Prefeitura de Itacaré realizará a I Semana do Meio Ambiente

Plantio de árvores e limpeza praias estão na programação. (Foto: Gabriel Carvalho)

Itacaré vai realizar no período de 03 a 07 de junho a Semana do Meio Ambiente, um evento que contará palestras, plantio de árvores nas unidades escolares da rede municipal, visitas a Organizações Não Governamentais que realizam o trabalho de preservação do meio ambiente, mutirão de limpeza das praias e ainda o I Seminário Ambiental. O objetivo é envolver toda a comunidade para que possam despertar para a importância de preservar a natureza.

A realização é da Prefeitura Municipal de Itacaré, através das secretarias de Meio Ambiente, Comunicação, Educação, Desenvolvimento Urbano e Juventude, Esporte e Cultura, com o apoio do Conselho Municipal do Meio Ambiente e das ONGs COMPAI, Recicla Itacaré, ETVI, Anjo Azul e Casa do Conto.

De acordo com o prefeito Antônio de Anízio, Itacaré possui muitas belezas naturais, mas é preciso garantir a preservação desse patrimônio natural que atrai turistas de diversas partes do mundo e que faz da cidade cada vez mais bonita.

Programação

A Semana do Meio Ambiente começa na próxima segunda-feira, dia 03, com palestras e plantio de árvores da espécie Pau Brasil na Escola Municipal Dr. Manoel Castro. Em seguida, às 10h30min, acontecerão também palestras e plantio de árvores no Instituto Municipal de Educação Governador Paulo Souto, em Taboquinhas.

Na terça-feira, dia 4 de junho, às 9h30min, acontecerá a visita à Casa do Conto (Clube de Leitura da ONG ETIV do Brasil) e às 11 horas a visita à ONG de Proteção aos animais Anjo Azul. Na quarta-feira, dia 5 de junho, às 9 horas da manhã acontecerá a visita à Estação de Tratamento da Embasa e às 10 horas a visita à sede da ONG ETIV do Brasil, no bairro da Passagem.

A Semana de Meio Ambiente continua na quinta-feira, dia 6 de junho, às 10 horas da manhã, com um mutirão para limpeza de praia, contando com a participação de diversas secretarias municipais, escolas, organizações não governamentais e de toda a comunidade comprometida com a preservação da natureza e a melhoria da cidade. E na sexta-feira, encerrando as atividades da semana, acontecerá o I Seminário Ambiental de Itacaré, das 8 às 17 horas, no Sítio Paraíso.

Da Ascom Prefeitura Municipal de Itacaré.



2 responses to “Prefeitura de Itacaré realizará a I Semana do Meio Ambiente

  1. ” Estudo mostra que universalização do saneamento
    básico em 20 anos traria ao país benefícios econômicos
    e sociais de R$ 537 bilhões
    Novo relatório comprova que os ganhos com a expansão da infraestrutura de água tratada e
    esgotamento sanitário superariam em muito os custos da universalização dos serviços
    O mais novo estudo do Instituto Trata Brasil, intitulado “Benefícios Econômicos e Sociais da
    Expansão do Saneamento Brasileiro”, em parceria com a Sabesp – Companhia de Saneamento
    Básico do Estado de São Paulo -, mostra que a expansão dos serviços de água e esgotos no país
    traz muito mais do que apenas qualidade de vida. Os investimentos feitos e o maior acesso das
    pessoas trazem ganhos econômicos e sociais concretos, especialmente nos setores da saúde,
    educação, produtividade, turismo e valorização imobiliária.
    Pelos dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS – ano base 2015), o
    país ainda tinha 34 milhões de brasileiros sem acesso à água, mais de 100 milhões de pessoas
    sem coleta dos esgotos e somente 42% dos esgotos eram tratados. Isso significa que temos um
    enorme desafio para que o saneamento básico chegue a todos os brasileiros.
    Resultados gerais:
    Considerando o custo médio nacional para se levar água e esgotos às moradias, o estudo
    estimou que serão necessários R$ 317 bilhões em 20 anos – a valores presentes a preços de
    2014 – para que todos os brasileiros tenham acesso aos serviços de água e esgoto, ou seja,
    precisaríamos de um investimento anual mínimo de R$ 16 bilhões.
    Em duas décadas, já descontando os custos da universalização, os ganhos econômicos e
    sociais trazidos pela expansão dos serviços em suas diversas áreas alcançariam R$ 537,4
    bilhões. Isso significa que a universalização do saneamento traria ganhos expressivos para a
    sociedade brasileira, muito superiores aos custos da universalização.
    O estudo mostra ainda que esse balanço deve ser crescente, passando de R$ 10,0 bilhões em
    2015 para R$ 37,632 bilhões em 2035 – a valores presentes de 2014. Os cálculos permitem
    concluir que, na média do período que vai de 2015 a 2035, a cada R$ 1.000,00 que se investe
    na expansão da infraestrutura de saneamento, a sociedade brasileira obtém R$ 1.700,00 de
    retorno social no longo prazo. Fonte: Instrituto Trata Brasil

  2. O turismo é, sabidamente, uma atividade econômica que não se desenvolve adequadamente
    em regiões com falta de água tratada, coleta e tratamento de esgoto. A contaminação do meio
    ambiente por esgoto compromete, ou até anula, o potencial turístico de uma região.
    Os dados do IBGE indicam que em 2015 havia 6,7 milhões de pessoas trabalhando no
    turismo. O estudo mostra que se houvesse saneamento básico adequado em todas as áreas
    urbanas do país poderiam ser quase 7 milhões de pessoas ocupadas no setor. Isso indica que
    em 2015 houve uma perda 200 mil postos de trabalho devido à falta de saneamento.
    Agregando-se os empregos indiretos seriam 315 mil novos postos de trabalho no turismo.
    A renda desperdiçada com as atividades turísticas subdesenvolvidas alcançou,
    estimativamente, R$ 9,4 bilhões no ano de 2015. Foram R$ 5,8 bilhões de renda do trabalho
    que deixou de ser gerada e R$ 3,6 bilhões de lucros e impostos que deixaram de ser
    arrecadados por conta da degradação ambiental de áreas por falta de saneamento básico.
    Especialmente em áreas de grande tradição turística, como o Nordeste, o impacto seria maior.
    A região perdeu R$ 2,6 bilhões de renda do turismo em 2015 pela falta de saneamento, o que
    representou 27,5% das perdas no turismo brasileiro como um todo.
    Em termos de comparação do Brasil com os países vizinhos, aquelas economias latinoamericanas com melhor desempenho na área do saneamento têm fluxos internacionais e
    turistas relativamente maiores. Em Cuba, Chile e Argentina chegaram 261, 207 e 138 turistas
    estrangeiros por mil habitantes em 2014. No Brasil, esse número foi de apenas 31 turistas por
    mil habitantes. E isso ocorreu no ano em que o país sediou a Copa do Mundo de Futebol.
    6.1. EFEITOS DA UNIVERSALIZAÇÃO SOBRE O TURISMO – 2015 A 2035
    Com base no modelo estatístico, estima-se que os ganhos de renda do turismo devidos à
    universalização do saneamento atinjam em média R$ 1,2 bilhão por ano no período de 2015 a
    2035. Em vinte anos, os ganhos com a valorização ambiental para o turismo brasileiro devem
    atingir R$ 24,5 bilhões. Isso significa uma renda maior para os trabalhadores do setor, lucros
    para as empresas e impostos para os governos, principalmente dos municípios que recebem
    impostos sobre os serviços e as atividades de turismo. Instituto Trata Brasil http://www.tratabrasil.org.br/datafiles/estudos/beneficios-ecosocio/press-release.pdf

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *