Vasco aposta em patrocínios diferentes para aumentar receita em 2019

O futebol brasileiro está passando por mudanças em 2019, e o Vasco não fica de fora disso. A saída dos investimentos da Caixa Econômica Federal fez com que diferentes equipes perdessem acordos de patrocínios. A solução foi abrir portas para empresas que ainda não tinham tanto espaço no futebol nacional, como sites de apostas e bancos digitais. A diretoria vascaína já conseguiu fechar bons acordos com isso.

Foram dois novos patrocínios fechados antes do Campeonato Brasileiro. O primeiro acordo é com o Banco BMG, que deve pagar cerca de R$ 10 milhões anuais para estampar o nome da instituição na camisa cruz-maltina. Além disso, a criação do Meu Vasco BMG deve gerar uma participação de 50% nos lucros da empresa para o clube carioca. Dessa forma, a receita com o patrocínio deve ser ainda maior.

O outro contrato fechado foi com um site apostas online, uma novidade que deve ganhar mais força no Brasil. O Vasco vai estampar o nome da empresa na barra inferior frontal da camisa, porém os valores da negociação não foram divulgados. É o tipo de acordo que também já acontece com outros clubes, já que o Santos também mostrou interesse em acertar um patrocínio com empresas desses jogos online.

A ideia dos sites de apostas é aumentar essa cultura no país do futebol. Os brasileiros ainda precisam aprender melhor como esses portais funcionam, o que é trading esportivo e quais são as outras modalidades de apostas que existem. O patrocínio nas camisas podem ajudar a despertar essa curiosidade, principalmente no Brasileirão. Esse método teve sucesso na Europa, onde essas empresas possuem diferentes acordos e uma rede robusta de usuários.

Fonte: Pixabay.com .

Menos dívida e mais reforços

Com novos acordos, a ideia do Vasco é continuar crescendo financeiramente. Em relatório divulgado no final de abril, o presidente Alexandre Campello declarou que a dívida da equipe diminuiu em R$ 100 milhões. Uma notícia positiva e, se confirmada, mostra uma possível retomada no clube para o futuro. A equipe precisa de melhores investimentos e também elencos com jogadores mais caros, principalmente para sonhar com títulos.

Outra notícia boa foi do superavit de R$ 60 milhões, em referência aos números de 2018. A diretoria acredita que os novos acordos de patrocínios, que de início parecem menores, vão ajudar o Vasco financeiramente. Na época da Caixa Econômica Federal, a equipe cruz-maltina recebia cerca de R$ 13 milhões, porém era quase a única renda. O acordo com os novos patrocinadores também dá chance para uma participação em novas campanhas, como a criação de contas digitais para os torcedores cariocas.

Até o final do Campeonato Brasileiro, a situação financeira em São Januário com os patrocinadores deve ser definida, principalmente no quesito de receitas finais. Outras equipes já fecharam acordos iguais ao do Vasco, principalmente com o Banco BMG. Corinthians e Atlético Mineiro, por exemplo, estão no mesmo modelo. Por isso, a tendência é que estes acordos funcionem positivamente. Assim, a equipe vascaína pode deixar este momento financeiro ruim e começar a sonhar com algo melhor no futuro.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *