamente em denúncias de delatores ameaçados de prisão – que em um “acordo” o ex-Presidente ficasse fora da cadeia, caso se retirasse da vida pública. Mas Lula é inteligente e tem vivência suficiente para entender que deverá sair da cadeia, unicamente, pela mesma porta da frente em que entrou, e que enquanto isto não ocorre sua melhor forma de atuação política e social é permanecer encarcerado.

Lula, preso, simboliza a prisão injusta e a exclusão dos mais pobres deste país. Simboliza que é possível erradicar a fome e a miséria, mas que quem está no poder não permite isto. Significa que é possível que pobres frequentem a universidade e se formem, que sejam consumidores de fato, que viagem de avião, que comam três vezes ao dia, que tenham salário e aposentadoria dignos. Em uma palavra: que o Estado, por meio de um governo que abrace tais objetivos, possa torná-los cidadãos de fato, e que se isso não ocorre é porque há interesses que se opõem radicalmente a isto.

Lula, preso, é motivo de mobilização social e mantém seus ideais vivos, como o fez Nelson Mandela na África do Sul há poucas décadas atrás. E Lula, tal como Mandela, não pode ser solto, porque senão o povo o tornará Presidente de novo. Quem o prendeu sabe disso, e por isso, unicamente, o mantém preso, pouco importando quais sejam as acusações, a defesa, as testemunhas e as provas. O que importa, para quem não tolera a ideia de que pobre viva dignamente, é manter Lula preso até o fim. Nada mais importa.

Lula sabe de tudo isso. Experiente, maduro, sabe que seus ideais valem mais do que sua própria vida e, preso, exerce o simbolismo necessário para que toda a luta pelos excluídos permaneça viva.

E o trabalho de Lula dará frutos porque, para desespero de quem o odeia, Lula receberá, muito provavelmente ainda na cadeia, o Prêmio Nobel da Paz, sendo o único brasileiro a conquistar tal feito, porque ousou, até o fim, lutar por quem mais precisava: pelos pobres e excluídos do Brasil.

Julio Cezar de Oliveira Gomes é graduado em História e em Direito pela UESC – Universidade Estadual de Santa Cruz.



6 responses to “Lula, preso, trabalha na cadeia

  1. Mais um monte de asneiras. Louvação a um saqueador dos cofres públicos. Ainda insistindo que o asdsaltante Lula é preso político. Me faça uma garapa.

  2. Um esclarecimento necessário, em respeito ao editor do Blog e ao leitor: este texto foi escrito poucos dias antes do falecimento do neto de Lula. Por isso, não há referência a este fato no artigo.

  3. Com absoluta certeza o autor não é uma das muitas vítimas da gestão do PT, comandada pelo Sr. Luiz Inácio Lula da Silva.
    Provavelmente não está com 20% de sua aposentadoria mensal confiscada para cobrir os rombos deixados nos fundos de pensões do país.
    Talvez pelo contrário, tenha ou seja um dos muitos beneficiários da roubalheira generalizada que tomou conta do país no decorrer da gestão do PT.

  4. Eu como acadêmico de Direito do nono período, não posso acreditar na inocência do Lula, um cara que desviou bilhões dos cofres público, para apoiar genocidas ditadores africanos, Hugo Chávez, Nicólas Maduro, Fidel Castro e tantos outros governantes que usam seus arsenais bélicos contra seu próprio povo, me recuso a acreditar na inocência do Lula, votei nele em 2002 e 2006 e em 2010, votei na Dilma, acreditava num cara que surgiu do meio trabalhador, eu como trabalhador e tantos outros esperávamos ética e lealdade da parte dele, claro, que não sou idiota pra dizer que o Lula não fez coisas boas, fez sim, mas, por trás de alguns benefícios para os pobres, escondia os bilhões desviados junto com a odebrecht, Friboi, oas e outras, não foi um governo para os pobres, pois quem ditava eram os grandes empresários, comprando medidas provisórias e consciências. Os alienados e fanáticos como o autor deste artigo acima, vão dizer que o Lula erradicou a pobreza, tirou milhões da pobreza, aí pergunto, onde estão os pobres que ficaram ricos com o governo do PT? Será que são os que moram no minha casa minha vida? os que recebem o bolsa família? Governo bom e justo não é o que pratica o pão e circo, que aumenta sua população na dependência dos benefícios sociais, governo bom, reduz a pobreza e a dependência do povo do governo, não que extinguirá a pobreza, pois sempre haverá o pobre, porém quanto mais miseráveis dependendo do bolsa família, mais miseráveis se multiplicam, ao contrário deve qualificar esses amparados no bolsa família, melhorar a economia, reduzir a carga tributária, gerar emprego e renda e reduzir o desemprego, aí sim você reduz a miséria e melhora os índices sociais e o IDH. LULA, não é inocente, possa ser que os que o julgaram, cometeram excessos, é normal, o homem não é inerrante, porém eu me recuso a vê, pensar e acreditar como o sr Júlio Cezar de Oliveira Gomes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *