Marão jogou Valmir de Inema na cova dos leões

Notinhas.

Marão entregou Valmir às feras.

Menos de 24 horas depois da prisão preventiva do secretário municipal de agricultura, Valmir de Inema, na Operação Chave E, o prefeito Mário Alexandre decidiu exonerá-lo.

A nota de esclarecimento do governo diz que os atos supostamente irregulares praticados por Valmir dizem respeito à Câmara Municipal. Menciona timidamente a presunção da inocência, mas anuncia o rápido afastamento do secretário.

Políticos e advogados ouvidos pelo BG perceberam oportunismo e deslealdade em Marão.

As provas contra Valmir aparentemente são desabonadoras, mas será que o prefeito as conhece com profundidade? É provável que não, sendo assim, ficou patente o objetivo de se livrar de um problema menor, para evitar um mal pior.

Advogado experiente lembra que Valmir ainda não foi condenado e ressalta que o governo Marão está muito longe de ser exemplar.

Em 2017, quando Jamil Ocké foi preso na operação Citrus, o ex-prefeito Jabes Ribeiro concedeu entrevista em defesa do amigo.

Jamil foi condenado em primeira instância e Jabes não tem pronunciado o nome do aliado em público, mesmo assim, o ajuda nos bastidores na tentativa de anular a sentença desfavorável da Comarca de Ilhéus.

“Não cabe a uma liderança política fazer julgamentos no calor da opinião pública e com base na imprensa. Marão pode passar pela mesma vergonha. Se acontecer com ele, não terá o direito de cobrar solidariedade de ninguém”, afirma uma conhecida personalidade política de Ilhéus.

Atualizado às 14h19min de 16/05/2019.

A decisão da juíza Emanuele Vita, que determinou as prisões preventivas de 7 acusados, nomeia as investigações do MP-BA como “Operação Chave E”, contudo, segundo o promotor Frank Ferrari, o nome correto é “Operação Xavier”, nome ainda mais cifrado (opinião do BG).



3 responses to “Marão jogou Valmir de Inema na cova dos leões

  1. Se apoiasse a manchete seria: “Marão apoia e abriga secretário indiciado, preso.” é cada oposição …

  2. Gusmão seja sincero se Marão não o tivesse exonerado vc publicaria matéria apontando a conivência do gestor como jogou pra torcida ao publicar matéria afirmando que “secretário do governo Marão teria sido Preso”, mesmo sabendo que os motivos da prisão nada tinham a ver com o executivo, vc age de forma extremamente tendenciosa e parcial com a atual gestão isso não é jornalismo, mas talvez vc tenha se esquecido sobre os princípios que norteiam o sagrado e imaculado ofício do jornalista. Paciência!!!

    Editor responde.

    Leia com mais atenção.
    Perceba que as opiniões contidas no texto não são do blog.
    Vc não entende de jornalismo, ofício que nada possui de sagrado.
    Aguarde com paciência novos capítulos sobre o governo atual.

  3. Gusmão, vc alega ter consultado políticos e advogados, portanto pessoas públicas inexiste óbice a se colocar o nome e as respectivas opiniões das pessoas. A chamada da matéria já é tendenciosa: “Marão jogou Valmir do Inema na cova dos leões” o que demonstra a total parcialidade da matéria e geralmente quando ao escrever um texto se transcreve a opinião de um terceiro a transcrição deve vir necessariamente entre aspas, como só a parte do parágrafo final da matéria está entre aspas lícito inferir que os parágrafos acima são a opinião do Blog por isso a crítica. No mais o direito a informação é um direito fundamental, sagrado e com o poder de altarar o curso da história se vc não tem essa consciência, paciência. Ao exonerar o secretario o governo agiu de forma correta, salvo melhor entendimento.

    Resposta do editor.

    O texto é claro e não evidencia opinião do blog, mas se vc que usa codinome e exige nomes de fontes interpreta assim, paciência. A mãe do prefeito teve os bens bloqueados após investigações da Operação Águia de Haia, do MPF, e decisão da justiça federal. Nem por isso o prefeito deixou de andar com ela e apresentá-la como candidata oficial do governo, nas últimas eleições. Assim como Valmir, ela também tem o direito à presunção da inocência, afirmam os advogados e políticos ouvidos pelo BG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *