Acredite. Governo Marão aplicou asfalto na Lomanto Junior duas horas antes da chuva

Marão grava vídeo na Lomanto Junior, horas antes da chuva.

Na madrugada dessa quinta-feira, 21, o prefeito de Ilhéus protagonizou mais uma cena do seu governo desorganizado.

Marão esteve na Avenida Lomanto Junior, no Pontal, para gravar um vídeo em que mostra o asfalto sendo aplicado na via mais movimentada da zona sul. A peça de propaganda, por sinal bem malfeita, foi gravada às 2 horas da madrugada.

Cerca de duas horas depois, uma chuva fortíssima alagou a Lomanto Junior e colocou boa parte do serviço a perder. Parte do cimento asfáltico foi parar na Baía do Pontal.

Técnico da prefeitura ouvido pelo blog afirmou que aplicar asfalto com iminência de chuva é tecnicamente desaconselhável. Com certeza houve perda significativa do material aplicado.

O BG apurou que desde as 16 horas de quarta-feira, 20, a Defesa Civil já estava avisada que choveria forte. Ao receber o comunicado, a equipe entrou em prontidão para começar a atuar. Por volta das 23 horas, o Governo Federal por meio de um sistema próprio avisou novamente que a precipitação ocorreria em poucas horas.

Além desses avisos internos, nos telejornais noturnos a chuva foi claramente prevista. O site Clima Tempo também passou a mesma informação.

Segundo nossas fontes, a secretaria municipal de infraestrutura não perguntou à Defesa Civil sobre a possibilidade de chuva. Como se diz popularmente, o serviço foi feito “a migué”.

O fato prova mais uma vez que o governo Marão é desarticulado, sem planejamento e não zela pelo uso correto (e sem desperdícios) do dinheiro público.

No vídeo abaixo, Marão paga mais um mico. Só faltou o guarda-chuva.

Vice-diretor pede perdão; suposta vítima de intolerância religiosa presta queixa na delegacia

Imagem ilustrativa.

Acusado de praticar intolerância religiosa, o vice-diretor da Escola Estadual Moyses Bohana veio a público pedir desculpas. Jeferson da Silva teria forçado um aluno candomblecista a se retirar da escola por usar um boné branco.

O estudante explicou que o chapéu representava um preceito religioso, mas o vice-diretor não aceitou a justificativa (detalhes do caso aqui).

Reginaldo Neto, o aluno, registrou queixa na 7º Coorpin. Integrantes do Movimento Povos de Terreiros de Ilhéus gravaram um vídeo em frente à delegacia, com mensagens de repúdio.

Leia a nota do professor e confira o vídeo.

“Eu, Jefferson da Silva Santos, vice-diretor, do renomado Colégio Moysés Bohana, venho a público, pedir desculpas e perdão, pois não tive a intenção de qualquer ato discriminatório ou constrangedor a religião de matriz africana ou aos seus seguidores.

Confesso que não tenho conhecimento dos preceitos religiosos, e a única coisa que pedi ao aluno foi que retirasse o boné, pois não fazia parte do uniforme escolar.

Durante esses 17 anos, em que atuo nesta unidade escolar, não consta nenhum registro de intolerância religiosa, por mim praticado. Diante do exposto peço mais uma vez desculpas ao aluno, familiares e líderes religiosos. Volto a afirmar que não houve intolerância religiosa, e sim, falta de comunicação de ambas as partes.

Jefferson da Silva Santos
Vice-diretor”.

Bahia possui 34 obras paralisadas

Recuperação do Museu de Arte Moderna da Bahia se arrasta desde 2013. Foto: Marina Silva/Correio.

No Estado da Bahia existem 34 obras, executadas com recursos da administração estadual ou com verbas da União, que estão com seu andamento suspenso ou paralisado, informa o Tribunal de Contas do Estado da Bahia (TCE/BA).

Tais obras representam contratos que, somados, atingem a um total de R$ 307,5 milhões e os principais motivos de paralisação ou suspensão da execução dos serviços foram questões técnicas que vieram a ser conhecidas somente após a licitação, descumprimento de especificações técnicas ou prazos e problemas relacionados à contratada, a exemplo de recuperação judicial ou dissolução societária.

Clique aqui para conferir a relação das obras paralisadas ou suspensas.

O presidente do TCE/BA, conselheiro Gildásio Penedo Filho, ressaltou que o propósito do levantamento é buscar soluções para a retomada dessas obras “de forma a contribuir para o desenvolvimento do país e para o melhor uso dos recursos públicos e o aprimoramento da oferta de bens e serviços para a população”. Na Bahia, o levantamento abrangeu obras iniciadas a partir de 2009, paralisadas há mais de 90 dias e cujo montante seja superior a R$ 1,5 milhão.

Por meio de ofícios dirigidos aos secretários e dirigentes máximos dos órgãos e entidades do Estado, o TCE/BA solicitou o preenchimento de um formulário padrão com informações específicas sobre as obras paralisadas, com o objetivo inicial de traçar um perfil das situações existentes.

(mais…)

Ilhéus: chuva forte causa problemas em 47 pontos da cidade

Como sempre, o Malhado é o bairro mais prejudicado pela chuva. Imagem de arquivo.

Segundo informações da Defesa Civil de Ilhéus, a chuva torrencial que caiu na madrugada desta quinta-feira, 21, causou inundações e deslizamentos de encostas em 47 pontos da cidade.

Quatro famílias, ao todo oito pessoas, estão desabrigadas.

Os problemas mais graves foram registrados na Barra de Itaípe e no Malhado, nos altos do Coqueiro, Basílio, Carvalho, Cacau e Tapera.

Não houve vítima fatal e ninguém saiu ferido.

Segundo fontes da prefeitura, dentre as torrentes que caíram em Ilhéus nos últimos 14 anos, a de hoje foi a mais prejudicial em número de localidades afetadas.

O passado nos remeteu à lembrança das mortes das meninas Rebeca e Isabele, em outubro de 2009, no Alto do Seringal, vítimas de um desmoronamento.

Secom/Ilhéus divulgou números da Defesa Civil.

Atualizado às 17h17min.

No vídeo abaixo, gravado por uma leitora do Alto do Seringal, moradores demonstram preocupação com um cano de esgoto estourado, da Embasa, que molha ainda mais uma encosta e aumenta o risco de deslizamento. Já passamos o vídeo para a coordenação da empresa.

Sinebahia Itabuna oferece 16 vagas nessa sexta-feira

Há uma vaga para instalador de móveis.

Confira abaixo as oportunidades de emprego do Sinebahia Itabuna. As vagas estarão disponíveis nessa sexta-feira, 22.

A agência funciona no Shopping Jequitibá. Não esqueça de levar o número do PIS, PASEP ou NIS, Carteira de Trabalho, RG, CPF, comprovante de residência e certificado de escolaridade.

Vagas exclusivas para Itabuna. 

AUXILIAR DE LINHA DE PRODUÇÃO(PCD)

Exclusiva para pessoas com deficiência

Não necessita escolaridade

Não necessita experiência

01 VAGA

OPERADOR DE TELEMARKETING (PCD)

Exclusiva Para Pessoas Com Deficiência

Ensino Médio Completo

Não necessita experiência

10 VAGAS

INSTALADOR DE MÓVEIS

Ensino Médio Completo

Experiência mínima de 6 meses na função

Possuir moto

01 VAGA

(mais…)

“Só pedi pro aluno tirar o boné”, afirma vice-diretor da Escola Moyses Bohana acusado de intolerância religiosa

Um boné branco gerou o problema na Escola Moyses Bohana. Fotos: internet/reprodução.

Nessa quinta-feira, 21, grupos de Whatsaap com moradores de Ilhéus repercutiram denúncia de um aluno da Escola Estadual Moyses Bohana (Bairro Hernani Sá), sobre um suposto ato de intolerância religiosa cometido pelo vice-diretor do período noturno, Jeferson da Silva.

Na noite de quarta-feira, 20, o vice-diretor teria pedido que o aluno Reginaldo Neto, adepto do candomblé, deixasse a escola por usar roupas brancas, fios de conta e boné branco. A justificativa dada pelo aluno, que atribuiu às vestimentas um preceito religioso, não foi aceita. A atitude teve a anuência da direção da Moyses Bohana.

Infelizmente, a denúncia veio à tona sem que o outro lado fosse ouvido.

Em contato com o Blog do Gusmão, o vice-diretor, que também é policial civil, negou a versão do aluno. Disse que o mesmo vestia calça jeans, camisa branca e boné branco. “Só pedi para ele tirar o boné, pois há determinação da diretoria nesse sentido”. Explicou que se ele tivesse apresentado um ofício emitido por uma autoridade religiosa, dando ciência da sua necessidade, seria autorizado a usar o chapéu sem qualquer tipo de problema.

Segundo Jeferson da Silva, no momento da abordagem, realizada distante dos demais estudantes, Reginaldo disse que o corpo dele estava fechado, por isso o uso do boné branco se fazia necessário. A explicação não satisfez o vice-diretor, uma vez que ele costuma pedir ofícios de outros alunos com explicações sobre a manutenção das práticas religiosas no ambiente escolar.

Citou o exemplo de adventistas que necessitaram de liberação das aulas, sem aplicação de faltas, nas noites das sextas-feiras.

Jeferson disse que a abordagem aconteceu no segundo dia de Reginaldo na escola.

Perguntado sobre sua opção de fé, o vice-diretor assumiu ser cristão e membro de igreja, mas não quis identificá-la. Posicionou-se como negro e não admitiu a prática de intolerância religiosa.

Indagamos se ele agiria da mesma forma, caso uma estudante de origem ou religião muçulmana tentasse assistir aulas, vestida numa burca. Jeferson disse que sim, pois a regra da escola vale para todos.

Lava Jato prende ex-presidente Temer e o ex-ministro Moreira Franco

Ex-presidente Michel Temer. Imagem: Eduardo Anizelli/Folhapress.

Fundamentada na delação do operador do PMDB Lúcio Funaro , homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a força-tarefa da Lava-Jato prendeu na manhã desta quinta-feira, 21, o ex-presidente Michel Temer.

Há mandado de prisão contra o ex-ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) e o ex-ministro Moreira Franco (Minas e Energia) já está preso. As prisões foram determinadas pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. A delação de Funaro foi homologada no dia 5 de setembro de 2017.

A colaboração de Funaro, homologada pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava-Jato no STF, tem 29 anexos que narram em detalhes como teria funcionado o esquema de corrupção no Congresso, chefiada por caciques do antigo PMDB como os ex-presidentes da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, preso em Curitiba, e Henrique Eduardo Alves, além dos ex-ministros Geddel Vieira Lima, Moreira Franco e do ex-vice governador do Distrito Federal Tadeu Filippeli, que foi assessor especial do gabinete de Temer.

Investigadores cruzaram informações e documentos fornecidos por Funaro com planilhas entregues à Justiça pelos doleiros Vinícius Claret, o Juca Bala, e Claudio Barbosa, o Toni, apontados pela força-tarefa como responsáveis por mandar valores para o exterior para políticos e empresários. Nessas planilhas aparecem transferências para Altair Alves Pinto, apontado como operador de Cunha. Altair foi apontado pelos doleiros como “o homem da mala” que repassava dinheiro para Eduardo Cunha e para o presidente Michel Temer.

Entre os anexos estão informações do doleiro sobre como funcionava o monitoramento para evitar que outros alvos da Lava-Jato fizessem delação premiada, as relações do Congresso com o Grupo JBS, além do Grupo Bertin, de operações de fundos de investimento da Caixa Econômica Federal (CEF), da campanha do ex-deputado Gabriel Chalita, da LLX de Eike Batista, da CPI dos Fundos de Pensão e de medidas provisórias irregulares.

A delação de Funaro também atinge o ex-presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) Jorge Picciani e o empresário de ônibus Jacob Barata.

Funaro conta ainda que após romper com o governo Dilma, Cunha “pautou e liderou” a votação do impeachment da ex-presidente Dilma e que teria enviado uma mensagem a Funaro perguntando se ele teria disponibilidade de recursos para poder comprar os votos necessários dos deputados para aceitarem o impeachment. Funaro não cita valores, mas diz que disponibilizou recursos para Cunha. E acusa Cunha de tramar diariamente a aprovação do impedimento da petista.

Com informações de O Globo.

MP-BA desmente embargo no Pontal Park Residence, mas abre inquérito civil para investigá-lo

Por meio de uma nota pública, o promotor Paulo Sampaio, da 11ª Promotoria de Justiça de Ilhéus, desmente suposto embargo no empreendimento Pontal Park Residence, da empresa SSN, previsto para a zonal sul da cidade.

O negócio imobiliário ganhou ampla repercussão na imprensa ilheense, após denúncias relacionadas ao processo de licenciamento ambiental, feitas por um membro do Conselho Municipal do Meio ambiente ao Ministério Público da Bahia.

A nota divulgada nesta quinta-feira, 21, esclarece que até o presente momento não há irregularidades comprovadas contra o empreendimento habitacional, mas foi aberto um inquérito civil para iniciar a investigação.

Leia a nota pública e a portaria que instaurou o inquérito civil.

Prefeitura de Uruçuca realiza limpeza no Rio Água Preta

Foto: Ascom/Uruçuca.

A Prefeitura de Uruçuca, por meio da Secretaria de Infraestrutura, realiza serviço de limpeza no Rio Água Preta. A ação começou há alguns dias e segue nas próximas semanas.

“Já foi retirado uma grande quantidade de resíduos, entre vegetação e lixo”, informou a secretária de Infraestrutura, Luciana Ferreira (Lali).

O prefeito Moacyr Leite Jr tem buscado sensibilizar a população no sentido de não jogar lixo no rio e nos córregos. “Precisamos juntos, preservar o nosso patrimônio natural, que vem sendo tão castigado.”, disse.