Gabriela Viegas, Miss Ilhéus 2018, é encontrada morta em Belo Horizonte

Gabriela Viegas. Foto: Instagram/reprodução.

A Miss Ilhéus 2018, Gabriela Viegas, foi encontrada morta no último sábado, 3, em Belo Horizonte (MG). A jovem, que cursou medicina na Universidade Federal da Bahia, travava uma luta contra a depressão.

Segundo o missólogo Ricardo Mello, ela cometeu suicídio. A informação inicial era de que ela estivesse na Bahia, mas de acordo com o serviço funeral, o corpo virá de Belo Horizonte para Ilhéus.

“Gabriela Viegas acaba de perder a batalha contra a depressão. Meus sinceros sentimentos aos amigos, família e a todos os amantes do mundo miss que sofrem ao descobrir da pior maneira que suas deusas não estão imunes a esta triste doença. Descanse em paz”, afirmou Ricardo Mello.

A miss não estava ativa nas redes sociais e fez o último post há seis dias, mas de vez em quando interagia. Na quinta-feira, 2, ela comentou uma foto do noivo, o consultor fitness Lucas Ferrara, que mora em Belo Horizonte. Embora não gostasse de expor a idade nas redes sociais, o aniversário dela seria comemorado no dia 14 de junho.

Gabriela Viegas e o noivo, o consultor fitness Lucas Ferrara. Foto: Reprodução/Instagram.

O coach de misses Maycom Soares, um dos melhores amigos de Gabriela, lamentou a morte em seu Instagram Stories. “Hoje eu perdi a amiga mais querida que eu tinha, que mais se preocupava comigo. Ela me amava do jeito que sou, não me julgava, só me amava. Qualquer dorzinha que eu tinha, ligava para ela. Ela sempre me ajudava. Ela foi a miss mais miss que eu tive. Mais grata, mais humana, mais solidária. O que farei da minha vida sem os conselhos dela, sem o amor dela?”

A morte foi anunciada em uma nota oficial da associação atlética da Universidade Federal da Bahia, que ela frequentava. “Hoje é um dia triste. Neste momento de extremo pesar, faltam palavras e até mesmo fôlego. Com muita dor, a AAAACVL comunica o falecimento da colega Gabriela Alexandre Mendes Viegas, da 253ª turma da FMB-UFBA. Desejos todo o conforto e força para os amigos e familiares. A perda de uma pessoa tão afável e repleta de bondade é angustiante. As diversas manifestações de carinho e o impacto causado pela notícia apenas reforçam a perda imensurável de um ser humano incrível”.

Gabriela Viegas. Foto: reprodução/Instagram.

O velório de Gabriela acontece neste domingo , 5, a partir das 16h, no SAF do bairro Conquista, em Ilhéus, e será aberto ao público. O sepultamento será realizado nessa segunda-feira, 6.

Com informações do site Quem Acontece.

Mitou feio

“Mas nada disso nos impele à uníssona execração coletiva que o povo, frustrado, sucumbido ao canto promitente do “sereio”, impõe pesada sobre aquele que seria prefeito dos nossos sonhos! Mitou feio. Chutou pra fora. Duvido que seja reescalado titular na mesma posição em 2020. Se não melhorar vai para a quinta divisão como gandula”.

Por Mohammad Jamal.

Confesso que não consigo alcançar as similitudes entre os elementos correlacionais citados figurativamente pelo povo e imprensa ao perfilarem as ações empreendidas pelo nosso prefeito. Talvez seja a idade ou quem sabe, algum retardo descompassado que me persegue incorrigivelmente. Essas coisas de Face book, instagram; Twiter, Whatsapp; apps; que impregnam as linguagens do moderno ciber jornalismo e, por osmose, altera também as interações no expressionismo e comunicação entre o povão, fazem-me entre as suas vítimas, por não assimila-las! Porque preso e atrelado às velhas mídias impressas; aos livros em formatos arcaicos, invés dos e-books; ao e-mail ao invés das mensagens online; redes sociais, etc. Sinto-me torpedeado pela ignorância em relação à moderna comunicação de massa.

“Prefeito: Tal e qual um vetusto coronel assentado numa cadeira de balanços à frente da varanda do casarão sede da fazenda, assistindo os frutos do cacaueiro mudar da cor verde dólar para o dourado das moedas de libra esterlina!”.  Aliás, esclareçam-me, por favor, os porquês de estarem promovendo o prefeito à condição de Coronel do cacau? Menino de Engenho… A great one… The wolf of Wall Street… Il superb?  Que coisa minha gente? E mais; essa coisa de “jagunço”, secretários/seguranças, valentões ameaçadores, personificavam figuras icônicas numa época passada onde as balas e peixeiras afiadas substituíam os civilizados recursos diplomáticos do diálogo civilizado, do entendimento humano mútuos, solenemente ignorados à época, em favor da truculência e sangue derramado entre as partes no contencioso! Isso não condiz com o nosso politizado e sorridente prefeito, reconhecidamente um panglossiano feliz, pacífico e sorridente! Devemos tomar ciência e pé, que vivemos um clima político de existencialismo moral claramente relativista no regime democrático, diga-se, exageradamente “democrático” pra uns, permissivo para outros, enquanto nem tanto para o povo, cansado de levar fumo grosso!

As galinhas quando põem ovos, parecem cantar seus cacarejos estridentes, mas se observarmos atentamente vai-se perceber que é um lamentoso cântico de dor e arrependimento com o ovopositor queimando e ardente. E olha que o ovopositor do eleitor está no bagaço, senão observem a trágica sequência dos últimos personagens que nos deram por garantia pelos não sabemos retirados de onde: Vardé, apeado; o matemático religioso Newton, tampão; Incrível, o mesmo reelege-se! Fala sério, vai. Jajá quatro vezes! É masoquismo eleitoral. Assim não tem Sul que aguente! Vamos cacarejar gente.

Hoje o fio do bigode de antigamente passou a ser apenas cabelo da venta! Faz um tempão que, negativado no Serasa e SPC, com vários títulos protestados em hasta pública, essa fibra queratinosa de pelo do rego deixou de avalizar e dar salvaguardas aos créditos ilimitados de antigamente. Hoje é só cabelo mesmo, seja pentelho ou de outras regiões pouco olorosas; não vale mais nada. As “letras”, notas promissórias, cheques endossados etc., são vistos hoje por todos com indisfarçável desconfiança; imaginem um chumaço de cabelo removido de alguma anatomia obscura da qual não se sabe a origem geográfica? Ora, se fios de cabelos; “letras”; precatórios; títulos públicos; notas promissórias; cheques; etc. são garantias em franca decadência de liquidez e conversibilidade; imaginem as “palavras”, mesmo que pronunciadas com solene eloquência disfarçando a falácia retórica?

(mais…)