Gerar emprego é prioridade

Por Eduardo Salles.

Independente de ideologias ou preferências partidárias, acredito que neste momento a principal função de todo representante eleito é trabalhar para criar condições que permitam dinamizar a economia, permitindo a criação de postos de trabalho. Apenas quem vive em bolhas não consegue enxergar que o desemprego é o principal problema nacional.

Seja na iniciativa privada, onde tive a experiência de ser diretor de empresas multinacionais, ou no setor público, como secretário estadual de Agricultura e deputado estadual, sempre trabalhei na elaboração e execução de projetos responsáveis pela geração de milhares de empregos diretos e indiretos.

Os números do desemprego são alarmantes, conforme dados divulgados pelo IBGE em novembro de 2018. Conforme pesquisa do órgão, 11,6% da população economicamente ativa não tem trabalho, o que equivale a 12,2 milhões de pessoas. Outros 4,7 milhões de trabalhadores estão em situação de desalento (desistiram de procurar emprego).

Vale ressaltar que os dados divulgados pelo IBGE, que fazem parte do PNAD (Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios), 23,8 milhões de pessoas trabalham por conta própria. A grande maioria na informalidade, sem contribuir com a Previdência Social e acesso a direitos.

Na Bahia, mesmo com todos os esforços feitos pelo governo estadual, os números também são preocupantes. Dados do IBGE de agosto de 2018 mostram que 1,168 milhão de baianos não têm emprego e outros 877 mil desistiram de procurar uma vaga no mercado de trabalho.

Os efeitos da crise econômica são devastadores na capital e interior, onde, muitas vezes, as prefeituras e o setor público são os grandes ou únicos vetores de emprego e renda. Some ainda as dificuldades climáticas, já que a Bahia tem 70% de seu território na região semiárida.

São muitas dificuldades, é verdade. Mas isso não significa que estamos condenados. Enxergo inúmeros potenciais nos quatro cantos da Bahia. Acho que precisamos é elaborar políticas públicas e uma legislação mais eficiente que permita dinamizar e descentralizar os investimentos, retirando as arestas dos empreendedores da agropecuária, indústria, comércio e serviços.

No meu primeiro mandato, propus, ajudei a criar e presidi a Frente Parlamentar da Micro, Pequena e Média Empresa, que foi responsável pela elaboração da minuta da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, que pretende regular, entre diversos pontos, as taxas, incentivos e benefícios fiscais diferenciados, simplificar os processos de abertura, alteração e baixa da empresa, regulamentar o parcelamento de débitos relativos aos tributos estaduais, dá preferência nas aquisições de bens e serviços nas licitações promovidas pelo governo estadual, permitir a dupla visita da fiscalização orientadora e garantir juros mais baixos nas instituições financeiras administradas pelo estado.

Eduardo Salles é deputado estadual pelo PP.



One response to “Gerar emprego é prioridade

  1. O nobre deputado deveria lutar para defender os participantes do PLANSERV, e não ficar fazendo politicagem junto a esse governador de meia boca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *