Vereador de Ilhéus é acusado de “pegar” mil reais do rapaz do som

Notinhas.

À espera de migalhas.

Na Central de Abastecimento do Malhado (Ilhéus), e em muitas feiras livres pelo Brasil afora, é comum a presença inadequada de “cachorros fateiros” próximos de açougues e barracas que comercializam carnes.

Esses animais famintos, quase sempre “cães sem donos”, se alimentam de vísceras e ossos não aproveitados pelos magarefes.

Essa imagem serve para ilustrar a postura corrupta de alguns vereadores de Ilhéus, com uma diferença, os cães comem pela sobrevivência, os representantes do povo, nestes casos, são movidos pela sanha de dinheiro público.

Após o início da Operação Xavier, desencadeada pelo MP-BA, prestadores de serviços da Câmara de Vereadores de Ilhéus resolveram contar tudo (ou quase tudo) às investigações.

Dentre os esquemas denunciados, consta o relato de um microempresário do ramo de sonorização. Temeroso de ser preso, contou ao MP-BA que um vereador manipulou licitação em seu benefício. Como contrapartida, o “cachorro fateiro” exigiu que o empreendedor repassasse mil reais, por mês, de cada pagamento recebido.

O MP-BA ainda não divulgou o nome do parlamentar, uma vez que o caso está sob apuração e coleta de provas. O BG pode adiantar que o acusado é useiro e vezeiro na indicação de fantasmas.



2 responses to “Vereador de Ilhéus é acusado de “pegar” mil reais do rapaz do som

  1. Pelo visto, aqueles vereadores que ficaram de fora na primeira puxada de rede da Operação Chave E. do MP/BA, já começaram a receber suas intimações e visitas de Oficiais de Justiça.
    É hora dos anti diarreicos e do Rivotril. Em tempo: por precaução, é melhor anteciparem as reservas de acomodações no Resort Ariston Cardoso. O índice de ocupação já beira os 100%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *