Lukas Paiva, assessores e empresário falsificaram cheques para cobrir despesas ilegítimas, acusa o MP-BA

Vereador Lukas Paiva, ex-presidente da Câmara Municipal de Ilhéus.

Ontem (segunda-feira, 29), o Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) ajuizou ação de improbidade administrativa contra o vereador e ex-presidente da Câmara Municipal de Ilhéus, Lukas Paiva, os ex-servidores legislativos, Antonio Lavigne de Lemos e Rodrigo Alves dos Santos, o empresário Cleomir Primo Santana e Íkaro Pires Sales de Oliveira (funcionário de Cleomir).

A nova denúncia protocolada na 1ª Vara da Fazenda Pública, por se tratar de improbidade administrativa, é resultado das investigações promovidas pela Operação Xavier, que vieram a público em maio deste ano.

Segundo o promotor Frank Ferrari, o quinteto é acusado de fazer saques diretos das contas da Câmara de Vereadores de Ilhéus para cobrir despesas ilegítimas. As operações bancárias ocorreram durante a presidência de Lukas Paiva. “Eles tiravam dinheiro da Câmara seja por via de transferências bancárias diretas para parte dos investigados, seja por meio de falsificação de cheques, e escondiam essas retiradas em maquiagem contábil “, explicou o promotor.

Neste caso, os fatos apurados não dizem respeito aos contratos cujas licitações foram fraudadas, segundo o MP-BA. Trata-se de um esquema aparentemente novo descoberto a partir da gestão de Lukas Paiva.

Conforme o promotor, as operações desviaram R$ 71 mil das contas do legislativo municipal e uma denúncia relacionada aos mesmos fatos também será ajuizada contra o quinteto na justiça criminal.

O BG tentou manter contato com os advogados Sergio Habib e Thales Habib, que defendem Lukas Paiva. No momento da ligação, os dois não se encontravam no escritório. 

Não conseguimos o número de contato dos defensores dos demais acusados. O espaço está aberto causo queiram prestar esclarecimentos.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *